dcsimg

Como está o mercado de trabalho para jornalistas?

Veja onde estão as oportunidades de trabalho para quem faz Jornalismo e as áreas que mais contratam estes profissionais!

Jornalismo, LetrasJornalismo é uma carreira bastante popular no Brasil e nas últimas décadas viu sua área de atuação diversificar-se ainda mais.

A boa notícia veio acompanhada de uma maior procura pelo curso e, consequentemente, maior concorrência. Embora haja um mercado amplo para jornalistas no Brasil, os grandes centros têm profissionais de sobra.

Por outro lado, a concorrência estimula os profissionais a buscarem novidades e correr atrás de áreas ainda pouco exploradas – e assim, apesar de estar saturado em alguns segmentos, o mercado para jornalistas vai expandindo e absorvendo mais mão de obra para atender às novas demandas.

Veja a seguir como está o mercado para jornalistas e onde encontrar as áreas de atuação mais quentes!

Mercado de trabalho para jornalistas

O mercado de trabalho para jornalistas é bastante diversificado. Tem oportunidades nos campos clássicos de atuação, como em jornais, rádio e TV, e também nos mais novos, como produção de informação específica para aparelhos móveis (celulares e tablets).

A concorrência é alta e o jornalista que quiser se destacar no mercado vai ter que mostrar que, além de talento, tem boa visão de mercado, antecipa tendências e consegue ser criativo nos mais diversos cenários.

O mercado de trabalho nos maiores e mais famosos canais de comunicação é bastante restrito. Para conseguir uma vaga de repórter de TV, por exemplo, é preciso perseverar bastante, começar em canais menores e provar que leva jeito para a coisa.

Quem se interessa por trabalhar em jornais e revistas impressos, tem que ficar de olho no mercado. Muitas empresas têm cortado custos e diminuído o volume e a circulação de seus produtos – reflexos de uma economia mais lenta e mudanças graduais nos hábitos de leitura do público consumidor.

As áreas mais fortes atualmente são: comunicação digital, comunicação institucional, assessoria de imprensa e gestão de pessoas e projetos. Veja o que faz cada uma delas:

Comunicação Digital

Aqui o jornalista atua produzindo notícias para diversos sites de informação na internet, respeitando a linguagem do meio e utilizando os recursos tecnológicos disponíveis.

Nesse ramo é cada vez mais comum ver profissionais com uma pegada multimídia, desempenhando múltiplas tarefas. São repórteres que fazem a filmagem, tiram fotografias, editam o material, escrevem e publicam a notícia, por exemplo.

Dominar tecnologias é um diferencial importante para quem atuar na área.

Outro campo forte da comunicação digital são as redes sociais, que cada vez mais ocupam o lugar dos meios de informação tradicionais. O jornalista tem que saber mexer nas principais plataformas (Facebook, Twitter, Snapchat, Instagram, etc.) e conhecer aplicativos que turbinam ou monitoram o alcance da informação (publicadores, medidores de audiência, estatísticas, etc.).

A comunicação digital geralmente atrai jornalistas mais jovens, que chegam à vida profissional com um bom conhecimento da linguagem e do uso dessas plataformas.

O campo é amplo especialmente nas funções de estagiário e repórter júnior. Para atuar como editor ou gestor de equipes será preciso mais experiência.

Comunicação Institucional

É a comunicação feita por uma equipe de jornalistas para empresas de médio e grande porte, podendo ser dirigida a funcionários, acionistas, clientes e/ou fornecedores.

A área tem atraído profissionais mais experientes, dado o nível de exigência das empresas em relação à circulação de informações internas. Também oferece bons salários.

Aqui, o jornalista é responsável por pensar, coletar e produzir informações de interesse institucional e distribuí-las por diversos canais, que podem ser jornais internos, intranet, e-mail corporativo, relatórios corporativos, mala direta para clientes e fornecedores, etc.

Assessoria de Imprensa e Comunicação

As assessorias de imprensa e de comunicação funcionam de forma semelhante à área de comunicação institucional. O jornalista cria um relacionamento importante entre a empresa onde trabalha e o mercado de comunicação. Embora sejam parecidas, a assessoria de imprensa é diferente da assessoria de comunicação. Entenda:

Assessoria de Imprensa – o jornalista atua como elo entre a empresa ou pessoa que representa e os meios de comunicação. É um profundo conhecedor de todos os detalhes dos clientes (a história, a evolução, a situação atual, projetos futuros, etc.) e, com essa informação em mãos, é capaz de elaborar estratégias de divulgação junto aos veículos de interesse. É uma atividade com forte presença entre empresas e políticos e, mais recentemente, tem sido bastante solicitada por celebridades e artistas. O assessor de imprensa também monitora tudo o que é falado sobre o seu cliente em diversos canais (clipping). Com isso, elabora relatórios e define planos de atuação para melhorar a imagem de sua clientela. Também define como o assessorado deve se portar diante de câmeras, repórteres e fotógrafos.

Assessoria de Comunicação – a assessoria de comunicação tem um leque de atuação mais amplo. Além de todas as atividades desempenhadas pela assessoria de imprensa, também conta com profissionais das áreas de relações públicas, publicidade e design. Eles têm a função de oferecer uma solução completa que inclui, além da produção e divulgação de notícias, o desenvolvimento de estratégias, relacionamento com potenciais clientes, realização de eventos, produção de conteúdos, peças publicitárias, redes sociais, etc.

Gestão de Pessoas e Projetos

Jornalistas que buscam cursos na área de gestão de pessoas e de projetos de comunicação encontram um mercado em ascensão, com boas possibilidades de ganhos. É que as empresas de comunicação preferem delegar essas atividades a quem tem conhecimento na área, em vez de deixar nas mãos de quem conhece os métodos de gestão mas não tem a menor ideia de como funciona esse mercado. Assim, eles ganham em qualidade e eficácia. Para entrar nessa área, é preciso investir em formação específica (MBAs, especializações, mestrados, etc.).

Sobre a carreira de jornalista

O Jornalismo é uma das profissões mais tradicionais do mundo. No Brasil, a área de trabalho é ampla, com oportunidades em todos os níveis.

A concorrência, como já dissemos, é grande, principalmente nos grandes centros urbanos. Para se dar bem nessa carreira, é preciso muito jogo de cintura e manter-se sempre atualizado, tanto em termos de informações quanto em tecnologias de comunicação.

Não é mais obrigatório ter diploma de Jornalista para exercer a profissão. No entanto, a imensa maioria das empresas prefere contratar profissionais formados em Jornalismo ou em Comunicação Social.

O curso é um bacharelado de quatro anos, facilmente encontrado nas faculdades públicas e privadas de todo o País.

Onde estudar para ser jornalista

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Jornalismo ou de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo:

Universidades Privadas:

Universidades Públicas

Veja também:

Saiba o que se estuda em jornalismo

O que achou do mercado para jornalistas? Está preparado para encarar esse desafio? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin