dcsimg

Pretensão salarial – o que responder?

Estas dicas vão ajudar você a sair da saia-justa e se dar bem na hora de responder a pretensão salarial!

I want be rich

Discutir sobre salário ainda é um tabu. As pessoas, em geral, sentem um certo desconforto ao conversar sobre o assunto.

Muitas empresas não colocam a informação sobre o salário na descrição da vaga, e a maioria dos candidatos não está preparada para responder a essa pergunta.

Mesmo tentando adiar o momento de falar sobre a pretensão salarial, na prática, é difícil escapar do tema. Mais cedo ou mais tarde precisaremos falar sobre nossa expectativa salarial.

Portanto, esteja sempre preparado, pense sobre sua carreira e suas necessidades. Saber quanto você pretende ganhar também irá ajudá-lo nos casos em que a empresa divulga de antemão o salário para aquela vaga. Assim você fica sabendo se o valor informado está dentro de suas expectativas e possibilidades.

Para não engasgar na hora de responder a essa “temível” pergunta, fique atento a estas dicas!

Quando falar sobre pretensão salarial

Qual o momento certo de falar sobre a pretensão salarial? Os especialistas recomendam: só quando for perguntado.

Não informe sua pretensão salarial no currículo, só faça isso no caso de a empresa exigir. No momento da entrevista, procure saber mais informações sobre a empresa, a vaga a ser ocupada, benefícios e oportunidades de crescimento. Espere o entrevistador fazer a pergunta para só depois responder sobre quanto pretende ganhar.

Como calcular a pretensão salarial?

Evite ser pego de surpresa e chegue na entrevista com uma ideia do valor que pretende receber. Para calcular sua pretensão salarial, siga estas dicas:

1. Pesquise a média salarial. É importante saber quanto o mercado está pagando por profissionais da sua área e com a sua experiência. Pesquise o piso salarial do cargo pretendido em relação ao porte da empresa (pequena, média ou grande).

Conversar com colegas pode ajudar bastante. Para não ser invasivo, evite perguntar o salário de seu colega, prefira perguntar quanto você poderá informar como pretensão salarial para a vaga que está concorrendo. Certamente ele irá responder baseado em suas experiências profissionais, e isso lhe dará uma noção sobre os salários que estão sendo praticados.

2. Custo de vida. Para estabelecer um valor realista, você deve levar em conta o custo de vida da região onde irá trabalhar. Fique atento para não informar um valor elevado demais, um profissional que trabalha em uma grande capital terá um salário maior do que o mesmo profissional de uma cidade do interior.

Saber os seus gastos fixos (com moradia, alimentação, transporte etc.) é essencial para estabelecer um salário que atenderá as suas necessidades.

3. Sua experiência conta. Sua pretensão salarial deve estar de acordo com o momento de sua carreira. Se você é iniciante, as empresas costumam oferecer o mínimo estabelecido para a categoria.

Agora, se você já possui certa experiência, pode aumentar um pouco sua pretensão salarial, pois os resultados obtidos anteriormente tendem a justificar esse aumento.

4. Saiba sua situação atual. A situação em que você se encontra também afeta a pretensão salarial. Por exemplo, se você está desempregado há algum tempo, é prudente ficar próximo da média salarial.

Pode acontecer de você estar empregado e em negociação com outra empresa. Neste caso é possível pedir um pouco mais.

5. Cuidado para não ficar abaixo do valor de mercado.  O mercado regula a oferta salarial de acordo com a demanda por profissionais. Procure pesquisar sobre a oferta de profissionais com a sua qualificação e não peça menos do que o mercado oferece só para ser escolhido. Colocar um valor baixo na pretensão salarial não é garantia de vaga!

6. Nada de valores estratosféricos. Pedir um valor muito alto e fora do mercado, pensando em depois negociar, não é uma boa estratégia. A empresa pode entender que você não irá se contentar com menos e nem tentar fazer uma proposta.

Como negociar o salário?

O processo seletivo avançou, você tem grandes chances de ser escolhido e chegou a hora de negociar o salário com seu futuro empregador. Mesmo com uma pretensão salarial clara em mente, você deve tomar alguns cuidados:

1. Seja firme ao falar. Quando for questionado sobre salário, fale com firmeza e de forma direta. Não fique fazendo rodeios ou sendo evasivo. A entonação também conta muito, procure ser o mais natural possível. Nada de falar como se estivesse com vergonha do valor pedido ou de forma prepotente, como se dissesse: “nem pense em me oferecer menos que isso”.

2. Não diga valores exatos. Evite informar um valor em números, procure falar em salários mínimos e, de preferência, informe a faixa salarial que você se enquadra (ex.: de 8 a 10 salários mínimos). Isso dará uma margem de negociação para ambas as partes.

É importante que você passe a imagem de ter noção do seu valor em relação à posição que irá ocupar.

3. Não aceite menos… É importante que você saiba qual o valor mínimo que irá satisfazer suas necessidades e não aceite menos que isso. Pois, em pouco tempo, é provável que você esteja descontente e novamente buscando outro emprego. Só faça isso em último caso, se não for possível esperar nem mais um pouco por outra oportunidade.

4. … mas fique de olho nas oportunidades de crescimento. Às vezes, um salário um pouco abaixo da sua pretensão (mas o suficiente para você ficar confortável) pode ser mais interessante do que uma remuneração alta. Como isso é possível?  Avalie bem as oportunidades que aquela vaga vai oferecer: benefícios, possibilidade de subir na carreira, oportunidade de ter sua primeira experiência como gestor de pessoas, viagens internacionais e desenvolvimento profissional são alguns dos fatores que podem ser vantajosos para você.  Quando informar sua pretensão salarial, deixe claro que está aberto a ouvir sobre as oportunidades de crescimento. Você pode se surpreender e até conseguir uma promoção antes do que imagina!

Veja também:

5 perguntas que você precisa saber responder na entrevista de emprego

Gostou das dicas? Já sabe como responder a sua pretensão salarial?

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin