dcsimg

O jovem e a influência sobre a sociedade

Entenda o impacto dos jovens diante a sociedade, os formadores de opinião entre 18 e 24 anos e as características perante as diversas gerações.

Os jovens e seu poder invisível

Pessoas entre 18 e 24 anos tem a capacidade de inovar a maneira de pensar e agir de toda uma sociedade, capazes de mudar o estilo de vida e moldar gerações futuras. São os jovens que costumam quebrar tabus e impor mudanças na forma como as outras gerações, mais velhas e mais novas, pensam e se comportam.
Após a segunda guerra mundial, o mundo acompanhou uma explosão populacional. Daí surgiu a expressão baby boom (em tradução livre, explosão de crianças). A geração nascida nas décadas de 40 e 50, os baby boomers, foram os hippies, os defensores da paz e do amor, os criadores dos grandes festivais de música. A luta incessante dessa geração por liberdade e pelos ideais que acreditava continua influenciando pessoas até hoje.
Os filhos dos baby boomers, geração nascida nas décadas de 60 e 70, conhecida como geração X, conseguiu ter um poder aquisitivo maior do que a geração de seus pais. Em contraste a geração anterior, valoriza mais a individualidade e é também chamada de geração competitiva. É bastante influenciada por marketing e publicidades.
Finalmente, chegamos a geração de jovens de hoje em dia, a Geração Y. Apesar de não terem nascidos diante a internet como a geração Z, tiveram oportunidade de acompanhar todo o desenvolvimento da mesma, acompanhando o excesso de informação, a super conectividade. Essa facilidade de acesso a qualquer tipo de coisa e pessoa formou uma geração extremamente ansiosa. Não é incomum que Ys comecem a fazer uma coisa e terminem fazendo outra completamente diferente. Não conseguem esperar que o sucesso vá até eles, preferem criar as oportunidades.
Essa geração sequer se comunica da mesma maneira que as gerações antigas. Em função da internet, é comum o uso de uma linguagem mais despojada e mais informal. Símbolos tomam lugar de palavras para expressão de sentimentos. Os Ys não querem ser radicais e idealistas como os boomers, normais comos Xs. Querem ter diferenciais, querem conhecer mais coisas ao mesmo tempo. Um Y pode ser designer, redator, cinéfilo, ir a raves e ouvir música clássica em casa, por exemplo.

A geração Y no mercado de trabalho

A participação de um Y no mercado e seu comportamento é completamente diferente das gerações anteriores. Para reter talentos, empresas estão modificiando suas culturas e formas de trabalho. Dinâmicos, os Ys não se prendem por planos de carreira rígidos e benefícios básicos. Procuram sempre novos desafios, novas formas de agregar e aplicar conhecimentos.
Também por reflexo do excesso de conhecimento, não lidam bem com hierarquias rígidas. Liderar equipes formadas por profissionais jovens passou a ser mais um exercício de influência do que de simples delegação de tarefas. É mais fácil conseguir extrair o melhor de um colaborador da geração Y quando ele se sente parte, quando ele tem a visão do todo e não apenas das tarefas que são incubidas a ele. Profissionais dessa geração são mais adaptáveis a novas funções mas vem exigindo cada vez mais que seus superiores se adaptem a eles para que se comprometam e se sintam parte da equipe.
O conceito de produtividade do jovem de hoje em dia é diferente. Bater cartão e ter horários, passar o dia inteiro executando tarefas menores não são o que essa geração quer. São profissionais que pensam “fora da caixa”, que são capazes de passar o dia navegando na internet, conversando com outros colaboradores para em duas horas de trabalho conseguir chegar a solução de um problema. São profissionais mais ligados a estratégia do que a operacional, trabalham com o cérebro muito melhor do que trabalham com os braços.

O que os Ys procuram em uma empresa

Ambiente descontraído, home office, horários flexíveis, bonificação por desempenho, desafios, feedback, elogios. Essas palavras soltas parecem a descrição do trabalho dos sonhos de um Y. Esse tipo de profissional não busca somente uma boa remuneração, busca qualidade de vida e paixão pelo que faz.
Manter um jovem desses trabalhando no regime tradicional não é impossível mas o risco de que ele perca a vontade de trabalhar é enorme. Esses profissionais querem sentir que fazem a diferença.
Os Ys são pragmáticos, responsáveis, compRometidos, auto motiváveis, inovadores. Quem não quer ter alguém assim em sua equipe? Os atuais líderes nas empresas, geralmente pessoas da geração X, estão se adaptando por saber que a tendência natural é que um Y será o próximo líder.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin