dcsimg

O que é Economia, afinal? Descubra tudo sobre este curso

Está pensando em estudar Economia? Veja como está o mercado, as opções de formação e o valor das mensalidades!

Economia

A Economia está presente por todo lado: na água que a gente usa para tomar banho, no transporte que pegamos para ir ao trabalho e até no cafezinho que tomamos todas as manhãs – afinal, tudo deriva de uma atividade produtiva e que gera renda.

É uma área que só cresce no Brasil. A versatilidade da profissão permite que o economista trabalhe com projeções de mercado, planejamento econômico e financeiro, pesquisa e análise de investimentos, consultoria e assistência econômica.

O cenário atual ajuda a dar uma bela turbinada na profissão. Hoje, quem é capaz de entender as variações do mercado financeiro e ajudar a desenvolver projetos comerciais e empresariais tem emprego fácil, com salários bem interessantes.

Não é à toa que a oferta de cursos também vem crescendo bastante. Já são 50 mil futuros economistas matriculados em faculdades espalhadas por todo o Brasil.

Veja a seguir o que é Economia, como está o mercado de trabalho, quanto será preciso investir para fazer o curso e algumas faculdades de renome que oferecem a graduação!

A carreira em Economia

Quando você pensa em Economia, como visualiza o profissional da área? Talvez alguém sentado numa mesa, fazendo cálculos em concentração absoluta? Ou aquele jovem esbravejando ao telefone na Bolsa de Valores?

Pois bem, o perfil do economista é bem mais amplo do que as imagens que estamos acostumados a ver na TV e na internet. A carreira não é só números: lembre-se de que a Economia é, essencialmente, uma atividade humana.

Por isso hoje é comum encontrar economistas em locais como organizações sem fins lucrativos, no serviço público ou no setor de Responsabilidade Social de grandes indústrias e empresas.

A área empresarial e o mercado financeiro, no entanto, ainda são os grandes empregadores desse profissional – e isso não deve mudar por enquanto. Pelo contrário: em tempos de crise, as empresas precisam cada vez mais da inteligência de um economista.

Os locais de trabalho mais comuns desse profissional são:

  • Empresas de médio e grande porte
  • Indústrias diversas
  • Organizações Não-Governamentais
  • Institutos de pesquisa
  • Escritórios especializados (consultoria)
  • Entidades internacionais, como ONU, Unesco e afins
  • Bancos
  • Cooperativas e associações
  • Serviço público

Áreas de atuação do economista

O profissional sai da faculdade pronto para atuar em diversos setores – desde os bem específicos, como o de finanças, até aqueles voltados ao bem-estar social, como formulação de políticas públicas de distribuição de renda, por exemplo.

Isso se deve muito à formação multidisciplinar do profissional, que tem acesso a uma grande carga de disciplinas específicas da profissão associadas às Ciências Humanas.

Conheça algumas áreas de atuação do economista:

  • Desenvolvimento econômico
  • Desenvolvimento sustentável
  • Economia na área de Saúde
  • Recursos Humanos
  • Economia internacional e comércio exterior
  • Economia monetária e financeira
  • Economia regional e urbana
  • Finanças e Controle
  • Finanças públicas
  • Agronegócio
  • Bioenergia
  • Planejamento regional
  • Estudos de mercado
  • Macroeconomia

O curso de Economia

O curso de Economia, ou Ciências Econômicas, é um bacharelado com quatro anos de duração oferecido por 183 instituições de ensino no Brasil. Pouco mais da metade da oferta, 55%, está nas faculdades privadas. Atualmente há 50 mil alunos matriculados, sendo que a grande maioria – cerca de 64% – estuda em universidades públicas.

Nos últimos anos houve uma boa procura pelo curso também no modelo a distância. Para quem busca flexibilidade, é o formato ideal: a parte teórica pode ser feita de casa, com a ajuda de um ambiente virtual de aprendizagem, enquanto a prática é distribuída em encontros semanais ou semestrais, de acordo com a modalidade (online ou semipresencial).

Veja o que se estuda nessa graduação:

  • Administração
  • Administração Financeira
  • Cálculo Diferencial
  • Contabilidade
  • Demonstrações Financeiras
  • Desenvolvimento Econômico
  • Direito Econômico
  • Econometria
  • Economia Brasileira
  • Economia das Instituições
  • Economia e Mercado de Trabalho
  • Economia Internacional
  • Economia Monetária
  • Economia no Setor Público
  • Economia Política
  • Estatística Econômica
  • Fundamentos das Ciências Sociais
  • Fundamentos de Economia
  • Gerenciamento de Projetos
  • História Econômica Geral
  • Macroeconomia
  • Matemática Financeira
  • Mercado Financeiro
  • Metodologia de Pesquisa
  • Microeconomia
  • Orçamento Empresarial
  • Psicologia nas Organizações
  • Sistema Financeiro Internacional

Alternativas ao curso de Ciências Econômicas

Quem prefere estudar aspectos mais específicos ligados à Economia, como Finanças ou Gestão, vai encontrar boas alternativas de graduação nas principais faculdades.

Estamos falando dos cursos superiores de tecnologia, ou tecnólogos, aqueles que têm um tempo de formação mais curto (média de 2,5 anos) e são voltados às necessidades do mercado de trabalho.

As opções mais fáceis de serem encontradas nas faculdades (principalmente nas particulares) são:

  • Comércio Exterior
  • Gestão Comercial
  • Gestão da Qualidade
  • Gestão de Cooperativas
  • Gestão de Recursos Humanos
  • Gestão Financeira
  • Gestão Pública
  • Processos Gerenciais

Muitos estão disponíveis também na modalidade a distância. Veja a oferta junto à faculdade onde você gostaria de estudar.

Quanto custa estudar Economia

Quem está planejando estudar Economia pode optar entre dois modelos: presencial ou distância.

No presencial, que é o formato tradicional, as mensalidades ficam em torno de R$ 800. Dependendo da faculdade, da cidade e do turno escolhido, os valores podem partir de R$ 400 e chegar a mais de R$ 3.500!

Já os cursos a distância são bem mais em conta. Aqui o valor a ser investido todo mês é de aproximadamente R$ 300. Graduações que têm mais encontros ao longo do mês, as chamadas semipresenciais, tendem a ser um pouco mais caras: R$ 450, em média.

Confira, junto à instituição onde você quer estudar quais são os valores das mensalidades, as condições de pagamento e os formatos disponíveis.

Faculdades que oferecem o curso de Economia

Nas faculdades públicas, a concorrência média nacional para entrar em Economia é de 12 candidatos por vaga – sendo bem mais alta nas mais procuradas. Nas particulares, o cenário é o oposto: sobram vagas!

Se você pensa em estudar Economia, fique de antena ligada: é fundamental escolher uma instituição com reconhecimento do Ministério da Educação (MEC) para que seu diploma tenha validade no mercado de trabalho!

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Ciências Econômicas e/ou cursos de tecnólogo ligados à área:

Veja também:

Quanto ganha um Economista?

O que achou da profissão de economista? Vai tentar entrar em Ciências Econômicas ou prefere optar por um curso superior de tecnologia? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin