dcsimg

Conheça os cursos de Jornalismo mais baratos do Brasil

Descubra onde estudar Jornalismo pagando menos em várias regiões do Brasil!

jornalismo_600

Há quem diga que o Jornalismo é uma aventura: todo dia uma notícia diferente para escrever, novos fatos para investigar, pessoas para entrevistar e novidades para contar.

Não é raro encontrar o curso de Jornalismo (também conhecido como Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo) na lista dos mais concorridos. Por sorte, esta graduação também está disponível em um grande número de instituições de ensino superior em todos os recantos do País. A oferta é tanta que é possível se formar nesta área pagando a partir de R$ 300 mensais!

A graduação em Jornalismo dura quatro anos e habilita o profissional a atuar na busca, produção e divulgação de informações relevantes para a sociedade. O campo de trabalho dos jornalistas é bem amplo: vai desde as áreas mais tradicionais, como jornais e TV, até os mais atuais, como internet, mídias sociais e comunicação em dispositivos móveis.

Descubra a seguir onde estão os cursos mais baratos de Jornalismo em todas as regiões do Brasil!

Cursos de Jornalismo mais baratos do Brasil

Confira a lista dos cursos de Jornalismo mais baratos do País! Os valores são aproximados e podem mudar a qualquer momento, a critério da instituição de ensino. Para saber o preço exato da mensalidade, é recomendável consultar diretamente a universidade do seu interesse.

Alagoas (AL)

Instituto Maceió de Ensino e Cultura (FAA/IESA/IMEC) / Maceió – R$ 350

Amapá (AP)

Universidade Estácio de Sá (UNESA) / Macapá – R$ 650

Amazonas (AM)

Centro Universitário de Ensino Superior do Amazonas (CIESA) / Manaus – R$ 450

Bahia (BA)

Faculdade São Francisco de Juazeiro (FASJ) / Juazeiro – R$ 450

Ceará (CE)

Faculdade Cearense (FAC) / Fortaleza – R$ 500

Distrito Federal (DF)

Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas (FACITEC) / Brasília – R$ 700

Espírito Santo (ES)

Instituto de Ensino Superior e Formação Avançada de Vitória (FAVI) / Vitória – R$ 400

Goiás (GO)

Faculdade Lions (FAC-Lions) / Goiânia – R$ 350

Maranhão (MA)

Instituto Maranhense de Ensino e Cultura (IMEC) / São Luís – R$ 300

Mato Grosso (MT)

Instituto de Ensino Superior de Mato Grosso (IESMT) / Cuiabá – R$ 400

Mato Grosso do Sul (MS)

Instituto Campo Grande de Ensino Superior (ICGES) / Campo Grande – R$ 400

Minas Gerais (MG)

Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) / Barbacena – R$ 450

Pará (PA)

Instituto Esperança de Ensino Superior (IESPES) / Santarém – R$ 750

Paraíba (PB)

Faculdade Maurício de Nassau (UNINASSAU) / João Pessoa – R$ 600

Paraná (PR)

Instituto de Ensino Superior de Foz do Iguaçu (IESFI) / Foz do Iguaçu – R$ 400

Pernambuco (PE)

Faculdade Joaquim Nabuco (FJN)/ Recife – R$ 500

Piauí (PI)

Instituto de Educação Superior Raimundo Sá (IESRSA)/ Picos – R$ 550

Rio de Janeiro (RJ)

Universidade Cândido Mendes (UCAM) / Nova Friburgo – R$ 600

Rio Grande do Norte (RN)

Universidade Estácio de Sá (UNESA) / Natal – R$ 600

Rio Grande do Sul (RS)

Faculdade Cenecista de Bento Gonçalves (FACEBG) / Bento Gonçalves – R$ 1.000

Rondônia (RO)

Faculdade Interamericana de Porto Velho (UNIRON) / Porto Velho – R$ 700

Roraima (RR)

Universidade Estácio de Sá (UNESA) / Boa Vista – R$ 650

Santa Catarina (SC)

Instituto de Ensino Superior da Grande Florianópolis (IESGF) / São José – R$ 350

São Paulo (SP)

Instituto Taubaté de Ensino Superior (ITES) / Taubaté – R$ 400

Sergipe (SE)

Instituto Aracaju de Ensino e Cultura (IAEC) / Aracaju – R$ 400

Tocantins (TO)

Instituto de Ensino e Pesquisa Objetivo (IEPO) / Palmas – R$ 400

Alternativas às mensalidades do curso de Jornalismo

Mesmo as mensalidades mais baratas de Jornalismo podem pesar bastante no bolso de quem está com o orçamento apertado.

Para ajudar estudantes a conquistarem o sonho de fazer um curso superior, o Governo Federal oferece dois programas: o ProUni e o FIES.

Veja como funcionam:

ProUni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) oferece a possibilidade de alunos de baixa renda estudarem em boas universidades particulares através da concessão de dois tipos de bolsas de estudo:

  • Bolsa Integral (100%): destinada a candidatos com renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa.
  • Bolsa Parcial (50%): para pessoas com renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa.

Para concorrer ao benefício, é preciso ter obtido um desempenho mínimo de 450 pontos nas provas objetivas do Enem e nota acima de zero na redação.

O processo seletivo do ProUni é bem concorrido, especialmente em cursos muito procurados, como Jornalismo. Por isso, vale a pena estudar bastante para tirar uma boa nota no Enem. Isso aumentará substancialmente as chances de conseguir o benefício. As inscrições são gratuitas e abrem duas vezes por ano.

Entenda melhor: O que é ProUni?

FIES

A segunda alternativa é o FIES, o financiamento estudantil a juros baixos do Governo Federal. O grande atrativo desse benefício é poder pagar a dívida um ano e meio depois de formado, com prazo a perder de vista.

Para concorrer ao FIES é preciso ter tirado pelo menos 450 pontos na média das provas objetivas e não ter zerado na redação do Enem. São aceitas as notas de qualquer edição do exame a partir de 2010. Quanto maior a nota, maiores as chances.

Além disso, é preciso atender a requisitos de renda familiar bruta mensal (máximo de dois salários mínimos e meio por pessoa) e não ter diploma de curso superior.

As inscrições acontecem duas vezes ao ano, geralmente no início do semestre.

Entenda melhor: Como fazer o FIES

Vai fazer Jornalismo? Encontrou uma mensalidade que caiba no seu bolso? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin