dcsimg

8 dicas que irão te ajudar a conseguir uma bolsa de estudos

Veja como ganhar bolsa para estudar de graça (ou quase) nas principais faculdades particulares do Brasil!

Quem não gostaria de ganhar uma bolsa para fazer um curso superior de graça (ou quase) em uma faculdade de qualidade?

O que para muitos ainda é um sonho, para outros já é realidade – e uma realidade não muito difícil de alcançar, como você vai ver a seguir.

Existem diversas formas de conseguir bolsas de estudos – algumas delas direcionadas a um perfil determinado, outras à disposição para qualquer pessoa que estiver a fim de estudar. Aqui vamos falar de todas elas!

Quer facilitar seus estudos? Então fique ligado nas 8 dicas que irão te ajudar a conseguir uma bolsa de estudos!

1. Pesquise os principais tipos de bolsas disponíveis

O primeiro passo para ir atrás da bolsa de estudos ideal é pesquisar quais são as alternativas disponíveis no mercado hoje em dia. A boa notícia aqui é que são muitas.

As mais populares são as do governo federal, distribuídas todos os anos a estudantes de baixa renda.

Outras bastante interessantes são encontradas alguns sites que, em parceria com instituições de ensino, oferecem bolsas cobrindo até 70% do valor da mensalidade.

Mas também tem bolsa para quem se dá bem no vestibular, para quem trabalha em empresas conveniadas às faculdades, etc.

2. Veja se o curso que você quer fazer tem bolsas à disposição

Esta dica é importante para você ter ideia da dificuldade que vai encontrar pela frente.

Conseguir o benefício em cursos que são muito caros e disputados, como Medicina ou Odontologia, será mais complicado do que descolar uma bolsa para estudar Letras ou Pedagogia, por exemplo.

Cursos que demandam poucas atividades de laboratório e equipamentos especiais têm mais oferta de vagas. Nessa lista entram, além de Pedagogia e Letras, que já citamos acima, Direito (pode acreditar!), Economia, Administração, Gestão de Recursos Humanos, Geografia, História, Matemática e muito, muito mais.

Uma saída para quem precisa de ajuda para bancar cursos mais concorridos pode ser tentar entrar no programa de bolsa de estudos do governo federal (falaremos dele mais adiante).

3. Veja como conseguir uma bolsa pela internet (é super fácil!)

Um dos caminhos mais rápidos para ganhar uma bolsa está a poucos cliques de distância.

No Brasil existem sites que operam em parceria com diversas instituições de ensino e chegam a oferecer bolsas com até 70% de desconto sobre o valor da mensalidade.

E para conseguir uma delas não tem qualquer burocracia. Basta verificar a disponibilidade, inscrever-se, pagar a taxa de matrícula e garantir o benefício.

Estamos falando, por exemplo, do Quero Bolsa e do Educa Mais Brasil.

Veja uma pequena amostra dos cursos que você vai encontrar com descontos nesses sites:

  • Administração
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  • Ciências Contábeis
  • Design de Interiores
  • Direito
  • Educação Física
  • Empreendedorismo
  • Engenharia Civil
  • Engenharia da Computação
  • Engenharia de Produção
  • Farmácia
  • Fisioterapia
  • Gestão Ambiental
  • Gestão de Recursos Humanos
  • Jornalismo
  • Letras
  • Marketing
  • Nutrição
  • Pedagogia
  • Psicologia
  • Radiologia

Lá o candidato também encontra bolsas em cursos de pós-graduação (especialização), de nível técnico, cursinhos para concurso e pré-vestibular.

4. Veja como descolar uma bolsa do governo federal

Quando falamos em bolsa de estudos do governo federal, estamos nos referindo ao famoso ProUni – o Programa Universidade para Todos.

Todos os anos, o ProUni distribui mais de 300 mil bolsas parciais e integrais para que estudantes de baixa renda possam fazer uma faculdade.

O bom do ProUni é que tem oferta em tudo quanto é curso, em diversas áreas do conhecimento – inclusive naqueles mais caros, como Medicina.

Para conseguir, no entanto, você vai ter que ralar muito. Primeiro é necessário checar se atende aos requisitos de participação no ProUni, que são:

  • Ter feito o Enem mais recente, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.
  • Comprovar renda familiar bruta mensal de no máximo 3 salários mínimos por pessoa.
  • Não ter diploma de nível superior.

Também é preciso se encaixar em alguma das situações a seguir:

  • Ser professor efetivo da rede pública concorrendo a uma bolsa em curso de licenciatura (nesse caso não é preciso comprovar renda).
  • Ser pessoa com deficiência.
  • Ter feito todo o ensino médio em escola pública.
  • Ter feito todo o ensino médio em escola particular como bolsista integral.
  • Ter feito parte do ensino médio em escola pública e parte em particular como bolsista integral.

Se você se cumprir os critérios do programa, vai poder participar de pelo menos duas seleções por ano com a pontuação de uma mesma edição do Enem – uma no primeiro e outra no segundo semestre. Enquanto as inscrições estiverem abertas, é importante ficar ligado nas notas de corte (a pontuação mínima necessária para passar) do curso desejado – que muda todos os dias, de acordo com o desempenho dos demais candidatos interessados na mesma vaga.

Para se dar bem é preciso verificar o sistema diariamente. Se sua nota não for suficiente para entrar no curso que você quer, dá para mudar as opções (tanto de curso quanto de faculdade) quantas vezes for necessário até o último minuto do processo seletivo.

Ah, e não se esqueça de voltar ao curso original para saber se a nota de corte caiu – isso também pode acontecer, pode acreditar!

5. Veja como conseguir uma bolsa bancada pela própria faculdade

A faculdade onde você quer estudar pode oferecer bolsas a quem tiver um desempenho excepcional no vestibular tradicional da instituição.

Já tentou se informar sobre isso?

É uma boa, pois em alguns casos o candidato que passa em primeiro lugar leva uma bolsa integral, que será válida por todo o curso.

Algumas faculdades também oferecem bolsas a alunos que tiveram um desempenho excepcional no Enem. É uma forma que elas encontraram de atrair novos talentos para as salas de aula.

Geralmente a bolsa por mérito estudantil (como também é conhecida) não vale para o curso de Medicina.

6. Veja se a empresa onde você trabalha tem algum programa de incentivo à formação

Se você já estiver trabalhando, entre em contato com o departamento de Recursos Humanos da empresa para saber se ela tem convênio com alguma faculdade e se, por meio desse acordo, você pode conseguir uma bolsa ou desconto para estudar lá.

As chances de ganhar bolsa aumentam se o curso que você quiser fazer tiver relação com sua área de atuação.

7. Tenha um plano B na manga!

Quando não dá para adiar o sonho de fazer um curso superior, o dinheiro está curto e não rolou bolsa no curso desejado, o jeito pode ser apelar para um financiamento estudantil.

Existem diversas modalidades de financiamento. Uma das mais conhecidas é o FIES, que tem juros baixos e prazo longo para quitação da dívida. O FIES é bastante concorrido e só pode disputar vaga no programa quem atende a alguns critérios do MEC.

Quem não se encaixar nos requisitos do FIES pode recorrer a outras opções oferecidas pelas próprias faculdades. Normalmente são menos burocráticos que o FIES e não exigem que o estudante tenha feito o Enem.

8. Só tente bolsa de estudos em faculdades reconhecidas pelo MEC

Quando você sair à procura de uma bolsa poderá encontrar opções em todo tipo de instituição. Por isso é preciso ficar ligado para que o barato não saia caro.

Anote aí alguns itens que você precisa verificar antes de correr atrás do benefício:

  • A faculdade em questão é reconhecida pelo MEC?
  • Oferece o curso que você quer, na modalidade desejada?
  • Tem a infraestrutura que você considera ideal?
  • Tem boa reputação no mercado de trabalho?

Para facilitar sua escolha, listamos a seguir algumas boas instituições que atendem a todos os requisitos acima. Confira:

Veja também:

Descubra quais os tipos de bolsa que o ProUni oferece

O que achou das dicas? Tem mais alguma para sugerir? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin