dcsimg

Descubra quem pode entrar no FIES

Veja se você se encaixa nos requisitos para conseguir um financiamento estudantil a juros baixos para pagar a faculdade sem sufoco!

O FIES foi criado para facilitar o acesso de estudantes brasileiros ao ensino superior.

Com juros baixos e prazo longo para quitar a dívida, já ajudou milhões de pessoas a concretizarem o sonho de fazer uma faculdade.

E você já sabe: ter um diploma no Brasil é o primeiro passo para um futuro profissional mais promissor, com mais oportunidades de trabalho e salários mais altos.

Desde o seu surgimento, em 1999, o programa vem evoluindo e mudando continuamente. O FIES está cada vez mais direcionado, com mais critérios de participação que buscam atender a quem realmente precisa.

Se você está pensando em pedir um financiamento estudantil, descubra a seguir quem pode entrar no FIES, as mudanças recentes que o programa sofreu e, claro, boas faculdades onde você poderá usufruir do benefício!

Quem pode entrar no FIES?

O FIES já foi aberto a praticamente qualquer pessoa interessada em financiar os estudos. Hoje, para se manter vivo, o programa precisou se ajustar aos novos tempos de cortes no orçamento.

A maior mudança veio em 2015, quando o governo decidiu que os candidatos interessado no FIES deviam, além de cumprir os critérios de renda, passar também por um processo seletivo.

Essa decisão criou um perfil específico para o programa. É por isso que o Ministério da Educação (MEC) exige, hoje, que os interessados se encaixem nos seguintes critérios:

  • Tenham renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa
  • Tenham participado de qualquer edição do Enem a partir de 2010, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação

O MEC oferece mais ou menos 300 mil vagas de financiamento todos os anos. Para conseguir uma é preciso encarar um processo seletivo muito similar aos que já são utilizados no Sisu, para conseguir entrar em universidades públicas, ou no ProUni, para quem busca bolsa de estudos em faculdades particulares.

A seleção é feita de acordo com a nota obtida no Enem. Quanto maior a pontuação, maiores as chances de entrar.

Como utilizar o FIES

O FIES é uma boa alternativa, pois ajuda a cobrir os custos das mensalidades de uma faculdade particular.

Só que o FIES não é de graça. O beneficiário terá que devolver mais adiante o valor do investimento ao governo, ainda que de forma facilitada e prazo longo para quitação da dívida.

O grande atrativo do programa são os juros abaixo do valor de mercado. Dependendo do perfil do candidato, a taxa pode ir de 0% a 6,5%. O prazo de pagamento pode se estender por vários e vários anos e só começa a contar depois da formatura.

Outro ponto positivo: o FIES pode ser utilizado em cursos de várias áreas do conhecimento. O único porém é que, por enquanto, o benefício só cobre graduações presenciais.

Com todas essas vantagens, o programa é uma ótima saída para quem não quer mais adiar o sonho de fazer um curso superior.

O FIES é aceito por centenas de faculdades particulares espalhadas por todo território nacional. A lista das instituições participantes fica disponível somente quando abre um novo processo seletivo para vagas de financiamento, no início de cada semestre letivo.

A seleção acontece pela internet e é totalmente gratuita. Tudo é feito única e exclusivamente pelo site do FIES Seleção.

Boa notícia: agora mais gente pode entrar no FIES!

Dando sequência à série de mudanças no programa, o Governo comunicou mais um pacote de alterações no formato do FIES em julho de 2017.

Só que dessa vez vieram boas notícias: o programa se tornou mais inclusivo, voltado aos candidatos que têm renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa – antes o máximo permitido era de três salários.

Junto a essa mudança vieram outras tantas, inclusive o fato de o programa agora ter três categorias distintas (veja detalhes a seguir).

Conheça as novidades:

  • O governo derrubou o limite de mensalidade imposto pelo formato anterior do programa, que era de R$ 5 mil. Agora quem pensa em financiar um curso de Medicina, por exemplo, tem uma opção interessante ao alcance.
  • O tempo de carência para começar a pagar a dívida do financiamento também mudou. Se antes era de um ano e meio a partir da formatura, agora as parcelas vão chegar assim que o beneficiário conseguir emprego depois de se formar.
  • Agora são três categorias de financiamento: O FIES 1, 2 e 3.
  • O FIES 1 tem como alvo os candidatos com renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. O grande diferencial aqui é o financiamento a juro zero – uma vantagem e tanto! Esse tipo de contrato vai responder por um terço de todas as vagas disponíveis anualmente.
  • A segunda modalidade do FIES beneficia os candidatos que vivem nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste do Brasil. O motivo é justo: turbinar o ensino superior nas localidades que têm mais carência de profissionais qualificados. A renda familiar bruta mensal para participar é de até cinco salários mínimos por pessoa. Nesta categoria os juros serão de 3% – menos da metade do que era cobrado antes.
  • A terceira e última modalidade do FIES deve abranger candidatos com renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa. Aqui os juros cobrados ficam na casa de 6,5% – mais alto do que os demais mas, ainda assim, abaixo dos valores praticados no mercado.

Quem está com nome sujo pode entrar no FIES?

Sim, desde que siga à risca algumas restrições impostas pelo Governo.

O objetivo é garantir uma certa segurança aos bancos e às faculdades envolvidas. Como o FIES normalmente lida com valores altos, as instituições financeiras exigem que os alunos com nome sujo utilizem o Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC), o chamado Fundo Garantidor.

Nesse caso, o FIES só será concedido se o candidato se encaixar nos seguintes requisitos:

  • Comprove renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa.
  • Esteja solicitando o benefício em algum curso de licenciatura (que forma professores).
  • Seja beneficiário de uma bolsa parcial do ProUni e esteja contratando o FIES para pagar a outra parte do curso.

O candidato com nome sujo precisará encarar o processo seletivo normalmente. Depois disso, caso seja pré-aprovado, passará por uma bateria de comprovação e apresentação de documentos, como todos os demais alunos. Ele só terá que lidar com a questão do nome sujo quando tiver que ir ao banco que realizará o financiamento.

É preciso ficar alerta a um detalhe: o Fundo Garantidor só está disponível caso a faculdade escolhida tenha aceitado essa modalidade de fiança.

Candidatos que estejam inadimplentes com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC) do Governo Federal não poderão obter o financiamento do FIES.

É fácil entrar no FIES?

Conseguir financiamento do FIES pode ser relativamente fácil ou bem difícil. Tudo depende do curso e da faculdade em que o candidato está de olho. Algumas instituições mais conhecidas tendem a ter um número maior de alunos inscritos. E quando o número de alunos aumenta, é provável que suba também o valor da nota de corte necessária para obter a vaga desejada.

A lógica é a mesma para os cursos.

Aqueles mais badalados, como Medicina, Odontologia, Psicologia e Direito vão exigir do participante uma pontuação bem alta no Enem.

Em alguns outros, como Gestão de Recursos Humanos, Filosofia, Matemática e Letras, por exemplo, é possível entrar com nota próxima ao mínimo exigido para a inscrição: 450 pontos.

A nossa dica é: acompanhe a flutuação das notas de norte enquanto o processo seletivo estiver aberto. Se ela for mais alta do que a sua pontuação, você ainda pode procurar o curso desejado em outra faculdade. Ou mudar totalmente de curso. Você decide. Alterações podem ser feitas até o último minuto da seleção. Para a classificação final, o sistema levará em conta a última opção salva pelo candidato.

Faculdades que participam do FIES

O FIES tem uma grande vantagem: só está disponível em faculdades e cursos bem avaliados pelo MEC.

Isso garante que você irá investir não apenas numa formação de qualidade, mas também em um diploma que será aceito no mercado de trabalho.

Para facilitar sua busca, a gente escolheu algumas instituições de qualidade que participam do programa. Com essas faculdades em mente vai ser mais fácil achar seu curso no momento da inscrição.

Confira:

Veja também:

Saiba que nota você precisa tirar no ENEM para conseguir FIES

Você pode entrar no FIES? Vai tentar na próxima seleção? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin