dcsimg

Descubra como é a carreira em Psicologia Educacional

Entenda como é a carreira em Psicologia Educacional, como está o mercado de trabalho e o que fazer para ingressar na profissão!

O objetivo principal do psicólogo educacional é auxiliar na melhoria da qualidade das atividades educacionais, com foco nos processos de desenvolvimento e aprendizagem.

O trabalho de Psicologia Educacional costuma acontecer dentro de instituições educativas, mas também pode se estender a outros ambientes, como o familiar e o social.

Se você acha interessante essa área, fique aqui com a gente. Você vai saber melhor o que é Psicologia Educacional, o que faz, onde trabalha e quanto ganha esse profissional, além de conhecer algumas faculdades onde iniciar a carreira!

O que é Psicologia Educacional?

Psicologia Educacional é um ramo da Psicologia voltado ao processo de ensino-aprendizagem. Tem o objetivo de melhorar esse mecanismo, tanto do ponto de vista da instituição como do aluno.

O trabalho envolve estratégias educacionais, observando o funcionamento da instituição educativa como um todo. Além disso, são tratados casos de dificuldade de aprendizagem, déficit de atenção, hiperatividade e problemas comportamentais, emocionais e de motivação.

A Psicologia Educacional estuda as mudanças de conduta surgidas nas pessoas em razão de suas relações com instituições educativas – e nesse caso consideram-se também as instituições não formais, como é o caso da família.

É necessário destacar que os mecanismos de aprendizagem não são exclusivos à infância, mas se prolongam por toda a vida. Assim, em certos casos, adolescentes, adultos e até mesmo idosos também podem ser atendidos por psicólogos educacionais.

Entre os pontos trabalhados pelo psicólogo educacional, estão:

  • O desenvolvimento humano
  • As habilidades mentais
  • As capacidades cognitivas (de aprendizagem)
  • Os papéis sociais atribuídos a cada grupo ou indivíduo
  • As condutas morais e afetivas
  • As crenças sobre a própria utilidade e aplicação dos conteúdos aprendidos

O trabalho do psicólogo educacional envolve ainda:

  • Criação de relações positivas entre estudantes e professores, bem como entre os próprios alunos.
  • Promoção de um comportamento adequado perante as tarefas apresentadas.
  • Apoio a alunos que demonstram distúrbios psicossociais persistentes.
  • Assessoria na elaboração de métodos de ensino, planos de estudo e projetos pedagógicos.
  • Auxílio a professores em sua abordagem em sala de aula.

O profissional da Psicologia Educacional pode aplicar diversas teorias em sua rotina de trabalho. Dentre elas, podemos citar:

  • Behaviorismo
  • Construtivismo
  • Teorias motivacionais
  • Cognitivismo

 

Nomes como o do suíço Jean Piaget ou o da italiana Maria Montessori são referências no ramo. Esses dois psicólogos – que também se destacavam em outras áreas do saber – contribuíram de forma decisiva para o desenvolvimento do que hoje conhecemos como Psicologia Educacional. Certamente você ouvirá falar muito deles em sua vida acadêmica, caso opte por essa carreira.

Qual é o salário de um psicólogo educacional?

O tema das médias salariais é sempre delicado e pressupõe uma grande responsabilidade, já que a expectativa salarial pode fazer com que muitos jovens apostem ou desistam de uma determinada carreira baseados apenas nessa informação.

Por isso, começamos com a afirmação de que médias são apenas médias, sujeitas a inúmeros fatores que podem modificá-las. Os mais comuns são: tempo de experiência profissional (psicólogo júnior, pleno e sênior, por exemplo), região do país e porte da empresa empregadora.

Segundo a pesquisa salarial do site Catho, especializado em empregos e mercado de trabalho, a média salarial nacional de um psicólogo educacional é de R$ 2.012.

Já o Site Nacional de Empregos (SINE) traz cifras mais detalhadas. Um psicólogo educacional júnior em uma empresa de grande porte recebe cerca de R$ 3.000. Esse salário chega facilmente a R$ 6.000 para um profissional com mais de oito anos de experiência, o chamado sênior.

Outro detalhe a observar é que, nesse campo, é relativamente comum que o psicólogo acumule mais de um trabalho, em mais de uma instituição educacional, siga o caminho da consultoria ou dedique-se a atender pessoas em consultório próprio. Nesses casos, as possibilidades de ganho também aumentam.

Como se tornar um psicólogo educacional?

O primeiro passo é claro: formar-se em uma faculdade de Psicologia. Das muitas que existem no Brasil, é necessário fazer uma pequena triagem que leve em conta a reputação e a qualidade da instituição. Mas a primeira e mais importante informação que você deve conseguir é se o curso tem as credenciais do Ministério da Educação (MEC) para funcionar. Só com o aval do MEC seu diploma será válido e reconhecido no mercado de trabalho.

A graduação em Psicologia dura em média quatro anos e pode ser oferecida em dois graus distintos: bacharelado e licenciatura. O bacharelado fornece uma visão mais generalista da profissão, que prepara o aluno para trabalhar especificamente como psicólogo. Já a licenciatura, além da carga de conteúdos de Psicologia, trabalha também com disciplinas voltadas à Didática e à Pedagogia, preparando o futuro profissional para atuar no universo escolar, seja como orientador educacional ou na formação de professores.

A grade curricular da graduação – seja bacharelado ou licenciatura – é extensa e exigente. Requer muita leitura, raciocínio e também bastante sensibilidade. Na fase final do curso, começam os estágios supervisionados obrigatórios. É a hora de o estudante colocar a mão na massa e estabelecer contato com o mundo real da profissão.

Concluída a faculdade, um passo importante é a inscrição no Conselho Regional de Psicologia (CRP). Ser membro do CRP é condição imprescindível para o exercício da profissão de psicólogo no Brasil. A boa notícia é que para entrar no CRP não há a necessidade de fazer nenhuma prova. Eles solicitam apenas o seu diploma e outros documentos pessoais.

Com um mercado de trabalho cada vez mais apertado e concorrido (e isso vale para praticamente todas as profissões), a ordem é sair do lugar-comum. Nesse cenário, fazer uma pós-graduação é praticamente obrigatório para quem quer lutar por seu lugar ao sol. Existem alguns cursos de especialização em Psicologia Educacional nas universidades brasileiras, com duração média de dois anos.

Uma opção é obter o Título de Profissional Especialista em Psicologia junto ao Conselho Federal de Psicologia (CFP). São várias áreas disponíveis, entre elas a de Psicologia Escolar/Educacional, com amplo reconhecimento do mercado. Só que, para participar das provas – que são práticas e teóricas –, é preciso ter pelo menos dois anos de experiência comprovada na profissão.

Onde estudar Psicologia

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Psicologia:

Veja também:

Psicologia: profissão, carreira e mercado de trabalho

Psicologia Educacional é o seu caminho? Conte suas impressões aqui para a gente, nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin