dcsimg

Tudo o que você precisa saber sobre Psicologia do Trabalho

Quer trabalhar com Psicologia do Trabalho – ou psicologia Organizacional? Descubra como é a carreira e o que fazer para ingressar nessa área!

A Psicologia do Trabalho observa e age sobre os aspectos psicológicos das pessoas em sua relação com o trabalho: desde a seleção e contratação até a satisfação com o ambiente laboral e a adequação às tarefas executadas.

Todo trabalhador também é um indivíduo, e deve ser visto a partir de suas particularidades. Aproveitar o potencial de cada um e ajudar a resolver conflitos e insatisfações são atribuições que fazem parte do papel de um psicólogo do trabalho.

Se você está interessado em saber mais sobre essa área, fique aqui com a gente. Vamos contar tudo sobre a carreira em Psicologia do Trabalho: o que faz esse profissional, quanto pode ganhar e onde estudar para entrar nesse mercado!

O que é Psicologia do Trabalho?

A função mais conhecida da Psicologia do Trabalho (por vezes também chamada de Psicologia Organizacional) está relacionada ao setor de Recursos Humanos das empresas, com a aplicação de testes psicológicos para o recrutamento de pessoal.

Mas suas atribuições vão muito além disso, pois o psicólogo do trabalho também:

  • Atua na preparação e orientação psicológica do trabalhador recém-contratado, que irá assumir sua atividade em um novo ambiente.
  • Auxilia na elaboração ou melhoria do plano de carreira do trabalhador.
  • Observa as relações dentro da empresa – dos funcionários com os instrumentos de trabalho, com seus superiores, com o ambiente e com os outros colaboradores –, intervindo quando necessário.

O objetivo geral desse profissional é promover a qualidade de vida dentro das organizações. Para isso, leva em conta a personalidade dos trabalhadores, além de estudar e conhecer seus talentos individuais para que possam desenvolver ao máximo seu potencial. Isso resulta em maior satisfação pessoal do funcionário e tem impacto positivo nos resultados da empresa.

Dentro de uma organização onde convivem pessoas diferentes durante cerca de oito horas diárias, sofrendo pressão para obter resultados, a carga de fenômenos psicológicos é intensa e variada. Cabe ao psicólogo do trabalho compreender e administrar todas essas situações em prol da saúde mental do trabalhador e também da saúde organizacional, em seus aspectos de produtividade e qualidade.

O trabalho não é somente um meio de ganhar dinheiro, chega a fazer parte da própria personalidade das pessoas – muitos de nós somos identificados por nossas profissões. Sentir-se bem com seu emprego, portanto, é fundamental para sentir-se bem consigo mesmo. Daí a elevada importância social e humana que tem o psicólogo do trabalho.

Os profissionais da Psicologia do Trabalho têm um campo bastante amplo de colocação no mercado. Podem trabalhar em empresas dos mais variados segmentos, no serviço público, em escritórios de consultoria e ainda no meio universitário, dedicando-se a pesquisas acadêmicas.

Qual o salário de um psicólogo do trabalho?

O Guia de Profissões e Salários do site de empregos Catho aponta o valor de R$ 2.175 como média salarial nacional de um psicólogo do trabalho. Esse número, no entanto, pode sofrer variações conforme o tempo de experiência do profissional, o porte da empresa e a região do Brasil (em Brasília e nas capitais do Sul e Sudeste os salários podem ser maiores do que em outras partes do país).

De acordo com a pesquisa salarial do Site Nacional de Empregos (SINE), um psicólogo do trabalho iniciante, trabalhando em uma pequena empresa, ganha em torno de R$ 1.800. Se a empresa for de grande porte, o valor já sobe para R$ 3.000. Esses salários vão se elevando de acordo com os anos de experiência, até chegarem a mais de R$ 7.000 para um psicólogo do trabalho sênior (com mais de oito anos no mercado).

Como se tornar um psicólogo do trabalho?

O primeiro passo para se tornar um psicólogo do trabalho, como você já deve suspeitar, é concluir uma faculdade de Psicologia. Há dois tipos possíveis de formação: bacharelado ou licenciatura. Para o caso do psicólogo do trabalho, indicamos apostar no bacharelado, já que o curso de licenciatura tem foco na formação de profissionais para o universo da educação (um psicólogo que queira trabalhar com formação pedagógica ou orientação educacional, por exemplo).

Os bacharelados em Psicologia têm duração de cinco anos e uma grade curricular extensa, que abrange disciplinas teóricas, práticas e aulas em laboratório. A maioria delas está ligada diretamente às áreas da Psicologia e da Saúde, mas também há algumas matérias que têm a ver com Ciências Humanas e até com Exatas. Veja uma pequena amostra:

  • Anatomia
  • Sociologia
  • Filosofia
  • Antropologia
  • Processos Cognitivos
  • Estatística
  • Psicofisiologia
  • Psicopatologia
  • Neuropsicologia
  • Psicologia Social
  • Psicologia Organizacional

Fora isso, no decorrer do curso você terá que fazer os estágios obrigatórios supervisionados, uma excelente oportunidade de entrar em contato direto com a profissão. E para se formar é necessário elaborar e apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

A oferta de graduações em Psicologia é alta. São quase 700 cursos de bacharelado em universidades de várias partes do Brasil. Isso significa que você deve ter bastante cuidado na hora de escolher. Procure saber sobre a reputação da faculdade e a satisfação dos alunos e de profissionais já formados, sempre que possível. Informe-se também sobre a infraestrutura da faculdade, visitando o edifício e vendo com os próprios olhos como são as salas de aula, laboratórios, biblioteca, etc.

E não se esqueça: o mais importante é verificar se o curso está credenciado pelo Ministério da Educação (MEC), pois somente assim o seu diploma terá validade em todo o Brasil.

Acabada a faculdade, você terá que se inscrever no Conselho Regional de Psicologia (CRP) do seu estado. Para conseguir o CRP não é necessário fazer nenhuma prova. Basta apresentar o diploma da graduação, o histórico escolar e outros documentos pessoais.

Em seguida, para se tornar um psicólogo do trabalho, é legal procurar uma especialização. Há boas opções de cursos no país, presenciais e a distância. Lembre-se de que, em sua pesquisa, você pode procurar por Psicologia do Trabalho ou Psicologia Organizacional. Os cursos de pós-graduação mais comuns oferecidos pelas universidades são os chamados lato sensu, que duram em média dois anos.

Outra forma de se especializar em Psicologia do Trabalho é prestando as provas do Conselho Federal de Psicologia (CFP) para a obtenção do Título de Profissional Especialista em Psicologia. Para isso você tem que ter pelo menos dois anos de experiência profissional. E os exames do CFP têm a fama de serem difíceis, com provas teóricas e práticas.

Onde estudar Psicologia

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Psicologia:

Veja também:

Psicologia: profissão, carreira e mercado de trabalho

O que achou da carreira em Psicologia do Trabalho? Deixe o seu depoimento para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin