dcsimg

Saiba tudo sobre as cotas do ProUni 2017

Entenda como funciona o sistema de cotas do ProUni 2017 e veja se você pode concorrer nessa modalidade!

O ProUni 2017 segue a mil por hora e boa parte dos candidatos já está roendo as unhas de ansiedade para saber se vai conseguir bolsas integrais ou parciais ainda este semestre.

O resultado da primeira chamada sai no dia 6 de fevereiro, segunda-feira, mas ainda há chances de conseguir uma vaga até o início de março.

A disputa pode acontecer de duas formas: livre concorrência, que é a geral, ou por ações afirmativas, que são as cotas.

As cotas geram muitas dúvidas entre os candidatos. Afinal, é mais fácil entrar por elas? As notas de corte são mais baixas? Quem pode participar?

As resposta a essas e outras questões você vê a seguir.

Cotas disponíveis no ProUni 2017

Em 2017 o ProUni oferece cotas para pessoas com deficiência, negros, pardos e indígenas.

O número de vagas varia de acordo com a região onde o candidato está. A distribuição é feita segundo a mesma proporção identificada pelo censo mais recente do IBGE.

Ou seja: se em algum estado brasileiro a presença de negros e pardos equivale a 60% da população, então essa será a proporção de vagas por cotas no ProUni para aquela região.

Quem pode concorrer pelo sistema de cotas do ProUni 2017

Para concorrer pelo sistema de cotas do ProUni é preciso, antes de mais nada, atender aos requisitos gerais do processo seletivo, que são:

  1. Ter obtido pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação do Enem 2016.
  2. Ter feito todo o ensino médio em escola pública ou em particular com bolsa integral.
  3. Comprovar renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa para concorrer a uma bolsa integral (cobre 100% das mensalidades) ou de até 3 salários mínimos por pessoa para entrar na disputa por uma parcial (cobre 50% da mensalidade).
  4. Não ter diploma de nível superior.

Fora isso, também pode entrar na disputa quem for professor do ensino fundamental ou médio da rede pública.

Como concorrer no sistema de cotas do ProUni 2017

Ao acessar o sistema do ProUni durante o período de inscrições, o candidato tem acesso a uma lista imensa com todos os cursos disponíveis no Programa.

Ele pode ver quais são as opções por cotas em todas as graduações, instituições, turnos, unidades e cidades disponíveis. A descrição da vaga informa se a cota é racial ou para pessoa com deficiência. Também dá para ver se a bolsa é integral (até 1,5 salário mínima) ou parcial (até 3 salários).

Em seguida, basta escolher a primeira e a segunda opção de curso e torcer para conseguir vaga.

Os requisitos raciais (ser indígena, preto ou pardo) são autodeclaratórios. Isso significa que o candidato não precisa apresentar qualquer documentação para comprovar sua condição.

Já as pessoas com deficiência que concorrerem por cotas precisarão apresentar laudo médico para efetuar a matrícula.

Notas de corte das cotas do ProUni 2017

É besteira pensar que é muito mais fácil entrar pelo sistema de cotas. Geralmente as notas aqui são muito similares à da livre concorrência – e às vezes até maiores.

As notas de corte – pontuação mínima para obter vaga – variam de acordo com o curso, a instituição, o turno e a cidade. Nos cursos mais disputados, como Medicina, se aproximam de 780 pontos tanto nas cotas como na livre concorrência. Nos mais tranquilos dá para entrar com a nota mínima exigida, que é de 450 pontos.

Enquanto as inscrições estiverem abertas, o candidato pode verificar todos os dias quais são as notas de corte para as opções escolhidas. Elas podem variar a qualquer instante, dependendo do desempenho dos interessados na mesma vaga. Ao perceber que não vai conseguir entrar no curso desejado, o participante pode buscar outras opções mais compatíveis com sua pontuação. Isso pode ser feito quantas vezes for necessário, até o encerramento das inscrições.

Depois da aprovação no ProUni 2017, vem a documentação

Depois da aprovação no ProUni, a concessão da bolsa não é automática. Ainda tem uma próxima etapa, muito criteriosa, em que o candidato tem que ir até a instituição onde conseguiu o benefício levar a documentação comprobatória exigida pelo Programa – identificação do candidato e de seu grupo familiar, comprovantes de renda, endereço etc.

Quem tiver entrado pelo sistema de cotas sem ser negro, pardo, indígena ou pessoa com deficiência, perde o benefício na hora. Não adianta tentar bancar o espertão.

Onde estudar com bolsa do ProUni

O ProUni só concede bolsas em instituições bem avaliadas pelo MEC. Em outras palavras, o benefício está disponível em boas faculdades.

Para ajudar na sua escolha, separamos algumas instituições legais de se estudar. Confira:

Veja também:

Veja tudo o que você precisa saber sobre o ProUni 2017

Está claro para você como funcionam as cotas do ProUni? Se tem alguma dúvida, compartilhe com a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin