dcsimg

10 profissões que estão em alta mesmo na crise

Descubra quais áreas seguem firmes e fortes mesmo com a economia desacelerada!

Carreira

O assunto nos jornais é um só: a tal crise política e financeira que abala o Brasil. Depois de uma década de forte crescimento, entramos numa fase de desaceleração e, infelizmente, o mercado de trabalho é afetado por essas condições.

Mas “é na crise que surgem as oportunidades”, dizem os especialistas. E nessa onda, muitas carreiras têm prosperado independentemente do cenário econômico e político atual do País.

São profissões ligadas à gestão, tecnologia, finanças, saúde e alimentação. Esse grupo tem dado muito certo no mercado de trabalho e está apontando novos caminhos e soluções para passar por esse momento.

Conheça a seguir as 10 profissões que estão em alta mesmo na crise. Veja também onde estudar para ingressar em uma dessas carreiras!

1. Profissionais da Saúde

Formação necessária: Medicina, Odontologia, Fisioterapia, Psicologia e Enfermagem.

Saúde é uma área imune a crises. Seja na economia mais forte ou em meio às recessões mais graves, as pessoas continuam a precisar de médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas e dentistas. Os salários dos médicos e dentistas estão, inclusive, entre os mais altos do Brasil. No mesmo ritmo, psicólogos tiveram um dos maiores aumentos salariais nas últimas décadas. Fora isso, a empregabilidade na área também é alta – dificilmente você encontra um desses profissionais sem trabalho.

2. Planejamento e Gestão Financeira

Formação necessária: Economia, Ciências Contábeis, Administração, Gestão Financeira.

Quanto mais difícil está a economia, maior é o desafio para as empresas sobreviverem num cenário adverso. É necessário otimizar gastos, saber investir corretamente e, sobretudo, planejar muito bem os passos seguintes. O profissional especializado em planejamento e gestão financeira encontra um terreno fértil em tempos de crise. É dele a responsabilidade de manter a saúde financeira de instituições públicas e privadas para que possam atravessar o momento sem grandes perdas.

3. Administradores

Formação necessária: Administração.

Administradores que sabem como conduzir uma empresa em tempos de crise estão sendo contratados a peso de ouro no mercado. Isso porque a diminuição da atividade econômica exige medidas estratégicas para manter a organização funcionando, com enxugamento de despesas, reposicionamento no mercado, análise da concorrência, novos produtos e serviços, etc.

4. Marketing

Formação necessária: Marketing (bacharelado ou tecnólogo), Comunicação Social.

Saber ouvir a clientela, rever produtos, reposicionar marcas, acompanhar a concorrência e estabelecer uma comunicação mais efetiva com o seu público-alvo são alguns dos desafios que os profissionais de Marketing têm em mãos em tempos de crise. Quem consegue entender bem como funciona o mercado em desaceleração tem uma ampla gama de opções de trabalho.

5. Compras

Formação necessária: Comércio Exterior, Relações Internacionais, Gestão Comercial.

Durante a crise, uma das mais importantes atividades para se manter no mercado é a negociação. É nessa hora que a gente percebe a importância do profissional de Compras. Sob sua responsabilidade estão: negociar com fornecedores, renegociar contratos, avaliar aquisições e sair à caça de novas oportunidades – do outro lado do mundo, se for preciso. Em resumo, quem trabalha nesta área torna-se uma peça estratégica para redução de despesas – e, consequentemente, passa a ser ainda mais valorizado no mercado de trabalho.

6. Recursos Humanos e Recrutamento

Formação Necessária: Psicologia, Serviço Social, Administração, Gestão de Recursos Humanos.

Uma crise econômica mexe com toda a estrutura de uma empresa. É um desafio e tanto para os profissionais que atuam em Recursos Humanos. Às vezes, eles são solicitados para a pior das tarefas: demitir pessoas, redimensionar setores, excluir áreas, etc. Para isso, é preciso saber exatamente o que se está fazendo – os prejuízos decorrentes de uma ação dessa natureza podem ser incalculáveis. Por outro lado, é preciso também saber exatamente quem contratar, para garantir que a empresa estará fazendo uma boa aposta. Em tempos de economia incerta, é uma profissão muito demandada.

7. Tecnologia da Informação

Formação necessária: Engenharia de Computação, Ciências da Computação, Gestão da Tecnologia da Informação, Redes de Computadores, Bancos de Dados, Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

A Tecnologia da Informação segue em ascensão, independentemente do cenário financeiro. Os profissionais desta área são considerados os “médicos” da tecnologia e estão sempre ocupados tratando da saúde de redes, máquinas e bancos de dados. Além de bons salários, é uma carreira com alta empregabilidade e carência de profissionais qualificados.

8. Biotecnologia

Formação necessária: Biotecnologia, Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, Química com Ênfase em Biotecnologia, Ciências Biológicas: Biotecnologia.

A área de pesquisa e desenvolvimento em Biotecnologia segue de vento em popa. Nas indústrias, o profissional desta área tem por meta encontrar soluções mais rentáveis para a criação, transformação e conservação de produtos alimentícios, cosméticos e farmacêuticos. Na agropecuária, responde pelo fortalecimento de espécies de plantas e animais, controle de qualidade e tratamento de resíduos.

9. Logística

Formação necessária: Logística, Engenharia de Transporte e Logística, Engenharia Ferroviária e Logística, Engenharia de Produção.

Talvez você já tenha ouvido a história da azeitona no avião. Se não, vale a pena conhecer: certa vez um executivo da aviação percebeu que a maioria dos passageiros não comia a azeitona que acompanhava a salada servida a bordo. Eliminando a azeitona, a empresa conseguiu economizar uma quantia milionária por ano! Se a história ou os valores são verdadeiros, não se sabe exatamente. Mas o fato é que esse seria um trabalho típico de um logístico, o profissional que consegue tirar do caminho aquilo que gera gastos extras e oferecer um produto ou serviço exemplar com o menor custo. É o tipo de profissional estratégico que toda empresa deseja, especialmente em tempos de crise.

10. Agronegócio

Formação necessária: Agronomia (bacharelado), Engenharia Agronômica, Agronomia (tecnólogo), Agroindústria, Agroecologia.

Faça sol ou faça chuva, na crise ou na abundância econômica, o Agronegócio está sempre lá, atendendo às demandas de uma população que não para de crescer (e de comer!). Quem trabalha no setor da agricultura ou pecuária tem um desafio a contornar: é preciso produzir mais por menos, atingir novos mercados e modernizar-se. Aqueles que detêm o conhecimento necessário para uma boa prática agrícola estão sendo bastante disputado neste mercado.

Onde estudar

Se você está interessado em uma das carreiras que seguem em alta mesmo na crise, saiba que a oferta de cursos é grande nas principais instituições públicas e privadas do Brasil.

A dica é escolher uma universidade que seja reconhecida e bem avaliada pelo Ministério da Educação (MEC). Conheça algumas das principais!

Universidades Privadas:

Universidades Públicas:

Veja também:

Veja 7 dicas pra ficar rico

Vai apostar em alguma dessas carreiras? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin