dcsimg

8 temas de redação que podem cair na Fuvest 2017

Redação Fuvest

Não se engane: janeiro está chegando rápido e num piscar de olhos será o dia de fazer as provas da segunda fase da Fuvest – um dos maiores e mais concorridos vestibulares do Brasil.

Quem conseguir passar pela primeira fase da Fuvest 2017 (que acontece em 27 de novembro de 2016, com 90 questões objetivas) terá que encarar três dias de provas discursivas na segunda etapa, que vai de 8 a 10 de janeiro de 2017. Logo de cara o candidato terá que fazer a prova de Língua Portuguesa e Redação.

A redação da Fuvest mete medo em muita gente. A estrutura é similar à do Enem: com base em um texto desenvolvido sobre temas atuais a comissão organizadora avalia o grau de conhecimento do aluno tanto no assunto solicitado quanto na estrutura de raciocínio e no domínio do Português.

Para você chegar bem preparado ao dia da redação, fomos atrás de alguns temas que podem cair na Fuvest 2017. Dê uma olhada e comece a praticar!

Temas que podem cair na Fuvest 2017

Fazer uma redação coerente não é tão fácil quanto parece. Além de escrever corretamente é preciso ter bom conhecimento sobre o tema e ser capaz de articular ideias, diferenciar os fatos relevantes e, principalmente, demonstrar que tem mente aberta e capacidade de análise.

O tema da redação da Fuvest 2017 só é revelado no dia da prova, mas você pode aprimorar suas habilidades treinando os possíveis assuntos que podem cair no exame.

Para trazer alguns assuntos quentes à tona, pedimos ajuda ao professor Claudio Caus, do Cursinho da Poli. Claudio é especialista em redação e elencou algumas dicas. Confira!

1. Concepção de família

Como é a família dos novos tempos? Dois pais, duas mães, mãe solteira, pai solteiro, pai, mãe e filhos… O que deve unir as pessoas: os laços de sangue ou de afeto?

Essa é uma discussão importante em todo o mundo. Conforme avançam as políticas de adoção de crianças por casais homossexuais, por exemplo, cresce também a resistência de grupos religiosos a essas práticas. Dentro de uma ótica social e humana, o que deve prevalecer?

Lembre-se que os avaliadores estão em busca de uma visão crítica a respeito do assunto, não a sua opinião pessoal, suas crenças ou atitudes. Ou seja: estude a fundo a questão, suas implicações e seus desdobramentos para fazer uma argumentação coerente.

2. Bioética

A engenharia genética avança, as ciências médicas se desenvolvem no mesmo passo e novas formas de salvar vidas vão criando esperanças e limites dentro do que a gente pode ou não fazer diante das novas tecnologias médicas. Clonagem, nanotecnologia, células-tronco… até onde a ciência pode ir? Fazer testes em animais e seres humanos é uma prática inevitável? Preceitos religiosos do paciente devem ser seguidos em caso de emergência?

Esse tema é extremamente complicado e dá muito pano para a manga, por isso é recomendável estudá-lo com bastante atenção. Busque exemplos que aconteceram na vida real, a solução encontrada e que caminho a ciência tem seguido para avançar sem ferir princípios éticos.

3. Inclusão social

Por mais que o Brasil tenha registrado alguns avanços no campo da inclusão social, ainda estamos bem atrás de países desenvolvidos nesse quesito. Como tornar acessível bens básicos como água, saneamento, comida, transporte, educação, saúde, cultura e emprego para as pessoas, com tanta gente ainda à margem da sociedade? É possível incluí-las no sistema produtivo do ponto de vista econômico e social?

Como o Brasil, um país com mais de 200 milhões de habitantes, pode gerar oportunidades para todo mundo? Como as mudanças no cenário político nacional, o avanço da crise e a diminuição do investimento em programas sociais podem nos afetar daqui a uns anos?

4. A hiper-tecnologia

Aquilo que costumávamos ver nos filmes e nas séries está se tornando real diante dos nossos olhos. A realidade virtual vem se desenvolvendo muito rapidamente e tem sido usada até para fazer cirurgias complexas.

A realidade aumentada, como o jogo Pokémon Go, que mobilizou metade do planeta na semana do lançamento, também deu o que falar. E tem ainda a internet 5G, a hiperconectividade, o Whatsapp, o Snapchat, o Waze, o Google, enfim, toda nossa vida agora depende de internet.

O que isso pode trazer de bom e de ruim para o futuro próximo? Como serão os relacionamentos nos próximos anos? Qual o impacto da hiper-tecnologia na educação, na ocupação dos espaços públicos e até no desenho das cidades do futuro?

Nesse cenário, a inteligência artificial está construindo um novo mercado, baseado em desejos e aspirações de cada usuário. O uso incorreto desses dados, no entanto, pode ser uma arma perigosa nas mãos de pessoas ou grupos mal intencionados.

5. Impacto das mudanças em hábitos históricos

Estamos vivenciando mudanças radicais, principalmente na escola e no trabalho. O avanço das tecnologias educacionais a distância e da qualidade da internet tem permitido que cada vez mais pessoas trabalhem ou estudem sem sair de casa. Isso tem gerado um impacto gigantesco no ritmo da sociedade.

Muitos países mais desenvolvidos, como Suécia e Canadá, estão diminuindo o tempo em que as crianças passam na escola e praticamente eliminaram as lições de casa. Isso pode gerar uma mudança sem precedentes na nossa história, em que os indivíduos ficam mais tempo em casa e menos tempo em convívio com outras pessoas.

Como lidar com o avanço de hábitos que se opõem à ocupação do espaço público e reforçam a tendência de ficarmos cada vez mais em casa?

6. Alimentação

A má distribuição dos alimentos, o excesso de substâncias tóxicas (o Brasil é campeão mundial em uso de agrotóxicos!), a criação de gado, a aplicação de hormônios em animais para abate, o desperdício de alimentos – todos esses fatores geram uma questão central: como conciliar interesses do mercado e necessidades da população?

Recentemente a Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou uma pesquisa recomendando que as pessoas se tornem vegetarianas porque em breve o planeta não comportará mais a criação de gado. Como lidar com isso?

O professor Cláudio Caus alerta que faz tempo que não cai nada sobre alimentação nas provas de redação e é bem possível que o tema seja abordado. Estude as questões éticas, econômicas, nutricionais e biológicas relacionadas ao assunto.

7. Imigração e a crise política mundial

É um tema que já caiu no Enem mas, com a questão dos refugiados se intensificando, tem chance de aparecer novamente – especialmente depois da saída do Reino Unido da União Europeia (o Brexit).

Junto a isso, temos a ascensão de políticas nacionalistas, em especial na Europa pós-Brexit, e nos Estados Unidos, com o crescimento do eleitorado a favor do candidato Donald Trump. Também temos movimentos similares no Brasil. As guerras, o terrorismo, os movimentos separatistas e a intolerância têm ocupado mais e mais as manchetes dos jornais. Preste atenção a essa questão com muito cuidado para não se deixar levar por pontos de vistas extremos.

8. Gênero e identidade

É um tema complementar ao da concepção de família. Estão rolando algumas discussões sobre um novo projeto de escola, mais voltado para a aceitação das diferenças e que entende gênero como um conceito mais social do que biológico.

No entanto, há uma forte atuação de grupos religiosos tentando impedir o avanço dessas discussões, buscando barrar qualquer debate sobre diversidade sexual e étnica nas escolas.

No meio de todo esse processo, o professor fica desorientado, sem saber como conduzir essa questão ou mesmo lidar com situações concretas envolvendo gênero e identidade. Como essa questão vai chegar às novas gerações por meio do ensino? E, principalmente, como vai chegar às camadas mais pobres da população, onde a violência contra pessoas LGBT é mais presente?

Veja também:

Veja o calendário com as datas da Fuvest em 2016

O que achou das dicas do professor Claudio Caus? Tem algum outro tema pra sugerir? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin