dcsimg

Veja as opções pra quem quer cursar Fisioterapia a distância

Conheça o curso de Fisioterapia EAD, onde encontrar, quanto custa e quais as alternativas para quem quer seguir essa carreira!

Fisioterapia

Fisioterapia é um curso bastante procurado. Embora não esteja entre as 10 graduações com a maior quantidade de estudantes, ainda assim o número impressiona: são 141 mil matriculados por todo o Brasil, de acordo com o último Censo da Educação Superior.

Eles estão distribuídos por 462 faculdades – 58 públicas e 404 privadas. Infelizmente, a graduação não está igualmente difundida pelo País. São Paulo, Minas Gerais e Bahia são os estados com a maior quantidade de cursos de Fisioterapia. Roraima, Rondônia, Acre, Maranhão e Mato Grosso ainda não oferecem essa formação.

A modalidade de ensino também apresenta um grande contraste: a esmagadora maioria das faculdades de Fisioterapia acontece de forma presencial. Há apenas duas instituições autorizadas pelo Ministério da Educação (MEC) a oferecer o curso a distância.

Se você está pensando em fazer Fisioterapia EAD, dê uma olhada no guia que preparamos a seguir. Fomos atrás das opções de curso, grade curricular, mensalidades e tudo o que você precisa saber para fazer uma boa escolha!

Dá para fazer Fisioterapia a distância?

Antes de vermos as opções de curso a distância para quem quer ser fisioterapeuta, é importante esclarecer que nenhum curso de graduação EAD é totalmente online. O MEC determina que pelo menos 20% da carga horária seja composta de encontros presenciais.

Em cursos mais teóricos, como Administração, por exemplo, o aluno só precisa comparecer ao polo de apoio algumas vezes por semestre – geralmente para assistir à aula inaugural e fazer provas. Todo o restante do curso é feito virtualmente. Pela internet, o estudante assiste às aulas, interage com o professor, tutor e demais colegas, realiza tarefas e trabalhos.

A situação é bem diferente no caso de Fisioterapia. Com muitas aulas práticas e atividades em laboratório, só uma pequena parte do curso acontece online – apenas para cumprir aulas mais teóricas. Isso faz com que o modelo adotado seja o semipresencial: o aluno frequenta o polo de apoio várias vezes por semana. Ou seja, mesmo tendo certa flexibilidade de horário para realizar algumas matérias, vai ser preciso se deslocar até a faculdade (ou polo de apoio) praticamente todos os dias.

Existem apenas duas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Fisioterapia a distância:

  • Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR) – com polos de apoio em 20 estados brasileiros
  • Universidade Nove de Julho (UNINOVE) – com polos de apoio no estado de São Paulo

Dependendo do semestre, pode ser que o curso não abra vagas, seja por decisão da faculdade ou porque não houve quantidade suficiente de interessados para abrir uma turma. Nesse caso, o jeito vai ser mesmo partir para uma faculdade presencial. Veja a lista que preparamos com algumas opções reconhecidas pelo MEC.

Faculdades presenciais de Fisioterapia reconhecidas pelo MEC

Independentemente da modalidade de ensino, a informação mais importante que você precisa checar é se a faculdade onde você pretende estudar Fisioterapia tem o aval do MEC para oferecer o curso.

O diploma obtido em uma graduação reconhecida pelo MEC é condição obrigatória para fazer o registro profissional junto ao Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito) e assim poder exercer a profissão!

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Fisioterapia presencial:

O que se estuda no curso de Fisioterapia a distância?

Antes de autorizar um novo curso de Fisioterapia, seja presencial ou a distância, o MEC faz uma série de análises para assegurar que a graduação cumpre todos os requisitos necessários. Entre essas análises está a da grade curricular. As matérias oferecidas precisam cobrir as seguintes áreas:

  • Ciências Biológicas e da Saúde: conteúdos teóricos e práticos sobre a estrutura e função de tecidos, órgãos, sistemas e aparelhos, por exemplo.
  • Ciências Sociais e Humanas: aqui entram matérias que ligam a Fisioterapia a aspectos psicossociais, culturais, filosóficos e antropológicos. Política de saúde, educação, trabalho e administração estão inclusas nessa parte, assim como os princípios éticos que um fisioterapeuta deve seguir.
  • Conhecimentos Biotecnológicos: envolvem o acompanhamento do que há de mais moderno em pesquisa e prática clínica da Fisioterapia.
  • Conhecimentos Fisioterapêuticos: é a parte mais específica do curso. Engloba conhecimentos sobre funções e disfunções do movimento humano e o estudo de diagnósticos e terapias que podem ser aplicadas em todos os níveis de desenvolvimento humano.

Cada instituição é livre para compor sua grade de disciplinas, desde que cubra as quatro áreas determinadas pelo MEC. O nome das matérias e a ordem em que elas aparecem ao longo do curso podem variar.

Veja alguns exemplos do que você provavelmente encontrará no curso de Fisioterapia, seja a distância ou presencial:

  • Anatomia
  • Antropologia
  • Avaliação Cinético Funcional
  • Avaliação Fisioterapêutica
  • Biologia
  • Bioquímica
  • Cinesioterapia
  • Cultura
  • Diagnóstico por Imagem
  • Epidemiologia
  • Ética
  • Farmacologia
  • Fisiologia
  • Fisioterapia Aplicada
  • Fisioterapia Preventiva
  • Fundamentos Históricos e Recursos Fisioterapêuticos
  • Gestão e Empreendedorismo em Saúde
  • Neuroanatomia
  • Patologia
  • Psicologia Aplicada à Saúde
  • Recursos Fisioterapêuticos
  • Saúde Coletiva
  • Saúde do Trabalhador

Quanto custa estudar Fisioterapia?

Por conta de todos os laboratórios, aulas práticas e infraestrutura que uma faculdade de Fisioterapia precisa oferecer, o curso não está entre os mais baratos.

Na modalidade a distância, as mensalidades ficam em torno de R$ 800, já com desconto de pontualidade. Entre os cursos presenciais, a média é de R$ 900, mas a variação de preço é grande: dá para encontrar mensalidades abaixo de R$ 500 e acima de R$ 2.000!

Como estudar Fisioterapia pagando menos

O jeito mais barato de estudar Fisioterapia é passar no processo seletivo para uma universidade pública. Só que nem todo mundo consegue e a quantidade de instituições gratuitas, como vimos, é pequena.

A boa notícia é que existem alternativas para quem sonha em fazer esse curso mas o orçamento não comporta o valor das mensalidades. Conheça algumas das principais:

FIES: é um financiamento estudantil bancado pelo Governo Federal, a juros baixos e prazo longo. O estudante só começa a pagar a dívida depois de formado. O processo é concorrido e leva em consideração a nota do Enem – vale apresentar o desempenho de qualquer edição a partir de 2010, desde que tenha alcançado pelo menos 450 pontos nas provas e nota maior do que zero na redação. O FIES só vale para cursos presenciais e atende quem cumpre os requisitos de renda familiar estabelecidos pelo MEC.

ProUni: essa é outra iniciativa do Governo Federal voltada à camada de baixa renda. Aqui, são concedidas bolsas integrais e parciais para cursos presenciais e a distância. Para participar do processo seletivo, é obrigatório ter feito o Enem mais recente, com desempenho de pelo menos 450 pontos nas provas e nota acima de zero na redação. Além disso, o candidato precisa cumprir requisitos de renda e escolaridade.

Descontos, bolsas e crédito estudantil privado: na maior parte das instituições, quem paga o boleto em dia ou chega por meio de transferência consegue bons descontos na mensalidade. Algumas também têm programas próprios de bolsas de estudos e financiamentos. Informe-se na faculdade de seu interesse sobre as opções que ela oferece.

Veja também:

Quanto ganha um fisioterapeuta?

Vai estudar Fisioterapia? Prefere uma faculdade presencial ou a distância? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin