dcsimg

6+ dicas sobre como se preparar para ir bem no ENEM 2017

Separamos dicas quentíssimas de como fazer bonito nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio em 2017, o famoso Enem!

Imagine um atleta se preparando para uma grande corrida – a São Silvestre, por exemplo.

Como você imagina que é a rotina desse atleta?

Bom, primeiro ele toma um café da manhã reforçado, faz um alongamento caprichado e no tempo certo começa a treinar: inicia com exercícios mais leves para fortalecer os músculos e depois vai aumentando o grau de dificuldade. Depois disso, sai para correr, cronometra o tempo que levou para percorrer determinada distância, avalia o desempenho em relação aos treinos anteriores, etc.

Pois agora vamos imaginar que esse atleta é você e que a maratona é o Enem 2017 – uma prova difícil de ser completada e que vai exigir muito preparo físico e intelectual.

Se o atleta tem uma rotina regrada para participar da São Silvestre, você deve ter a sua para se dar bem no Enem 2017.

Entendeu a lógica? Pois conheça a seguir algumas dicas sobre como se preparar para ir bem no Enem 2017!

Dica 1: tudo começa com um roteiro de estudos

Ano de Enem não deve ser encarado como um ano normal. Aqui você vai precisar de dedicação extra, paciência e muito estudo. Pense que se você der o máximo de si agora, talvez não precise passar por tudo de novo no ano que vem, pois já estará matriculado na faculdade dos seus sonhos!

Pois bem, a rotina começa com um cronograma de estudos, que vai de hoje até o dia das provas.

Faça o seguinte:

  1. Pegue um calendário (pode ser no computador mesmo).
  2. Liste todos os conteúdos que aparecem no edital do Enem 2017. Não precisa incluir nada além daquilo.
  3. Veja quantos dias faltam até as provas.
  4. Distribua esses conteúdos pelos dias na seguinte ordem: os que você tem mais dificuldade, seguido dos que tem dificuldade média. Deixe os que tem mais facilidade por último.
  5. Não se esqueça de incluir o estudo de atualidades em seu roteiro.
  6. Também não se esqueça de dedicar tempo para fazer provas simuladas – pode ser em casa mesmo.
  7. Reserve pelo menos duas semanas antes das provas para se dedicar somente à revisão dos conteúdos.
  8. Dê-se um diazinho de folga (ou meio dia) de vez em quando – ninguém é de ferro!

Dica 2: É hora de encontrar um lugar de estudos

Com o roteiro em mãos, o próximo passo deve ser arranjar um lugar confortável e silencioso onde você possa se concentrar sem ser interrompido.

Pode ser um espaço em alguma biblioteca pública, no quarto, na sala de casa, onde for.

O importante é que você se sinta bem e não seja facilmente distraído.

Você já deve saber, mas não custa reforçar: na hora dos estudos, deixe o celular bem guardado, em modo silencioso, fora do alcance da mão. De preferência, desligue todas as notificações das redes sociais e fique longe delas também.

Dica 3: Você precisa estudar o edital do começo ao fim

Talvez essa seja a tarefa mais chata de todas, mas ela é mais do que necessária. No edital estão todos os caminhos para você se orientar antes, durante e depois das provas do Enem 2017, com datas e procedimentos muito importantes.

A gente sabe que a leitura é maçante, parece não ter fim, mas faça esse esforço.

O edital está disponível em diversos formatos no site do Enem e pode ser acessado gratuitamente a qualquer momento.

Dica 4: Comece os treinos

Qual a melhor maneira de treinar para o Enem 2017? Ganha um doce quem responder “fazendo simulados”!

E é verdade: usando as provas dos anos anteriores, você se familiariza mais rapidamente com o formato e o grau de dificuldade do Enem – e vai chegar no dia do Exame muito mais bem preparado. Pode acreditar!

As provas de todas as edições já realizadas do Enem estão disponíveis no site do Inep. Dá para baixar, inclusive, os gabaritos.

Uma dica legal é, depois de fazer os simulados, acompanhar a resolução das questões pelo YouTube. Vários cursinhos têm vídeos gratuitos para você entender o porquê de ter errado esta ou aquela questão.

O mesmo vale para a redação. Procure escrever os textos dentro do formato solicitado (o tal dissertativo-argumentativo), respeitando todos os itens que serão avaliados (conhecimento da língua, encadeamento lógico das ideias, grau de conhecimento do tema, solução proposta, etc.).

Dica 4: Cronometre o tempo do seu treino

Assim como nosso atleta do começo do texto precisa cronometrar o tempo de corrida, você também precisa saber quantas horas leva para resolver as provas anteriores do Enem.

Lembre-se de que o Enem é uma maratona pesada, com muitas questões num dia só e poucas horas para resolver todas delas.

O primeiro domingo de prova, que acontece no dia 5 de novembro, é um dos mais complicados.

São cinco horas e meia para resolver duas provas cansativas – de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e de Ciências Humanas e suas Tecnologias – com textos longos e muita questão interpretativa. São 90 questões ao todo.

E nesse dia tem ainda a temida redação. Você terá apenas uma hora, em média, para fazer um texto impecável e transferi-lo com toda atenção do mundo para a folha de redação (o Enem não corrige nenhum rascunho, por isso a sua redação só vai ser avaliada se for entregue na folha correta!).

No segundo domingo, dia 12 de novembro, serão duas provas: Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Para esse dia são apenas 4 horas e meia para resolver 90 questões que vão exigir muito cálculo e raciocínio lógico.

Na média, você terá pouco mais de dois minutos para cada questão. É ou não é uma maratona?

Dica 5: Se ainda não ouviu falar das “competências do Enem”, é bom ficar ligado!

As competências parecem uma informação dispensável lá dentro do edital do Enem, mas na verdade são uma mina de ouro.

É que elas indicam como as provas serão analisadas dentro do complexo sistema de correção do Enem.

Enem está interessado em medir seu grau de conhecimento em relação às quatro áreas de conhecimento, mais a redação. Esse é um dos motivos pelos quais as provas não se resumem a um somatório simples de acertos. Elas passam por uma análise muito mais complexa, que leva em consideração inclusive o desempenho dos outros candidatos em relação a você.

As competências orientam como você deve direcionar seus estudos e dão pistas de quais conteúdos podem cair na edição deste ano. Estude-as com bastante atenção!

Dica 6: Fique por dentro dos assuntos que mais caem no Enem

Essa é uma dica campeã. Há conteúdos que o Enem gosta bastante de abordar e eles têm boas chances de aparecer novamente na edição de 2017. Muitos especialistas já fizeram um rastreamento de quais assuntos caem com mais frequência, e a gente já produziu alguns artigos a respeito.

Alguns exemplos:

O ideal é trata esses temas com bastante carinho, dar uma dedicação extra a eles, especialmente no momento da revisão. Isso pode fazer uma bela diferença no seu desempenho final.

Dica 7: Estude para o curso que você quer fazer

Muitos especialistas recomendam aos candidatos estudar de acordo com o curso desejado, na faculdade escolhida.

Funciona mais ou menos assim: se você vai fazer Medicina, que é um curso concorridíssimo e exige uma nota bem alta para entrar, precisa estudar três vezes mais do que quem está pensando em entrar em uma licenciatura em Sociologia, em que é mais tranquilo de descolar vaga.

Para ter uma real noção do quanto deve ser seu ritmo de estudos, conheça os processos seletivos que usam a nota do Enem como critério de classificação e pesquise as notas de corte que o curso desejado apresentou nos últimos anos. O ideal é direcionar seus estudos para obter uma pontuação acima dessa nota– só assim as chances de entrar aumentam.

Dica 8: Tenha um plano B

Se a sua nota do Enem não for suficiente para descolar vaga em uma universidade pública pelo Sisu, que é o processo seletivo mais concorrido do Brasil, você pode tentar algumas outras alternativas interessantes que também usam a nota do Exame, como por exemplo:

  • O ProUni, programa de bolsas de estudos que possibilita ao estudante de baixa renda fazer um curso em faculdade particular sem pagar nada ou bancando apenas a metade da mensalidade.
  • O FIES, o crédito estudantil do Governo Federal, também destinado a estudantes de baixa renda, que financia a faculdade e a dívida só começa a ser quitada depois da formatura.
  • Entrar direto em inúmeras instituições particulares de ensino por todo o país só apresentando a nota do Enem – sim, isso já é possível e está se tornando cada vez mais popular.

Separamos algumas instituições de ensino bem avaliadas pelo MEC que participam do ProUni e do FIES, aceitam a nota do Enem como ingresso direto e ainda têm cursos em todas as áreas do conhecimento.

Conheça:

Veja também:

Saiba tudo sobre o calendário do Enem 2017

O que achou das dicas? Vai adotá-las? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin