dcsimg

Veja como funciona a distribuição das vagas remanescentes do FIES 2016

A convocação dos candidatos em lista de espera do FIES 2016 começa em meados de julho. Veja todos os detalhes!

fies-logo

A segunda edição do FIES 2016 começou com um certo atraso e deixou muito candidato preocupado.

Apesar das indefinições do Governo Federal, o processo seletivo foi ao ar com 75 mil opções de financiamentos, distribuídos de Norte a Sul do Brasil.

Os resultados já foram divulgados e agora começa a convocação de quem está em lista de espera – um momento de expectativa para aqueles que não foram pré-selecionados na primeira chamada.

Veja como funciona a distribuição das vagas remanescentes do FIES 2016 e todos os passos para assegurar o seu financiamento estudantil ainda esse ano!

Sistema de vagas do FIES 2016

As 75 mil vagas da segunda edição do FIES 2016 vão, a princípio, para os candidatos que foram pré-selecionados em primeira chamada.

Só que nem todas essas vagas são ocupadas logo no começo. Muitos candidatos não se atentam aos prazos, esquecem de seguir os passos seguintes da seleção, não apresentam a documentação necessária ou simplesmente desistem de contratar o financiamento.

As vagas que eles deixam para trás vão sendo distribuídas aos candidatos que ficaram em lista de espera até que pelo menos a grande maioria seja ocupada. Muita gente que fica em lista de espera acaba conseguindo o FIES.

Distribuição das vagas remanescentes do FIES 2016

Quem ficar em lista de espera precisa redobrar a atenção. O FIES vai chamando os candidatos aos poucos, conforme as vagas vão surgindo, e esse processo pode levar semanas. Não vai ser divulgada uma lista, como no primeiro resultado. É dever do interessado checar todos os dias o site do FIES Seleção para saber se foi contemplado ou não.

Quem estiver em lista e for chamado, vai precisar correr. Depois da entrada do candidato na relação dos pré-selecionados, o MEC dá apenas cinco dias úteis para cumprir a segunda etapa de inscrição, que é o preenchimento de dados num outro sistema, o SiSFIES.

Depois de se inscrever no SisFIES, o candidato terá que levar documentos para a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da faculdade onde conseguiu a vaga. O prazo para essa etapa será de até 10 dias, contados a partir do dia seguinte ao da conclusão da inscrição no SisFIES.

Mas não acabou ainda!

O contrato de financiamento ainda precisa ser assinado numa das agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. É preciso comparecer a uma delas e levar toda a documentação ou comprovantes extras que podem ser solicitados nesse momento.

Quem não cumprir todas essas etapas perde o benefício e cede a vaga para o próximo participante da lista de espera.

Resultados das vagas do FIES 2016

O segundo FIES de 2016 aconteceu entre os dias 24 e 29 de junho. Os resultados já foram divulgados no dia seguinte, 30 de junho, e podem ser acessados no site do Fies Seleção.

Os alunos pré-selecionados na primeira chamada devem prosseguir as próximas etapas de inscrição entre os dias 15 e 21 de julho.

A partir desse período, os candidatos que ficarem em lista de espera já devem ficar ligados no site, pois têm a possibilidade de serem chamados.

Conforme os candidatos aprovados em primeira chamada desistirem ou forem desclassificados do FIES, o sistema irá convocar automaticamente os próximos nomes.

Essa segunda etapa de seleção dos candidatos do FIES só começou 15 dias depois da divulgação dos resultados devido a um problema de configuração do sistema.

O MEC não divulgou uma data-limite para a convocação dos nomes que irão ocupar as vagas não preenchidas. Mas o normal é que o processo se estenda por uma parte do mês de agosto de 2016.

Novidades do FIES 2016

A segunda edição do Fundo de Financiamento Estudantil de 2016 trouxe pelo menos uma novidade interessante: o aumento da renda mínima para participar.

Nas seleções anteriores, somente aqueles que comprovassem renda familiar bruta mensal de no máximo 2,5 salários mínimo por pessoa podiam participar. Agora, o teto subiu para 3 salários.

Parece pouco, mas isso amplia bastante as possibilidades de participação de pessoas interessadas em financiar os estudos superiores.

Essa mudança, aparentemente tão simples, exigiu uma grande reconfiguração dos sistemas do Ministério da Educação, especialmente o SisFIES, o que gerou atrasos tanto na abertura do processo de seleção quanto no período de confirmação de inscrição – que só começou 15 dias depois da divulgação dos resultados (normalmente começaria no dia seguinte).

E quem não for chamado?

Quem não entrou nesta segunda edição do FIES (ou ficou em lista de espera e não foi chamado) terá que esperar até a próxima edição do programa para participar. Em janeiro do próximo ano, 2017, o MEC deve abrir um novo processo seletivo.

A vantagem é que no primeiro semestre são ofertadas muito mais vagas – às vezes a quantidade chega a ser 4 vezes maior.

As datas do próximo FIES não foram definidas, mas o processo seletivo deve acontecer pelo final de janeiro de 2017, logo depois da realização do Sisu e do ProUni.

Assim que o MEC divulgar o cronograma, você ficará sabendo por aqui!

Quem pode se inscrever no FIES?

O Fundo de Financiamento Estudantil é um programa do Governo Federal voltado a todos os brasileiros de baixa renda que desejem fazer um curso superior para melhorar de vida.

Para participar, o candidato precisa ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010 e obtido um desempenho de no mínimo 450 pontos nas provas objetivas e nota acima de zero na redação.

A concorrência é grande, especialmente para quem busca financiar cursos como Direito, Engenharia e da área da Saúde. Normalmente, para conseguir ser classificado em primeira chamada é preciso ter uma nota bem acima do mínimo necessário.

O FIES é voltado a quem tem renda familiar bruta mensal de no máximo 3 salários mínimos por pessoa. Pessoas que ainda não tenham diploma de nível universitário ganham prioridade na concessão do financiamento.

A seleção ocorre duas vezes por ano, sempre no primeiro e no segundo semestre.

Onde estudar com o FIES 2016

Todo semestre o número de cursos e instituições participantes do FIES varia. Quem quer financiar os estudos mas não tem plena certeza da qualidade dos cursos oferecidos, pode ficar tranquilo: o MEC só permite que faculdades bem avaliadas ofereçam o benefício.

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer cursos superiores que costumam participar do FIES:

Veja também:

Vale a pena fazer FIES? Descubra

Você participou da edição mais recente do FIES? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin