dcsimg

Rock in Rio e os desafios de Infraestrutura

O Rock in Rio foi um evento super favorável tanto no aspecto turístico envolvendo o giro de capital, quando no aspecto estratégico. Foi possível ter uma prévia em pequena escala dos próximos desafios da cidade maravilhosa.

O Rio, O Rock in Rio e a infraestrutura

O Rock in Rio é um festival de música que teve sua primeira edição no ano de 1985, tendo o Rio de Janeiro como palco do primeiro evento. Desde então, o festival acontece de tempos em tempos, com algumas edições fora do país, como Espanha e Portugal, que já sediaram esse evento. Em setembro/outubro de 2011 a cidade maravilhosa foi palco de mais um Rock in Rio, que além de rock´n roll contou com a presença de cantores de diversos gêneros musicais.
Apesar da cidade ter se preparado para o evento, a infraestrutura parece não ter sido suficiente, hotéis lotados e dificuldade de transporte foram grandes reclamações do evento. Os shows aconteceram no bairro Barra da Tijuca, que fica bem distante do centro da cidade e da Zona Sul, onde a concentração de hotéis é mais alta. Profissionais das áreas de hotelaria e gastronomia estão escassos na cidade, um dos motivos pelo qual houveram tantas reclamações do evento.
Cursos profissionalizantes nessas áreas estão sendo fornecidos pela cidade, para que ela possa receber melhor seus visitantes, ainda que insuficiente, várias vagas foram abertas para os cursos de Gastronomia e Hotelaria. Os hotéis, a maioria com a capacidade lotada, parecem não ter dado conta do recado, e as reclamações foram diversas, como falta de acomodações adequadas e demora no serviço de quarto.
A cidade tem atraído essa mão de obra, que nunca foi tão escassa, os hotéis não param de ser construídos e novos restaurantes são abertos o tempo todo na cidade. A vigilância sanitária, juntamente com o Decon (delegacia do consumidor), estão num projeto severo, para fiscalizar e corrigir as irregularidades dos hotéis e restaurante espalhados por toda a cidade.
A cidade criou o projeto “Turismo Legal”, que visa organizar e fiscalizar os padrões de higiene e manipulação de alimentos dos estabelecimentos, fazendo com que o turista se sinta seguro ao fazer suas refeições dentro ou fora dos hotéis. Antes e durante o evento, vários hotéis foram fiscalizados e várias irregularidades foram encontradas. Multas foram dadas e os estabelecimentos que estavam fora de padrão se comprometeram em regularizar a situação o quanto antes. Nutricionistas também são cobrados cada vez mais dentro das cozinhas de hotéis e restaurantes, a presença de pelo menos um profissional da área de nutrição agora é obrigatória. Visitantes de toda a parte do país, e alguns de outras partes do mundo, vieram prestigiar o evento, e muitos voltaram frustrados pela falta de organização e estrutura da cidade. O governo do Rio separou alguns ônibus para o transporte até o local do evento, mas o trânsito e a distância do local dificultaram o acesso até a cidade do rock.

Caso coloquemos na balança os pós e os contras, o Rock in Rio foi um evento bem sucedido, que agradou a maioria dos visitantes e moradores da cidade maravilhosa, mas ainda há muito o que ser melhorado na infraestrutura da cidade e é por isso que novos profissionais do ramo de alimentos e bebidas estão sendo formados, como garçons, cummins, gastrônomos, nutricionistas, recepcionistas, camareiras e etc. A cidade está cada vez mais preparada para receber gente de fora, mas ainda falta muito para ser melhorado. A estimativa é de que no ano de 2014, ano em que o Rio será uma das cidades sedes da Copa do mundo de futebol, a cidade esteja mais preparada para receber o maior número possível de turistas, com conforto e qualidade.

Rio de Janeiro e as Oportunidades Profissionais

É importante destacar a necessidade de diversos profissionais para formar a base de infraestrutura do Rio de Janeiro para os eventos que estão por vir. É fato que a cidade teve dificuldades para absorver os turistas e os visitantes do Rock in Rio. A dimensão da copa do mundo e das olimpíadas é deveras maior, implicando em uma infraestrutura sólida e com planos diversos de contenção de violência, padrões de higiene, transporte e saúde. Desta forma, foi possível que os responsáveis tivessem um parâmetro de escala e dimensão para todos os próximos acontecimentos.
Na contagem regressiva o Rio de Janeiro está implementando diversos planos de expansão que envolve na grande necessidade de profissionais treinados. Os eventos que estão por vir são internacionais, sendo o jeitinho brasileiro não muito aconselhável para atender toda esta demanda multicultural. Profissionais da área de nutrição que tiveram certas dificuldades quando recém formados terão grandes oportunidades de estender os conhecimentos e aplicá-los na prática. Com o crescimento da demanda do profissional, há também crescimento nos cursos de pós-graduação afim de agradar as diferentes culturas. Este aspecto envolve também os profissionais gastronômicos que terão grandes desafios para agradar a gregos e troianos.
O setor de transporte também é um ponto crucial para toda a logística dos eventos. Este, com certeza é um dos grandes pontos-chave juntamente com a demanda de leitos. Há uma limitação física para o fluxo das pessoas, juntamente com a limitação física da construção de novos hotéis (e captação de profissionais de Hotelaria e Turismo) perto dos grandes centros. Há então a necessidade de investir em meios eficientes de transporte. E no fim temos ainda a grande dúvida, toda esta expansão será absorvida pela capital, ou haverá desperdício de capital público?

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin