Auto Conhecimento

O Limite do Autodidata

Embora aprenda mais rápido, o autodidata encontra barreiras pela falta de títulos. Certo ? Errado ? Vamos abrir a discussão !

Profissionais com Grande Vivência Prática podem Encontrar Barreiras pela Falta de Títulos

Autodidatas: os professores de sí mesmos

Mestres de obras que poderiam ser engenheiros, secretárias que poderiam ser administradoras, auxiliares que poderiam ser contadores.

A lista de funções poderia continuar por muitas linhas. Todos nós conhecemos aquele profissional super inteligente e criativo, mas que não subiu na empresa. Ou então aquele, que perto de se aposentar, aprendeu tudo o que sabe na prática, mas sequer conseguiu sair de uma função operacional, embora conheça todos os processos da empresa de trás pra frente.

Isso porque, ao lado de nossa capacidade de aprendermos sozinhos, batizada de autodidatismo, muito impulsionada pela tecnologia atual, o mercado exige formação e títulos que comprovem que você detêm este ou aquele grupo de informações e técnicas.

Mas não se engane: o autodidata tem seu valor – isso se entendermos este tipo de postura como complementar a tradicional e não como única forma de aquisição de conhecimento e formação.

Por que a formação é importante?

A formação tradicional é muito mais do que um papel no final do curso. Pense bem: você estará recebendo conhecimento já testado e não terá que quebrar a cara uma ou duas (ou várias) vezes. Esse conhecimento será passado através de uma metodologia, o que acelerará seu aprendizado.

Se escolher bem a instituição que ministrará seu curso, vai conhecer pessoas e poderá trocar ideias, melhorando ainda mais a qualidade da informação que receber.

O autodidata pode e deve unir essas características e somá-las ao seu impulso natural por pesquisar e adquirir novos conhecimentos. Quando bem equilibrada é um mix poderoso que as empresas valorizam.

Por que o título é importante?

Terminado o período de formação, o “papel” adquirido, o título, o diploma, tem igual valor, pois trata-se de um documento oficial. Através dele você dirá ao mercado o quanto e de que forma investiu em sua preparação. Quase desnecessário dizer, mas, um diploma não fala por si. Uma boa instituição, uma boa nota final, um curso relevante ajudam a sua carreira deslanchar, não há dúvida. Mas, colado na parede, sem que seja colocado em prática, não ajudará em nada. Portanto, vale aqui também a dica inicial: una os dois mundos. Aquele em que você é um autodidata e o outro, onde você colou grau e tirou sua foto com a turma no dia da formatura.

Como Identificar que você está Próximo do Limite

A grande questão, portanto, é identificar quando você estará próximo de seu limite como autodidata. Dependendo da área em que você atua, terá mais ou menos exigências de base acadêmica para desempenhar sua função. Mas, em todo caso, uma dica importante é notar situações como estas:

  • Você perdeu uma promoção por não ter o título exigido
  • Não conseguiu fazer inscrição em um concurso público pelo mesmo motivo
  • Sentiu falta de uma base metodológica ao abordar uma questão em seu dia a dia no trabalho
  • Sente falta de referências técnicas e/ou pessoais em algum projeto
  • Ouve falar numa reunião em autores, linhas de pensamento ou abordagens que sequer imaginava que existiam

Conclusão

As empresas buscam profissionais que tenham um “quê” de empreendedor. Que queiram somar experiências nos constantes desafios que vão enfrentar juntos. Nesse cenário, o autodidatismo enquanto mola propulsora de um contínuo aprimoramento é mais do que desejado. Contudo, tal postura não pode ser encarada como substituta de uma formação sólida.

Você precisa saber sempre mais. Desde que sabia o básico primeiro.

Texto fornecido pelo Emprego Certo o site de empregos do UOL.

Sobre o Autor:
Autor
Atualmente é consultora independente de educação, focada em reposicionamento profissional oportunidades no mercado de trabalho. É colaboradora ativa no Guia da Carreira.
 

Artigos Relacionados ao Tema: Auto Conhecimento

Os Signos Chineses e os Tipos de Personalidade

Os Signos Chineses e os Tipos de Personalidade

Os Chineses sempre acreditaram que os Astros tinham uma forte influência em suas vidas. Conheça os Signos Chineses e os tipos de personalidade relacionados a cada um.

Escolha da Profissão Certa: 7 Dicas Rápidas !!

Escolha da Profissão Certa: 7 Dicas Rápidas !!

Você está tendo dificuldades para escolher uma profissão ? Escolher a carreira certa não é uma tarefa fácil. Siga os nossas sete dicas e se decida melhor !!

Os 7 Tipos de Inteligência: de que Tipo é o seu Cérebro ?

Os 7 Tipos de Inteligência: de que Tipo é o seu Cérebro ?

Você se considera inteligente ? Conheça os 7 tipos de inteligência e descubra qual deles é predominante em você.

 
 
 

Comentários:

  1. Murilo

    Papo de universitário.

    Titulo é bom para estágiario.

  2. Pedro Addler

    Olá Murilo

    Realmente, o mais importante não é o titulo mesmo e sim a capacidade empreendedora e realizadora. Existem várias grandes personalidades autodidatas: Jimi Hendrix, Walt Disney, George Harrison ( Beatles ), todos eles aprenderam seus oficios como autodidatas.

    No entanto, fazer uma faculdade é uma grande experiência e isso não pode ser deixado de lado, o período de faculdade trás muita experiência boa e muita bagagem teórica, até mesmo para quem é autodidata.

  3. Luciana

    Concordo, mas hoje em dia, mesmo com um diploma na mao, mesmo sabe sabendo que vc cursou uma faculdade, ainda esta muito dificil conseguir um emprego.Geralmente as empresas exigem experiencia naquele tipo de trabalho, coisa que um recem formado nao tem.Conheço muitas pessoas que nao curssaram faculdade e hoje ganham muito bem!!

  4. Elias

    Eu penso que estamos em uma epoca diferente, tambem conheço pessoas que ganham muito bem e sabe muito bem de todo tipo de materia sem nem terminar o ensino colegial, entretanto estas pessoas viviam em uma epoca onde as pessoas entravam nas empresas e cresciam lá dentro, hoje é exigido uma formação. A Grande questão é: nem todas as pessoas que tem este “dom” de autodidata, tem condições de fazer uma faculdade e arranjar emprego

    • Hemerson

      Concordo. Sou fotógrafo e cinegrafista autodidata. Já tenho portfólio de fotos, filmes, já ganhei prêmios de fotografia e mesmo assim no momento estou sem trabalho. Não tenho como cursar uma faculdade agora e também não vou gastar com um curso de fotografia pra aprender o que já sei. Os processos seletivos das empresas são um pouco baseados só no papel mesmo. É bem triste. Um fotógrafo recém-formado tira facilmente um DRT, já quem trabalha 20 anos com fotografia e nunca precisou cursar nada, tem seu DRT negado.

    • RENETO

      o grande problema é que estudar sozinho ou fazer cursos á distancia que se vai a aula uma vez na semana é uma tendencia que só cresce isso porque são mais acessível toma menos tempo menos custo,cada dia que passa se locomover em uma cidade grande pelo transporte público é cada vez pior vamos fazer o que ?? eu faço gestão de produçao industrial á distancia queria fazer uma engenharia,pois domino bem minha área mas como?? os horários não batem então é o que posso fazer …

  5. marcio vitorio

    Meu comentário é que, como disse minha colega Luciana, não se trata do indivíduo tomar a decisão de se tornar um autodidata; mas as circunstâncias em que foi inserido! Eu por exemplo sou um autodidata em teologia e dou palestras motivacionais em Curitiba, mas não tirei diploma por que as circunstâcias me impediram, não por capricho. Sinceramente espero, hoje com 36 anos de idade, complementar o que tenho com um curso de Psicologia e, é claro, será através do ENEM, por que por enquanto não tenho recursos para esse sonho antigo. Obrigado pela oportunidade de falar a nosso respeito com tanto carinho e sobriedade!

    Um abraço.
    Marcio Vitorio

    • RENATO

      mesma situação a minha sei o que muitos gostariam de saber sobre biodiesel,porem sou só um operador de processo aos 39 anos porque eu quero?? não o que posso fazer?? bem,faço um curso á distancia pela uninter, são as circusntancias como voce bem disse não escolhas, é o que temos abraços meus amigos é bom compartilharmos um pouco de cada luta isso mostra que somos guerreiros, não vamos chorar por conta disso tambem mas sim agradecer á DEus ELE sabe que temos dado o nosso melhor abraços a todos…

  6. Eloy de Oliveira

    Olá Murilo.
    O fato de a pessoa não ter um título, principalmente hoje quando a distribuição de diplomas já foi por demais vulgarizada pelas faculdades de quinta categoria que se preocupam apenas em arrecadar mais e mais, não significa que ela não teve acesso aos livros e que não tenha aprendido (até mais do que se tivesse um título) com eles. Millor Fernandes, José Saramago, José Alencar, Jô Soares, Chico Buarque e muitos outros confirmam o que digo, portanto
    Concordo só com estas afirmações:
    Você pode perder uma promoção por não ter o título exigido.
    Não consegue fazer inscrição em um concurso público pelo mesmo motivo.

    Mas não com essas outras:
    Sente falta de uma base metodológica ao abordar uma questão em seu dia a dia no trabalho.
    Sente falta de referências técnicas e/ou pessoais em algum projeto.
    Ouve falar numa reunião em autores, linhas de pensamento ou abordagens que sequer imaginava que existiam.

    Autodidata não é quem não estuda, é quem estuda por conta própria, sem escolaridade, mas fora de turmas (as vezes com quase 100 alunos)composta por pessoas que não se interessam muito em aprender, pois só querem mesmo um título para exibir o diploma que mascara suas limitações.

  7. Edmo Rodrigues

    A teoria sempre acaba, mais cedo ou mais tarde, assassinada pela experiência. Albert Einstein

  8. Dkc

    A faculdade traz benefícios para as pessoas autodidatas porque elas têm o interesse de sempre aprender e extrair aprendizado em tudo o que fazem. As maioria das pessoas formadas ou cursando faculdade e que fracassam estão acostumadas a chopinho as 3 da tarde, baladinha no fim-de-semana… a faculdade para estas pessoas não passa de uma creche de adultos.

  9. JHONATHAN

    Boa noite caros colegas,

    Primeiramente Parabenizo quem publicou este artigo, que ao meu ver muito interessante.

    Na minha opinião a União do Ensino Tradicional Com o Autodidatismo é um “casamento Perfeito”.
    Por favor, Pense comigo: “Uma pessoa que começa na parte prática da profissão e depois de algum tempo gradua-se na mesma área terá maior probabilidade de sucesso do que uma pessoa que entra direto na faculdade de maneira “crua”. Claro o que vai determinar o sucesso será a própria pessoa, isto é, se ela se dedicar,for disciplinada, estiver motivada e focada em seus objetivos, podem até vir adversidade, mas com toda certeza ela superará todas.
    Os “títulos” tem o seu valor, mas o problema que algumas pessoas pensam que tendo um título elas serão as “tais” e com tanta soberba, esquecem, o não estão nem aí para o principal que é ter conhecimento e saber aplicá-lo para poder obter resultados tangíveis ou intangíveis significativos, rentáveis e notórios.
    Existem pessoas que não tiveram muita oportunidades de estudar e são muito bem sucedidas pois foram práticos e objetivos em sua decisões, em contrapartida existem também Pessoas que foram muito longe nos estudos, se tornando um “PHD” e hoje são muito bem sucedidos; com isto conclui-se que ter títulos ou não ter não é critério para dizer se tal pessoa será ou não bem sucedida, no meu ponto de vista o que ditará isto é: Primeiramente, sonhar antes de ir busca do objetivo; segundo, ser persistente, motivado, ter foco; e o principal “nunca desistir”; e terceiro, utilizar a razão para tomar decisões.
    Pense nisto:
    “A maioria das pessoas nunca fracassaram de verdade, pois desistiram antes”.

    As pessoas bem sucedidas fracassaram várias vezes antes de chegar ao topo. Qual o segredo: “Eles tinham sonhos e nunca desistiram de ir em busca”.

    Quantas desafios e quantas vezes Santos Dumont fracassou antes de obter êxito com o projeto 14bis?

    Quantas tentativas e teste Graham Bell e Thomas Watson tiveram que fazer até obter êxito no seus objetivos: inventar o que chamamos hoje de telefone?

    ” Nunca desista dos seus sonhos, se não você nunca saberá aonde você poderia chegar. “

    • julio cesar

      Concordo pois o fato de uma pessoa cursar uma faculdade relacionada a profissão que exerce facilita a compreensão da mesma ja que vivenciou situações reais e tangiveis .

  10. Márcia Antônia

    Primeiramente agradeço pela oportunidade dada, tenho 43 anos, e uma larga experiência pratica como educadora.E em um determinado momento da minha vida profissional senti a necessidade de conhecimentos teóricos, estou na luta para concluir meu curso de pedagogia.

  11. Gabriel

    A questão do sucesso,depende de vários fatores, conhecimento, prática, liderança, etc.O conhecimento adquire-se estudando, a prática com o tempo.Entretanto, o ponto de partida, não é igual para todos, ou seja, alguns já entram para trabalhar com um cargo excelente por indicação, a este a ser promovido é muito mais fácil do que aquele que entrou porque a empresa estava contratando,mais um dentre de milhares. É uma questão complexa, e está longe de definir, “onde está impresso o sucesso…”

  12. julio cesar

    Na verdade todos os seres humanos dotados de perfeitas faculdades mentais são autodidatas,o que diferencia umas das outras são os niveis de percepção que aliados a uma linguagem complicada e falta de analogia adequada por parte da grande maioria dos autores,torna o auto-aprendizado uma dificil tarefa mesmo para os mais habilidosos sendo nescessarias varias fontes de consultas que por sua vez tambem trazem suas limitações e analogias pouco especificas.Eu defendo o pricipio de que a comunicação e expressão deve ser direta e simples a ponto de serem compreedidas até pelo mais simples(analfabetos e seme-analfabetos)pois a linguagem complexa torna o auto-aprendizado algo dificil e axaustivo.

  13. Gisele

    Olá, tenho 29 anos e nunca cursei faculdade por falta de oportunidade,me considero sim autodidata pois sou muito inteligente e tudo q sei aprendi fuçando, mal de gente curiosa que nem eu, e tenho uma sede insaciavel por aprender e adoro desafios, pois bem, agora decidi que quero cursar uma faculdade e gostaria muito de algo como engenharia mecanica, ou mecatronica, ou ainda alguma coisa na area de computação, mas será que ainda dá tempo? Vale a pena começar agora, pois vou me formar por volta dos 35 anos, se eu conseguir, pois já faz algum tempo que não estudo. E o mercado de trabalho, seria favorável mesmo sem experiencia? Gostaria de uma opinião sincera, obrigado! Att

    • Pedro Addler

      Olá Gisele! Nunca é tarde para realizar um sonho e ainda mais por meio dos estudos. O mercado de trabalho está cada vez mais jovem, mas 35 anos não é uma idade crítica para se conseguir emprego!

      Obrigado por visitar o Guia da Carreira!

      • Gisele

        Oi Pedro, vcs estão de parabéns pois o site realmente é ótimo, com muitas dicas e as discussões também que ajudam muito na hora de reafirmar alguma opinião. Quanto minha vontade de estudar, continua..talvez um pouco abalada pela discriminação que encontrei essa semana, ao visitar algumas faculdades, em cidades do interior como a minha parece que as pessoas ainda cultivam o preconceito, houve uma faculdade na qual visitei em que a secretaria não se dispos nem ao menos me dar nenhum tipo de informação, a não ser entrar no site da mesma, pois no site eu tiraria todas as minhas duvidas pois era atualizado constatemente, me senti um pouco envergonhada talvez desestimulada, mas bola pra frente e vou continuar correndo atras do meu sonho sim. Obrigado pela atenção, abraços.

  14. claudio

    meu nome é claudio sou autodidata pois tudo qe aprendi em matematica fisica ingles foi com apostilas e videos aula e tudo qe é preciso eu aprender sempre pesqiso ater dominar o assunto e tbm nao tiver oportunidade de fazer faculdade

    mas agora estou com 26 anos estou desempregado e nao sei oq eu faço comtudo oqe sei

    nao sei se emfio no bolso e vou trabalhar de ajudante de caminhao com meu irmao

    sem contar qe ja passei 1 ano lecionando para 5 amigos para eles fazeram a prova da (EEAR) e 3 deles passarao e a coisa qe mais gosto de fazer é lecionar.

    sera qe pode me dar alguma ideia?

    • Michel Coardete

      Caro amigo torne-se empreendedor, quando mencionou que lecionou, e seus amigos obtiveram sucesso superior a 50% mostra que você é de fato empreendedor, se for necessário ser ajudante de caminhão não há desvalor nenehur use o principio da alavanca de arquimedes! Sucesso pra ti.

  15. anastacia heck

    Eu quero saber porque o mec nao aprova uma sabatina que comprove o saber do autodidata sem precisar de cursar anos de faculdade para receber um titulo

    • Oto Muller

      Pois é Anastacia, eu tenho a mesma dúvida. Cursei Gestão Imobiliária e não conclui o curso por motivos de saúde…
      Sou um fanático por negócios imobiliários e atuei por muitos anos na área ilegalmente e ainda não consegui fazer um exame de autodidata para obter meu registro no CRECI.
      Eles seguem a regra: “Tem que ter o curso ténico de TTI”. A flexibilidade não existe.
      Um simples exame bem abrangente para comprovar o nível de conhecimentos gerais, conhecimentos de matérias de conteúdos específicos e conteúde de formação escolar… Como em um vestibular, como em um ENEM… Bastava uma prova para buscar conhecer o nível de conhecimento do profissional. — Também poderia-se fazer uma entrevista com a finalidade de identificar o fator psicológico do aluno e as experiências que lhe proporcionou o conhecimento em questão.

  16. Márcia

    Cláudio, já que você tem a capacidade de aprender sozinho(coisa pra poucos) eu lhe aconselho fazer um curso EAD(curso à distância). Eu estou realizando meu sonho de ter um diploma(não pude fazer uma faculdade, mas sou autodidata em História). Um diploma(documento) que é necessário sim na nossa sociedade burocrática, não só para fazer concursos, ou conseguir emprego mas até para ser respeitado(isso vale até pra dentro de casa).Estou começando Licenciatura em História pela UNOPAR(tem um polo na minha cidade por minha sorte).Masexistem outras instituições do tipo. É a tendência do futuro o ensino à distância.Num futuro não muito distante as universidades serão virtuais com polos apenas para instruções, até o mundo do comércio físico(lojas) se encaminha para o desaparecimento das lojas físicas. Posso citar Magazine Luiza, Lojas Colombo, Wal Mart que tem as suas lojas virutais que superam em tudo as físicas(entregão mais rápido,preços melhores e oferecem mais opções de pagamentos modelos e marcas). Ainda há preconceito com oensino à distância mas é um caminho que não tem volta.Viva a tecnologia!

  17. Lays Matos Neri

    Eu aprendi inglês sozinha. E no meu trabalho, quando eu disse que sabia falar inglês, me perguntaram onde eu fiz curso. Quando eu disse que não tive um professor e nem participei de um curso, a pessoa simplesmente disse: “Ah tá, então é aquele inglês básico de escola.” Se você não tem um diploma, as pessoas não levam fé. Mesmo sabendo que muitas pessoas tem diploma, mas ainda assim, não conseguem por exemplo, traduzir, conversar normalmente, escrever bem. O pior é quando me perguntam: E como você aprendeu sozinha? Cadernos de exercícios? Livros? Estudou bastante então, hein? Esforçada! Eu: Não.. Ouvindo música, assistindo filmes e seriados, entrando em salas de bate-papo e conversando com professores de inglês e pessoas que faziam curso de inglês. Em nenhum momento eu peguei em um livro, estudei, fiz exercícios. E na escola regular, eu também não prestava atenção nas aulas. rs

  18. Sifu Gabriel

    Pra quem quer ser empregado até que um título faz diferença. Agora pra quem vai ser empresário nem tanto.
    O conjunto de regras que regem a vida de um empresário é radicalmente diferente do conjunto de regras que regem um empregado.

  19. Pablo

    Olá pessoal…
    Eu sou autodidata, o que eu tenho na minha frente aprendo. Porem, tem varias questões desfavoráveis: a primeira e que de tantas coisas que sei fazer, as vezes não faço nenhuma.
    Tenho muita facilidade com idiomas, com esportes, com coisas que na verdade me interessam. Principalmente com arte e coisas manuais.
    Hoje em dia estou desempregado, frustrado, me preguntando como e possivel uma pessoa com a minha capacidade se encontrar nesta situação.
    Tenho 25 anos, sou casado, estrangeiro e com uma vida cheia de conhecimento porem frustrado. Tenham um otimo dia!! –Pablo M–

  20. L

    Olá a todos!
    Sou autodidata, porém só me destaco em aprendizados que me tragam interesse. Sou especialista em projetos industriais 3D e atuo em uma empresa de Porte mundial. Tive que vencer muitos preconceitos, principalmente do que chamo (lixo-humano), ou seja, daquelas pessoas que acham que autodidatas são burros, e que quem tem diploma é inteligente.

    SEMPRE ACHEI QUE AS SALAS DE AULAS ERAM UM LIMITADOR PARA MIM.

    tenho uma remuneração superior a de um engenheiro, pois na minha área de atuação existem poucos especialistas, e por ironia do destino, a grande maioria formados.

    Tenho uma empresa a 11 anos, e estou em via de abrir mais uma (estou apenas esperando que o mercado dê o sinal certo).

    Aprendi a falar e a escrever fluentemente em Inglês, e o que me ajudou foi o fato de que eu tive uma banda de metal no Brasil, aonde eu era um dos compositores.

    A única vez que precisei ser entrevistado em uma entrevista de RH acabei por não aceitar o cargo, devido a baixa remuneração. O que acabei identificando foi que os setores de RH geralmente não sabem nada de profissões especializadas, pelo menos na minha área, e acabam por servir apenas como um limitador no desenvolvimento da remuneração dos profissionais.

    Considero o Curso de RH focado para aqueles que não servem para nada, mas vivem de aparências.

    Países como o Brasil, ainda desperdiçam várias mãos de obras geniais de auto didatas por quererem seguir os padrões de RH que as empresas de primeiro mundo sugerem. Porém as nações mais desenvolvidas não desperdiçam tais talentos.

    Também vale lembrar que nesta grande empresa que trabalho (grande mesmo), após eu ter recusado a remuneração indicada, vieram com um papo que não iam me contratar mesmo pois eu não tinha uma formação oficial (que não existe especificamente para minha área), mas continuaram a me contratar como PJ (Pessoa Jurídica), sendo que ano que vem farei 10 anos de contratação. Bom, acabaram por contratar um profissional Técnico Mecânico, que foi alfabetizado aos 7 anos, não sabe escrever uma frase sem errar, não possui o perfil para a vaga e ainda estão me forçando a ensinar tudo o que sei a este profissional!

    Estão expondo eu e este outro profissional a assédio moral.

    Para que um país como o Brasil mude, as corporações também precisam mudar, o que impacta na maneira com que o RH das mesmas encaram um profissional que sim, trará retorno financeiro para a empresa.

    Resumindo,

    Sou o tipo de cara que precisa trabalhar em um ambiente aonde a criatividade seja extremamente valorizada.

    Att.

    L

  21. L

    Estudo formal é para quem precisa.

  22. Matt

    O problema é o jeito que vemos o mercado de trabalho. No Mercado de Trabalho, a mão de obra é um produto, o trabalhador está vendendo e a empresa está comprando. As formações acadêmicas servem pra melhorar esse produto, diferenciá-lo, facilitar a venda, rareá-lo, aumentar o valor dele.

    Vejo gente que faz um monte de formação e tem um produto (trabalho) de baixo valor enquanto outros estão com formação básica, às vezes só técnico ou autodidata e com trabalho de alto valor.

    É aquela velha história, nós não estamos pedindo desesperadamente às empresas que nos contratem, não estamos contando com a sorte nem nada disso. Nós estamos vendendo um produto, nossa mão de obra, um produto que obedece a lei de oferta e procura.

    O problema no Brasil é que eles exigem todos os comprovantes de que “esse produto vale mais do que aquele” (essa mão de obra vale mais do que aquela) e nisso as empresas que saem perdendo, porque podem estar deixando passar justamente a solução que estavam procurando.

  23. Zea Silva

    Pois eu pergunto, apenas para acalorar a discussão: você iria num médico ou advogado autodidata? Pois temos alguns órgãos classistas que contribuem para o exercício de determinadas profissões, atribuindo ao profissional certas responsabilidades civis. Você, contudo, pode me dizer que alguns médicos (somente como exemplo!) são incompetentes -concordo, mas o exercício regulamentado dá-lhe responsabilidades e deveres que podem ser cobrados pela sociedade.
    Acredito que TODO ser humano pode desenvolver atividades partindo de conhecimentos teóricos e práticos, mas devemos nos lembrar que os primatas também aprendem pela repetição, desencadeada pela necessidade, porém isso não os torna mais humanos.
    Portanto, pare de dar desculpa e ter autopiedade ou, no extremo inverso, achar-se superior pois aprendeu algo sozinho. O exercício ilegal de profissões é falsidade ideológica, sujeito a penalidades da lei.

  24. Alexandre Costa

    Meu Deus… Ja me considerava incompetente antes de ler esta matéria. Agora me considero um BURRO!! Não consigo enxergar nenhuma dessas inteligências no meu dia a dia.

Gostou desta Matéria? Receba as atualizações por Email!

Você também pode se cadastrar e receber todas as nossas atualizações no seu e-mail:

É o Guia da Carreira trabalhando para levar educação e informação de qualidade para ainda mais pessoas.


 

Deixe um Comentário:

Nome

 
Simulados Online
Simulado Fuvest 2008 - Guia da Carreira

Simulado da Fuvest

Faça o Simulado da Fuvest teste seus conhecimentos e prepare-se melhor para o Vestibular!

Fazer este Simulado...
 
Simulado Detran - Guia da Carreira

Simulado DETRAN

Teste seus conhecimentos e prepare-se melhor com o Simulado do Detran do Guia da Carreira!

Fazer este Simulado...
 
 
Guia no Twitter
-

Dicas e Notícias – Carreiras

Cadastre-se na nossa newsletter e receba dicas de educação, orientação profissional e muito mais!