dcsimg

A Fantástica Indústria do Alumínio Verde Brasileiro

O Brasil tem uma das melhores indústrias do mundo: o alumínio verde! Conheça essa indústria que combina reciclagem, tecnologia e sustentabilidade!

A Engenharia de Produção e o Fabuloso Alumínio

Alumínio: o metal infinito é também o mais sustentável

O alumínio é um metal que todos conhecem ( pelo menos ouviram falar ).

Embora seja um dos elementos mais comuns da superfície da terra, 8% de todos os metais encontrados no nosso planeta são ligas que contém alumínio, o alumínio é uma descoberta nova e seu uso pela indústria e Engenharia de Produção é bem recente.

Descoberto e isolado em sua forma pura somente em 1827 pelo químico Alemão Friedrich Wohler, o Alumínio é um metal que desperta muito interesse para a Engenharia de Produção em aplicações industriais pois é um metal resistente, de alta durabilidade, de alta reflexibilidade ( o que o torna brilhante e muito bonito ) e o melhor: é um metal que tem uma taxa de reciclagem de praticamente 100% !!

Em outras palavras, é como se fosse um metal infinito, sempre que uma peça de alumínio se torna velha uma peça nova poderá ser feita a partir dela, criando um ciclo perfeito de renovação industrial, um sonho que vem sendo perseguido a séculos por cientistas, profissionais de engenharia de produção e até mesmo economistas.

Uma outra característica interessante do alumínio é que ele é um dos poucos metais que não tem nenhuma função biológica, ou seja, não está presente nas formas de vida e muito menos em nosso corpo humano.

Apesar disso ele não é classificado como tóxico e não causa grandes danos aos humanos, como causam outros metais tais como chumbo, por exemplo.

A Indústria do Alumínio no Brasil, Aplicações para a Engenharia de Produção e Reciclagem

Embora seja ideal para se fabricar qualquer tipo de peça industrial metálica, no Brasil, assim como na maior parte do mundo, a principal aplicação que a Engenharia de Produção vem dando ao alumínio é a produção de embalagens.

Como embalagens no caso podemos entender todo tipo de embalagem mesmo, desde caixas de leite ( que levam uma camada de alumínio laminado no seu interior ) até latas de cerveja.

Como a cerveja e os refrigerentes são produtos largamente consumidos pelo mundo, os ambientalistas e profissionais de engenharia de produção levam sempre em conta a quantidade de latas de alumínio recicladas para medir o nível de reciclagem de alumínio nos países.

Confira a comparação abaixo do Brasil com alguns países líderes em produção e consumo de produtos de alumínio:

Reciclagem de Latas no Mundo

Reciclagem de Latas no Mundo: Brasil em Primeiro Lugar

Algumas pessoas devem se perguntar, mas como que um país tão desenvolvido quanto os Estados Unidos pode ter um índice tão baixo de reciclagem de latas de alumínio ?

Será que os especialistas em engenharia ambiental e engenharia de produção não estão dando a verdadeira atenção a essa questão por lá ?

A resposta é simples, na América não vemos muito uma figura comum por aqui no Brasil: o catador de latas de alumínio.

Aqui no Brasil até por questão de necessidade, muitas pessoas se transformaram em catadores profissionais de latas atuando nas ruas e também em eventos tais como shows.

Os catadores são parte fundamental da cadeia de sucesso de reciclagem do alumínio no Brasil pois não deixam passar que a maioria das latas seja recolhida, afinal quanto mais latas eles pegam, mais dinheiro ganham.

Segundo a ABAL ( Associação Brasileira do Alumínio ), em 2009 a reciclagem de latas no Brasil movimentou 110 milhões de dólares e deu emprego a mais de 150.000 pessoas desde moradores de ruas que cataram latas até profissionais de Engenharia de Produção com mestrado e doutorado.

Para quem ficou curioso, 1kg de latas de alumínio tem cerca de 70 latas e custa em média R$ 2,75 no Brasil.

Outro dado interessante é que desde que foram inventadas em 1989, já foram fabricadas mais de 100 bilhões ( 100.000.000.000 !! ) de latas de alumínio ( levando em conta também as que foram recicladas a partir das velhas ). Ainda bem que são recicláveis…

A Indústria do Alumínio e o Consumo de Energia

O consumo de energia da fabricação de um produto ou peça é um fator importantíssimo levado em conta pela Engenharia de Produção na hora de implementar uma linha de produção ou de reciclagem.

Mais uma vez o alumínio demonstra ser uma escolha surpreendente para a indústria pois ao contrário de outros metais que gastam uma boa quantidade de energia para serem derretidos e reciclados o alumínio reciclado é produzido com apenas 5% da energia gasta na produção de uma peça nova.

Isso mesmo !! Reciclar 1kg de alumínio gasta só 5% da energia necessária para produzir 1kg de alumínio novo !!

O Brasil mais uma vez dá um show de liderança em economia de energia, juntando a matriz energética ecológica que temos com o constante investimento que os fabricantes de alumínio fazem em engenharia de produção, temos que por aqui apenas 0,001% da emissões de CO2 são causadas pela produção e reciclagem de alumínio.

Principais Vantagens do Alumínio sobre os Metais Tradicionais

O Alumínio, o metal infinito, tem várias vantagens sobre os chamados metais tradicionais ( ferro, cobre, silício, etc… ) confira algumas delas:

  • Infinito: O Alumínio quando é reciclado não perde as suas propriedades físicas ( resistência, condutibilidade e massa ).
  • Leve: O alumínio apesar de ter a dureza característica dos metais, tem uma leveza inigualável. Um carro produzido com uma boa quantidade de peças de alumínio pode pesar até 500 Kgs a menos que um carro tradicional.
  • Forte: O alumínio além de leve é também um metal muito forte ( embora não seja o mais forte de todos ). Isso é útil para a engenharia de produção pois permite que todo tipo de peça seja feita de alumínio.
  • Seguro: O alumínio é um metal de baixa toxicidade, ou seja, não faz mau ao ser humano, por isso é largamente usado para armazenar comida e líquidos.
  • Não Enferruja: O alumínio não enferruja fácil como o ferro por exemplo quando fica exposto ao meio-ambiente ( sol, água e ar ), isso é devido ao fato do alumínio não ser um metal ferroso, porém pode ocorrer oxidação. Mais um ponto para a engenharia de produção que pode usá-lo para construir barcos, veículos aéreos e até naves espaciais !!

Vantagens dos Outros Metais e Produtos Químicos que Atacam o Alumínio

Mesmo sendo um grande metal, o alumínio como é de se esperar não é perfeito e muito menos indestrutível. Confira abaixo alguns metais que superam o alumínio em aplicações específicas:

  • Ferro e Aço: Por serem mais resistentes e pesados, o ferro e o aço são melhores que o alumínio para se construir prédios e estruturas tais como represas. Como ficam dentro do concreto, a sua desvantagem de enferrujar fácil é anulada. Por isso na Engenharia Civil, o ferro e aço superam o alumínio.
  • Silício: Se você construir um processador de computador com alumínio no lugar do silício ele não irá funcionar, pois o alumínio não tem as características de semi-condutor do silício. Na Engenharia da Computação o silício supera o alumínio.
  • Cobre: Construir fios de alumínio ao invés de cobre também não é uma boa pois o cobre é melhor condutor, além de ser mais barato.
  • Cloro: O cloro ataca a superfície do alumínio formando uma camada branca que tira o brilho da peça.
  • Soda Caústica: A soda cáustica tem um efeito ainda mais forte sobre o alumínio, além de formar uma camada branca pode até mesmo criar buracos se estiver em alta concentração.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin