dcsimg

Descubra quanto tempo dura a faculdade de Serviço Social

Veja quantos anos você vai ter que se dedicar aos estudos até obter o diploma para trabalhar como assistente social!

Sabia que Serviço Social é um curso super procurado no Brasil? Sim, e boa parte do sucesso tem origem na atuação do assistente social no país, que vem ganhando nova dimensão nos últimos anos, junto ao fortalecimento da consciência social e ambiental por parte das organizações. É por isso que, além do serviço público, eles estão sendo cada vez mais procurados por empresas privadas, indústrias e até multinacionais de grande porte.

O assistente social pode ser bastante útil em departamentos como Recursos Humanos, Responsabilidade Social, Treinamento, Recrutamento, Atendimento e muito mais. Essa versatilidade agrega muito valor à carreira, que está há algum tempo na lista dos dez cursos que mais recebem alunos no país. Em um ano, o número pode chegar a 60 mil!

Só que para se dar bem na área é preciso encarar alguns anos de estudos. A graduação tem uma carga pesada de leituras e vai demandar bastante atenção por parte do aluno. A vantagem é que ele pode optar por diferentes modalidades de estudo.

Se bateu aquela curiosidade, um aviso: você veio ao lugar certo! A seguir, a gente vai explicar quanto tempo é necessário para fazer o curso de Serviço Social, quais são essas modalidades de estudo e algumas faculdades onde vale a pena investir. Confira!

Duração do curso de Serviço Social

O Ministério da Educação (MEC) determina que o curso de Serviço Social seja oferecido com uma carga mínima de 3.000 horas. Para cumpri-las, o aluno terá que ficar pelo menos quatro anos na faculdade.

Essa determinação é válida para todas as faculdades autorizadas pelo governo a oferecer o curso de Serviço Social. Portanto, se você está se planejando para entrar nesta carreira é bom ter essa informação bem clara na cabeça.

E se for do tipo impaciente, que gosta de pular etapas e colocar a mão na massa mais rápido, provavelmente irá buscar alternativas para fazer um curso mais rapidamente, certo?

Sabendo disso, a gente preparou o tópico a seguir. Nele falamos sobre a possibilidade de adiantar o curso de Serviço Social no formato a distância. Acompanhe!

Duração do curso de Serviço Social a distância

Os apressadinhos normalmente cogitam a possibilidade de fazer um curso a distância por acreditarem que a flexibilidade oferecida por essa modalidade de ensino permite adiantar as coisas.

Certo? Errado.

Os cursos a distância têm que cumprir a mesma carga horária determinada pelo MEC. Por isso, quem opta por estudar Serviço Social nesse formato terá que encarar os mesmos quatro anos de duração (ou 3.000 horas).

Só que tem uma diferença básica aqui que pode valer muito a pena: nessa modalidade, o aluno pode estudar de onde quiser, em seu próprio tempo, conciliando inclusive a graduação com emprego, lida doméstica e outras atividades cotidianas.

Pode não terminar mais rápido, mas com certeza vai encontrar um esquema bem mais prático do que o dos cursos tradicionais.

Como Serviço Social é um curso essencialmente teórico, os estudantes terão que ir poucas vezes ao polo de apoio fazer provas, apresentar trabalho ou participar de qualquer outro tipo de atividade presencial.

Tanto é que hoje mais de 100 mil alunos fazem essa graduação a distância.

As aulas acontecem por meio de um ambiente virtual no qual o aluno tem acesso, via internet, a conteúdos diversos, como vídeos, apresentações, animações, textos, apostilas, etc. A ferramenta permite contato com professores e tutores, além de oferecer meios de interação com outros colegas.

No final, o aluno ainda sai com um diploma de nível superior reconhecido no mercado de trabalho.

Sobre o curso de Serviço Social

Serviço Social pode ser encontrado facilmente na maioria das faculdades públicas e particulares do Brasil.

Quem já começou a pesquisar deve ter percebido que a grande maioria das instituições que oferecem o curso (cerca de 82%!) está na rede particular de ensino.

A graduação, como a gente já adiantou lá em cima, é bastante teórica. Por quatro anos os alunos estarão ocupados com leituras super puxadas sobre Antropologia, Ciências Sociais, Economia, Direito, Psicologia, Política e Assistência Social.

A parte prática está reservada aos estágios e eventuais visitas a locais relacionados à assistência social.

O profissional sai da faculdade com capacidade para prestar auxílio adequado a pessoas que vivem à margem da sociedade. O desafio é melhorar a vida de dependentes químicos, crianças abandonadas, presidiários, população de rua, mulheres exploradas sexualmente, pessoas em situação de extrema pobreza, vítimas de violência doméstica, migrantes, refugiados, etc.

Na esfera mais burocrática, vão atuar na formulação de políticas de assistência social e elaboração de projetos para diminuir os problemas que afligem determinada população.

O pré-requisito para se dar bem na carreira é saber se relacionar bem com pessoas de todos os tipos.

As regiões mais empobrecidas ou violentas do país são as que demandam maior mão de obra dos assistentes sociais.

Os órgãos públicos ainda são os grandes empregadores desses profissionais, embora a área esteja se expandindo rapidamente entre indústrias, empresas de todos os portes, hospitais e organizações não governamentais

Outro campo que tem se mostrado promissor é o da docência. Com a expansão das faculdades de Serviço Social, e especialmente dos cursos a distância, cresceu bastante a necessidade de contratar novos professores na área. Para entrar nesse mercado o profissional precisa investir em pós-graduações de alto nível, como o mestrado e o doutorado.

A concorrência na área não é moleza. O Conselho Federal de Serviço Social (CFESS) afirma 120 mil assistentes sociais estão em atividade neste momento no país. Com outros 160 mil fazendo o curso, teremos quase o triplo de profissionais no mercado nos próximos anos. Por isso é tão importante ingressar na área com uma vantagem competitiva – tendo feito uma faculdade de primeira linha, por exemplo.

Faculdades de Serviço Social reconhecidas pelo MEC

Se você pensa em fazer Serviço Social em uma universidade pública, prepare-se para enfrentar a concorrência. A média nacional é de 21 candidatos disputando uma mesma vaga.

Nas particulares, e especialmente nas que oferecem o curso a distância, o cenário é bem mais sossegado.

O problema nesse caso talvez seja escolher, em meio a tantas opções, uma instituição de qualidade. Mas para isso não tem segredo. Basta seguir a dica de verificar se a faculdade é reconhecida pelo MEC e qual foi o desempenho do curso junto ao órgão.

Se estiver tudo dentro dos conformes, pode ir tranquilo. Você vai sair da faculdade com um diploma reconhecido e bem aceito no mercado de trabalho. Com ele, vai poder disputar vagas de emprego na área, fazer concursos públicos e dar continuidade aos estudos em cursos de pós-graduação.

Pensando nisso, a gente destacou algumas para você já ir conhecendo. Dê uma olhada:

Todas as faculdades da nossa lista aceitam a nota do Enem como forma de ingresso e participam de iniciativas de ampliação do acesso ao ensino superior, como ProUni e FIES.

Caso não se encaixe nos critérios do governo federal para estudar com a ajuda do ProUni e do FIES, não tem problema. Todas as instituições que selecionamos têm programas próprios de descontos, bolsas de estudos e financiamentos sem burocracia.

Veja também:

Quanto ganha um Assistente Social?

Tudo pronto para entrar em Serviço Social? Conte para a gente em qual faculdade você vai tentar vaga!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin