dcsimg

Depreciação: Por que os bens da sua empresa perdem valor ?

Entenda a depreciação e por que os bens da sua empresa vão perdendo valor com o tempo. Veja também as implicações desse processo sobre a administração!

Depreciação: Por que as coisas perdem seu valor original ?

Depreciação: perda do valor natural das coisas

Podemos entender a depreciação como sendo o processo de desgaste natural das propriedades e produtos. Um dos principais fatores levados em conta pela administração de empresas, a depreciação ocorre principalmente devido a ação espontanea do tempo, também sendo motivada pelo uso natural do bem. No caso de um carro ou veículo em geral ( caminhões, máquinas, etc… ) temos um bom exemplo: a medida que a máquina vai sendo usada mais desgaste vamos tendo. Motor, estrutura, pintura, componentes internos, tudo vai sendo desgastado com o passar do tempo. É por esse motivo que carros e veículos sofrem depreciação, veículos usados não podem ter o mesmo valor de veículos novos em folha. Neste exemplo, temos uma depreciação linear e simples, mas em alguns casos ela pode ser bem complexa, levando em conta vários fatores, por isso o ideal é que seu calculo deve ser realizado sempre por uma consultoria especializada em gestão patrimonial e administração de ativos patrimoniais.

No exemplo acima tivemos um exemplo de depreciação motivada pelo tempo, como exemplo de depreciação motivada pelo uso direto, temos por exemplo as máquinas utilizadas na linha de produção de uma empresa: quanto mais vezes a máquina for sendo usada, mais ela vai sofrendo desgaste.

De um certo modo, a depreciação está diretamente relacionada a renovação: quando os bens de uma empresa passam a valer menos e consequentemente esta empresa passando a pagar menos impostos sobre eles, a companhia está economizando dinheiro. Este dinheiro poupado, no caso, pode ser utlizado na compra de bens novos, mantendo a empresa sempre renovada e produtiva.

Os Diversos Tipos de Depreciação, segundo a Gestão Patrimonial

Segundo os conceitos da gestão patrimonial, existem 3 faixas ou fatores de depreciação que uma máquina de produção pode sofrer:

  • Depreciação Normal: Quando a máquina é utilizada por 1 turno de 8 horas diárias.
  • Depreciação Acelearada: Acontece quando uma máquina é utilizada por 2 turnos de trabalho de 8 horas diárias
  • Depreciação Máxima: Este tipo de depreciação acontece quando uma máquina é utilizada durante 24 horas por dia ( 3 turnos de 8 horas ) é a depreciação máxima que uma máquina, veículo ou bem em geral pode sofrer de acordo com os princípios da gestão patrimonial.

Lista dos Bens que Sofrem Depreciação no Contexto das Empresas

No que diz respeito a depreciação, relativa a gestão patrimonial, contabilidade e administração de empresas, podemos dividir os bens em duas categorias simples e diretas: bens depreciáveis e bens não-depreciáveis, confira alguns exemplos de ambos os tipos de bens:

Lista de Bens que Sofrem Depreciação

  • Prédios, construções, imóveis utlizados pela administração e estruturas físicas industriais em geral
  • Projetos de manejo ambiental que tenham como propósito final a exploração dos recursos naturais gerados ( florestas de eucaliptos plantadas para produzir papel por exemplo )
  • Veículos, materiais e bens móveis em geral, utilizados diariamente nas atividades da empresa.
  • Materiais de limpeza, matérias primas e todo o tipo de material em estoque presente dentro da empresa

Lista de Bens que não Sofrem Depreciação

  • Terrenos e áreas disponíveis para construção urbana ou rural
  • Obras de arte, artefatos e relíquias de eras antigas em geral, já que são objetos que ganham valor com o tempo
  • Bens que a legislação Brasileira determina que não devam sofrer depreciação
  • Bens que já atingiram um valor zero de mercado ( a depreciação está completa )

O Caso dos Bens Completamente Depreciados ( Depreciação Completa )

Um caso interessante que pode ocorrer com uma máquina ou bem é o caso onde a depreciação foi completa, ou seja, caso onde o bem está completamente depreciado e seu valor segundo a contabilidade passa a ser zero. Consideremos um computador por exemplo, segundo a Legislação Brasileira, produtos de informática depreciam 20% ao ano, em 5 anos o computador passa a valer zero para a contabilidade. Este caso está sim, previsto na gestão patrimonial.

Quando acontece de um bem ter um valor jurídico de zero reais, segundo os conceitos da gestão patrimonial, podemos realizar a baixa deste item. Quando é dada a baixa de um item, não se paga mais imposto sobre o mesmo. Lembrando claro, que dizer que um computador tem valor contábil de zero reais não quer dizer que ele tenha que ser jogado fora, o valor de mercado do mesmo é independente do valor contábil. Um computador de valor contábil zero, pode muito bem ser vendido, neste caso, a gestão patrimonial nos indica que teremos contabilizado o imposto somente sobre o lucro desta venda.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin