dcsimg

Descubra quantos pontos vale o Enem

Veja como funciona a correção do Enem e entenda quanto valem as provas objetivas e a redação!

Quantos pontos vale o Enem

Ano de fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não é moleza. Tem que ficar de olho no calendário, preencher a inscrição, pagar a taxa, conferir o local de prova e, claro, estudar muito para conseguir uma boa pontuação.

Terminadas as provas, outra agonia: esperar o resultado, que só vem cerca de dois meses depois. A ansiedade tem um motivo: com a nota do Enem é possível entrar em faculdades públicas e privadas, conseguir bolsas de estudos e até financiamento universitário a juros baixos.

Mas será que dá para descobrir a nota antes? Qual a nota mínima e máxima que dá para tirar? Quantos pontos, no total, vale o Enem?

Confira a seguir as respostas para todas essas perguntas. Veja também alguns exemplos de faculdades reconhecidas pelo Ministério da Educação que aceitam a nota do Exame.

Quantos pontos vale a redação do Enem?

Vamos começar pelo mais simples. A redação do Enem vale de 0 a 1.000 pontos. Cada um dos milhões de textos é corrigido individualmente por pelo menos dois avaliadores, que atribuem entre 0 a 200 pontos em cinco critérios:

  1. Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa
  1. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa
  1. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista
  1. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação
  1. Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos

Quantos pontos valem as provas objetivas do Enem?

O modelo de correção adotado pelo Enem para as quatro provas objetivas é tão complexo e leva em conta tantas variáveis que não dá para adivinhar a pontuação antes de sair o resultado.

Ao contrário da redação, que tem nota mínima e máxima fixas, nas provas objetivas elas variam a cada edição do Exame. E mais: se um participante errar todas as questões, ainda assim não vai tirar zero. Como isso é possível?

A resposta está na Teoria de Resposta ao Item (TRI), método usado em diversas provas importantes pelo mundo. Ela busca avaliar o nível de conhecimento de cada candidato e, para isso, usa cálculos sofisticados. Entre os critérios, estão:

  • Nível de dificuldade de cada questão
  • Desempenho geral dos candidatos
  • Coerência nas respostas individuais
  • Acertos ao acaso (chutes)

Entendeu por que não dá para descobrir a pontuação do Enem apenas pela conferência do gabarito oficial e soma do número de questões certas?

Nem mesmo aplicativos de celular conseguem prever sua pontuação do Enem, até porque não têm a equipe de especialistas envolvidos na correção do Exame (matemáticos, estatísticos e psicometristas), nem acesso ao nível de dificuldade definido para cada questão e ao desempenho de todos os participantes. O jeito é esperar o resultado oficial, que normalmente sai entre as últimas semanas de dezembro e as primeiras de janeiro.

Mas e as notas mínimas e máximas? Como funcionam? As notas mínimas e máximas das provas objetivas são divulgadas com o resultado do Enem e mudam a cada edição. Em comum, sabe-se que não tem como tirar zero. Parece estranho, mas o fato é coerente com o modelo da TRI. Vamos entender melhor.

Você já sabe que o objetivo do Enem não é medir a quantidade de acertos, mas o nível de conhecimento do candidato. E, para os organizadores do Enem, se um candidato errar todas as questões não significa que ele tenha “zero” conhecimento.

Veja algumas notas máximas e mínimas definidas para edições recentes do Enem:

Enem de 2015

Ciências Humanas e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 314,3
  • Nota máxima: 850,6
  • Média: 558,1

Ciências da Natureza e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 334,3
  • Nota máxima: 875,2
  • Média: 478,8

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 302,6
  • Nota máxima: 825,8
  • Média: 505,3

Matemática e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 280,2
  • Nota máxima: 1.008,2
  • Média: 467,9

Enem 2014

Ciências Humanas e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 324,8
  • Nota máxima: 862,1
  • Média: 546,5

Ciências da Natureza e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 330,6
  • Nota máxima: 876,4
  • Média: 482,2

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 306,2
  • Nota máxima: 814,2
  • Média: 507,9

Matemática e suas Tecnologias:

  • Nota mínima: 318,5
  • Nota máxima: 973,6
  • Média: 473,5

Por que duas pessoas com a mesma quantidade de acertos têm nota diferente no Enem?

Em provas de assinalar da escola e em exames de vestibular com questões objetivas, a conta é simples: quem acertou tudo tira 10, quem acertou metade tira 5 e por aí vai.

No Enem, já sabemos que é diferente. Cada participante é avaliado individualmente, de acordo com seu nível de conhecimento e coerência ao responder questões fáceis, médias e difíceis.

Por exemplo: na prova de Matemática, Marcos acertou 30 questões. Respondeu corretamente todas as questões fáceis, metade das médias e uma difícil. Podemos entender que seu conhecimento é coerente, certo? Agora, na mesma prova, Juliano acertou 30 questões: todas as médias, algumas difíceis e poucas fáceis. Bem, se Juliano gabaritou as questões de média dificuldade, por que não acertou também as fáceis? Nesse caso, o comportamento dele não é coerente e sua pontuação será mais baixa do que a do Marcos.

E aqui a TRI tem mais uma pegadinha. O sistema é capaz de reconhecer os tais “acertos ao acaso”, que nada mais são do que os famosos chutes. O candidato que acertar uma questão na sorte ou chute também pontua, mas o valor é menor.

Por isso, dois candidatos com a mesma quantidade de acertos no Enem podem ter notas diferentes. Complicadinho, né?

Onde encontro minha pontuação no Enem?

A nota do Enem é divulgada no Boletim de Desempenho Individual, que pode ser acessado no site oficial do Exame. Quando o MEC publicar o resultado, basta entrar na página do participante com seu número de inscrição e senha para encontrar a pontuação geral e a nota de cada uma das cinco provas: Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Linguagens e Códigos, Matemática e Redação.

O que fazer com a pontuação do Enem?

A grande vantagem de passar por todo o perrengue do Enem é poder usar a nota do Exame para entrar na faculdade. Conheça os principais processos seletivos que usam o desempenho nas provas para classificar candidatos:

Sistema de Seleção Unificada (Sisu): oferece vagas em universidades públicas. Para se inscrever, basta não ter zerado na redação do Enem mais recente. Para passar, dependendo da concorrência, a pontuação mínima começa em 450 e pode chegar a mais de 800.

Programa Universidade para Todos (ProUni): oferece bolsas de estudos em faculdades particulares bem avaliadas pelo MEC. Pode concorrer ao benefício quem se encaixar nos critérios de renda e escolaridade definidos pelo Programa e apresentar desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação do Enem mais recente. Ganham a bolsa os candidatos com maior nota do Enem.

Fundo de Financiamento Estudantil (FIES): concede financiamentos a juros baixos. A pontuação mínima exigida é a mesma do ProUni, mas o candidato pode apresentar a nota de qualquer edição do Enem a partir de 2010. Também tem critérios de renda familiar.

Ingresso direto: muitas faculdades privadas aceitam a nota do Enem como forma de ingresso, sem que o candidato precise fazer qualquer outra prova. Os critérios de seleção variam. Informe-se diretamente na faculdade do seu interesse sobre as condições.

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer cursos superiores que aceitam o Enem para ingresso direto, ProUni e FIES:

Veja também:

Faculdades que aceitam o Enem

Como está a ansiedade para saber a nota do Enem? Acha que foi bem? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin