dcsimg

Conheça os cursos de Medicina mais baratos do Brasil

Descubra onde estudar Medicina pagando menos em várias regiões do Brasil!

piggy_bank_600

Medicina é o curso mais desejado do Brasil. Nas universidades públicas e privadas aparece sempre entre os mais concorridos – na grande maioria das vezes, em primeiro lugar.

A razão para isso é a alta empregabilidade, além da possibilidade de ganhar excelentes salários – médicos possuem as médias salariais mais altas do País.

A graduação é a mais extensa das nossas universidades, com seis anos de duração para formar o médico generalista. Quem quiser obter o título de médico especializado (oftalmologista, dermatologista, cardiologista, etc.) deve estudar por mais dois ou três anos, pelo menos.

Também é um curso que exige dedicação em período integral, de forma que é praticamente impossível trabalhar e estudar ao mesmo tempo – o que torna a graduação ainda mais pesada para o bolso de quem pretende ingressar nesta carreira.

A média das mensalidades de Medicina é de R$ 4.700 reais – bastante salgada para os padrões nacionais. O custo elevado se deve ao fato de ser um curso que exige muito uso de laboratórios, materiais (muitas vezes importados) e um corpo docente super especializado.

Esta formação é oferecida somente na modalidade presencial. O MEC ainda não autorizou nenhum curso de Medicina EAD ou semipresencial, o que poderia aliviar um pouco os custos dessa faculdade.

De qualquer forma, é bom saber que existem cursos com mensalidades abaixo dessa média e descobrir as alternativas para estudar Medicina pagando menos – ou quase nada!

Veja a seguir quais são os cursos de Medicina mais baratos do Brasil!

Cursos de Medicina mais baratos do Brasil

Descubra abaixo onde estão os cursos de Medicina mais baratos do País. Lembre-se de que os valores são aproximados e podem mudar a qualquer momento, a critério da instituição de ensino.

Alagoas (AL)

Centro de Estudos Superiores de Maceió (CESMAC) / Maceió – R$ 5.100

Bahia (BA)

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP) / Salvador – R$ 3.300

Ceará (CE)

Universidade Estácio de Sá (UNESA) / Juazeiro do Norte – R$ 4.800

Distrito Federal (DF)

Universidade Católica de Brasília (UCB) / Brasília – R$ 4.900

Espírito Santo (ES)

Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM) – Vitória – R$ 4.300

Goiás (GO)

Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA) / Anápolis – R$ 4.400

Mato Grosso (MT)

Universidade de Cuiabá (UNIC) / Cuiabá – R$ 6.600

Minas Gerais (MG)

Faculdade da Saúde e Ecologia Humana (FASEH) / Vespasiano – R$ 4.200

Pará (PA)

Centro Universitário do Estado do Pará (CESUPA) – Belém – R$ 5.300

Paraíba (PB)

Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ) / João Pessoa – R$ 5.700

Paraná (PR)

Faculdade Evangélica do Paraná (FEPAR) / Curitiba – R$ 3.700

Pernambuco (PE)

Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) / Recife – R$ 4.200

Piauí (PI)

Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí (NOVAFAPI) / Teresina – R$ 4.000

Rio de Janeiro (RJ)

Faculdade de Medicina de Campos (FMC) / Campos dos Goytacazes – R$ 4.900

Rio Grande do Norte (RN)

Universidade Potiguar (UnP) / Natal – R$ 4.900

Rio Grande do Sul (RS)

Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) / Santa Cruz do Sul – R$ 4.200

Rondônia (RO)

Faculdades Integradas Aparício Carvalho (FIMCA) / Porto Velho – R$ 4.800

Santa Catarina (SC)

Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC) / Lages – R$ 3.700

São Paulo (SP)

Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) / Santo André – R$ 4.000

Tocantins (TO)

Faculdade Presidente Antônio Carlos (ITPAC) / Porto Nacional – R$ 5.000

Alternativas às mensalidades do curso de Medicina

Como você pode perceber, Medicina está entre as faculdades mais caras. Não é fácil pagar uma mensalidade desse valor, ainda mais se considerarmos a renda média dos brasileiros.

Ainda bem que existem opções para fazer o curso tão sonhado sem ter que desembolsar uma fortuna todo mês.

Formações na área da Saúde são prioridades do Governo Federal. Para permitir que estudantes de baixa renda tenham acesso ao curso de Medicina (e outras graduações), foram criados dois grandes programas de estímulo à formação superior: o ProUni e o FIES.

Entenda como funcionam:

ProUni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) oferece bolsas de estudo para estudantes de baixa renda em faculdades particulares.

Para concorrer, o candidato deve ter alcançado pelo menos 450 pontos nas provas objetivas do Enem e nota acima de zero na redação. Como o curso de Medicina é muito procurado no ProUni, a nota média para passar geralmente é bem mais alta que isso.

O Programa tem duas modalidades de bolsa:

  • Integral (100%) – para candidatos com renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa.
  • Parcial (50%) – para quem tem renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa.

O processo seletivo ocorre duas vezes ao ano, geralmente nos meses de janeiro e junho. Fique ligado!

Quantos pontos preciso tirar no Enem para conseguir o ProUni?

FIES

O FIES é o financiamento estudantil a juros baixos do Governo Federal. A principal vantagem desse benefício é começar a pagar a dívida somente um ano e meio depois da conclusão do curso.

Para participar, é preciso ter pelo menos 450 pontos na média das provas objetivas e não ter zerado na redação do Enem. São aceitas as notas de qualquer edição do exame a partir de 2010.

O FIES exige que o candidato tenha renda familiar bruta mensal de no máximo dois salários mínimos e meio por pessoa e não tenha um diploma de curso superior.

Medicina é uma das áreas prioritárias para concessão do financiamento, principalmente para estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste (exceto o Distrito Federal).

As inscrições acontecem duas vezes ao ano.

Como fazer o FIES

Vai fazer o curso de Medicina? Encontrou alguma mensalidade que caiba no seu bolso? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin