dcsimg

Confira o calendário com as principais datas do FIES 2018

Saiba quando vai acontecer a primeira edição totalmente reformulada do Novo FIES em 2018!

Embora tenha mudado bastante nos últimos anos – especialmente nos últimos meses – o maior financiamento estudantil do país, o FIES, segue firme e forte no seu propósito original: oferecer uma alternativa vantajosa para quem está sem condições de pagar as mensalidades de um curso superior.

Quem se beneficia do programa pode estudar em uma faculdade particular financiando uma parte das mensalidades e só começar a pagar a dívida depois da formatura, com juros baixos (ou juro zero) e prazo longo.

Gostou da ideia de ganhar esse apoio para realizar o sonho de fazer uma faculdade em 2018? Então já pode ligar o radar. Ao longo do ano devem ocorrer duas edições do FIES – e dessa vez com mudanças bem significativas!

Para que você não se perca nas datas e entenda direitinho como vai funcionar o novo FIES, a gente preparou um calendário e um guia. Confira a seguir!

Calendário do FIES 2018

O FIES 2018 mudou bastante, conforme você vai ver mais adiante, mas há coisas que permanecem iguais.

Ainda não saiu o edital do processo seletivo do primeiro semestre de 2018, mas ao que tudo indica ele deve seguir o mesmo esquema de sempre. Confira:

Inscrição do FIES 2018

As inscrições para o FIES 2018 devem abrir na primeira quinzena de fevereiro, logo após a divulgação do resultado do ProUni. O site para inscrições fica disponível para os candidatos por apenas quatro dias. Normalmente abre em uma terça-feira e se encerra na sexta-feira da mesma semana. É preciso agir rápido. Quem perder o período, terá que esperar pela edição seguinte, que deve abrir no outro semestre. Todo o processo é feito pelo site do FIES Seleção.

A classificação ocorre por meio da nota do Enem. Quanto maias alta, maiores as chances de conseguir o financiamento. Alguns cursos são bem disputados.

Resultado do FIES 2018

O processo seletivo do FIES 2018 vai se encerrar às 23h59 de uma sexta-feira. Os resultados já devem sair na segunda-feira seguinte. Para saber se você apareceu entre os escolhidos é preciso acessar o site oficial do FIES Seleção ou entrar em contato direto com a instituição onde tentou a vaga.

Segunda etapa de inscrição

Assim que os resultados do FIES 2018 forem divulgados, na segunda-feira depois do encerramento do processo seletivo, vai começar a segunda parte da inscrição no programa. Essa etapa consiste no cadastro do estudante pré-aprovado em um sistema chamado SisFIES.

Depois que cumprir essa tarefa, o candidato tem um prazo para levar uma série de documentos até a faculdade escolhida. Neste momento deverá ser feita toda comprovação das informações fornecidas no SisFIES.

Depois que passar pela faculdade e obter um certificado de que está tudo certo com sua matrícula, o participante tem mais uma etapa a cumprir: efetivar o financiamento em um agente financeiro do FIES (normalmente, em uma agência bancária).

O processo é longo e complexo e o interessado precisa ficar bem alerta para não perder nenhum detalhe. Qualquer pisada de bola aqui pode resultar na perda do benefício.

Divulgação dos aprovados em lista de espera

A partir da segunda quinzena de fevereiro de 2018 o FIES deve começar a convocar os candidatos da lista de espera.

Esses nomes devem ser convocados aos poucos, de acordo com disponibilidade de vagas não preenchidas na primeira chamada. Por isso é preciso ficar bem ligado no site oficial do FIES para não perder a oportunidade de conseguir o benefício.

Quem for chamado terá um prazo para efetuar a segunda etapa de inscrição (conforme descrito acima), efetivação no SisFIES, depois para validar documentos e assinar o contrato do financiamento no banco. O processo todo deve se estender até março de 2018.

O que muda no FIES 2018

Nos últimos anos, o FIES mudou bastante. Tanto que muitos interessados já não sabem mais o que vale e o que não vale no processo seletivo que pode render um financiamento estudantil.

As mudanças ocorridas em julho de 2017 foram gigantescas. O Ministério da Educação (MEC) anunciou que o programa terá três modalidades de financiamento a partir da primeira edição de 2018. Serão distribuídas 310 mil vagas, no total – e 100 mil delas a juro zero (somente com a correção da inflação).

Uma das mudanças mais significativas está na renda familiar mensal máxima para quem está interessado em participar do programa. Se antes o máximo permitido era de até três salários mínimos por pessoa, a partir de 2018 será de até cinco. Isso amplia a abrangência do FIES e possibilita uma distribuição maior de financiamentos.

Outra grande mudança é a priorização de vagas nas regiões que mais precisam.

Entenda cada uma das três categorias do novo FIES:

  • FIES 1: Em 2018, 100 mil vagas (pouco menos de um terço do total) serão destinadas a estudantes com renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. A vantagem aqui é que não haverá cobrança de juros – apenas correção monetária. O aluno vai pagar as prestações de acordo com sua capacidade de renda. O valor da parcela não pode comprometer mais de 10% do salário comprovado.
  • FIES 2: A segunda modalidade é destinada a candidatos com renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa. Os juros vão ser ainda mais baixos do que eram praticados até o segundo semestre de 2017: passam de 6,5% para 3%. Além dos juros, será aplicada também a variação monetária. Boa parte das vagas dessa modalidade (cerca de 150 mil) será distribuída entre cidades das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A ideia é priorizar os locais que mais carecem de profissionais de nível superior.
  • FIES 3: Essa modalidade do FIES ainda está discussão, mas tem pouco impacto para os interessados. É que se discute quem irá fornecer os recursos para o financiamento para as 60 mil vagas restantes (com possibilidade de virar 80 mil). O que se sabe até agora é que os juros continuarão baixos e o limite de renda será de até cinco salários mínimos por pessoa. Há pistas de que o FIES 3 tenha uma pegada mais voltada à formação de mão de obra para o mercado de trabalho.

Outras mudanças do novo FIES são:

  • Em vez de ganhar 18 meses de carência após a formatura, o estudante terá que começar a pagar as mensalidades do FIES assim que conseguir um emprego formal.
  • O valor da parcela de quitação da dívida poderá ser retido na fonte (descontado diretamente da folha de pagamento).
  • O Ministério da Educação não definiu se haverá cursos prioritários, nem quais serão.
  • Se antes o limite da mensalidade que poderia ser financiada era de R$ 5 mil, no novo FIES não estão previstos valores máximos.

No mais, continua tudo como estava: a distribuição dos financiamentos será por meio de processo seletivo. Pode participar todo mundo que se encaixar nos requisitos de renda familiar e tiver feito qualquer edição do Enem a partir de 2010, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota maior do que zero na redação.

Onde estudar com financiamento do FIES

Uma das vantagens de financiar o curso com o FIES é saber que o investimento não será em vão. O MEC só distribui financiamentos em faculdades bem avaliadas, em cursos que atendem ou superam as expectativas nos quesitos de qualidade educacional analisados pelo Ministério.

Ou seja: seu diploma será muito bem aceito na hora de entrar na disputa por uma vaga de nível superior.

Para não se perder no meio de tantas opções, separamos algumas boas faculdades que costumam participar do FIES.

Conheça:

Veja também:

Como utilizar o FIES para pagar a faculdade?

Está pensando em participar do FIES 2018? Conte para a gente qual curso e em qual faculdade você deseja o financiamento!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin