dcsimg

FUVEST 2018: 10 temas de redação em que os cursinhos apostam

Só faz a redação da Fuvest quem passa para a segunda fase. Mesmo assim, ela causa pesadelo por antecipação em muita gente.

É que o texto exige dos candidatos bastante conhecimento e capacidade de articular ideias de forma escrita. O tema é surpresa. Só é revelado na hora em que o fiscal de sala autoriza a abertura dos cadernos.

Então, até lá, haja frio na barriga, leitura, análise e prática, muita prática.

Conforme a data das provas se aproxima, é comum os cursinhos pirarem na lista de temas que podem aparecer nas provas – e essa piração é mais do que bem-vinda para você, que vai fazer a Fuvest 2018. Ela facilita o direcionamento e amplia suas possibilidades de estudos.

Por isso mesmo a gente separou 10 temas de redação em que os cursinhos apostam que devem aparecer na Fuvest em 2018.

Dê uma olhada a seguir!

A aposta dos cursinhos para a redação da Fuvest 2018

Fizemos uma pesquisa entre alguns dos mais conhecidos cursinhos de São Paulo, juntamos as principais sugestões e criamos um listão com 10 temas que podem aparecer na redação da Fuvest 2018.

Dê uma olhada:

 1. As reformas políticas e o impacto na população brasileira

O Brasil está passando por três grandes reformas que são, no mínimo, controversas: a trabalhista, a previdenciária e a do ensino médio. Segundo especialistas, elas tiram direitos da população e aumentam o poder dos grandes grupos empresariais.

Será verdade? Será que o Brasil realmente precisava delas? O que muda para nós? Quais são os pontos negativos e os positivos? Não deixe escapar nenhum detalhe.

 2. O problema dos refugiados no Brasil

O Brasil está no mapa dos países que estão recebendo cada vez mais refugiados políticos e de guerra. São pessoas vindas de países da África, do Oriente Médio, da América do Sul e América Central.

Como isso impacta no nosso dia a dia? Quais são as raízes dessa crise? Como essas pessoas se integram à nossa cultura, ao nosso modo de vida? Quais são as reações negativas? Há algum movimento de cunho nacionalista em curso?

3. A iminência de uma nova guerra mundial

Estados Unidos e Coreia do Norte estão se estranhando com frequência. Ameaças nada veladas, conflitos políticos e dois líderes pouco convencionais (para dizer o mínimo!) à frente de tudo isso – Donald Trump e Kim Jong-un.

Especialistas alertam para um risco de uma guerra nuclear que poderá ter consequências irreversíveis para humanidade e para o planeta.

4. Luta por igualdade de direitos

No Brasil e no mundo, nunca se discutiu tanto a igualdade de direitos de grupos historicamente estigmatizados, como homossexuais, negros, pessoas gordas, que vivem em periferias, etc. Agora a luta desses grupos está mais forte e o barulho pode ser ouvido em diversas camadas da população.

Analise o histórico, as políticas públicas, os movimentos contrários, o posicionamento do estado e da população em geral.

5. Brasil no mapa da fome

Com o avanço da crise e as novas configurações políticas, os programas brasileiros de amparo à população carente estão sob o risco de desaparecer. Algumas consequências desse triste cenário já podem ser vistas, como o retorno do país ao mapa da fome da ONU – do qual havíamos saído em 2014.

Observe as raízes do problema, o que foi feito para que ele fosse amenizado e o que aconteceu para que voltássemos a ele.

6. O pensamento conservador no Brasil e no mundo

Há uma clara ascensão do pensamento conservador no mundo todo. A eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, a saída da Inglaterra da União Europeia (o Brexit), a quase eleição de um líder de extrema direita na França e o fortalecimento da candidatura de figuras ultraconservadoras no Brasil dão pistas do que está por vir.

Analise as origens e entenda por que esse sentimento tem se disseminado tão rapidamente por todo o planeta. Em 2002 a Fuvest abordou um tema similar, o neonazismo e o neofascismo.

7. A corrupção política e a do dia a dia

Por que os políticos acusados de crimes graves não são punidos? Por que a corrupção não tem limites no Brasil? Como ela se incrustou em todas as esferas políticas, econômicas e sociais? Por que mesmo a pessoa mais insuspeita pratica pequenas corrupções diárias? Como mudar esse triste quadro?

8. A retomada das cidades e a nova configuração urbana do futuro

Há um movimento nas grandes cidades brasileiras, ainda discreto, de retomar as ruas, de voltar a usar os espaços públicos, de tentar ter uma vida fora dos condomínios fechados e dos shopping centers.

Será que é o início de uma revolução urbana? Quais são as perspectivas para o futuro? Como fica a relação entre espaço público e privado, sempre tão problemática no Brasil?

9. O retorno das doenças erradicadas

O mundo assiste estupefato ao ressurgimento de doenças que há décadas estavam controladas ou totalmente erradicadas. Boa parte disso se deve às condições de vida em que as populações dos países mais pobres vivem, sem saneamento e sem acesso a políticas de prevenção.

Nos países ricos, fala-se que os causadores são os chamados “anti-vaxxers”, ou as pessoas que se recusam a vacinar seus filhos – por medo infundado de que a criança desenvolva autismo ou alguma deficiência de aprendizado.

10. Drogas: redução de danos ou combate?

Recentemente, tivemos episódios dignos de filme de ficção científica quando assistimos à repressão às chamadas “cracolândias” em todo o Brasil. A luta contra as droga já se mostrou ineficaz, mas até agora o poder público deu de ombros a outras alternativas – especialmente aquelas que enxergam o vício como problema de saúde pública.

Por que isso acontece? Como está o cenário mundial? Há algum caso de sucesso nessa história toda?

Dicas de como fazer uma redação nota 10 na Fuvest

Estudar para a redação da Fuvest é sempre um desafio – principalmente porque edital não traz uma lista de temas possíveis. Basicamente, o candidato está por conta própria.

Porém, algumas dicas podem ajudar a garantir uma boa nota. Confira:

  • Faça uma leitura diária dos principais sites, jornais e revistas do Brasil e do mundo. Vá separando quais são os temas mais relevantes e estude-os com atenção, buscando sempre contextualizar o assunto histórica, política, e economicamente. Cuidado com os sites de notícias falsas!
  • Guarde consigo grandes dados estatísticos genéricos, como índice de desemprego atual, porcentagem da população negra no Brasil, violência contra mulher, pobreza, taxa de homicídios, etc.
  • Pratique bastante. Essa é a única forma de escrever bem e dominar o formato pedido nas provas (o dissertativo).
  • Assumir posicionamentos radicais com um só ponto de vista é um erro que pode lhe render uma nota baixa.

Quando será a redação da Fuvest 2018

A redação é uma prova que só é feita por aqueles que passam para a segunda fase – ou seja: aproximadamente 20% de todos os vestibulandos que fazem a Fuvest.

Ela é composta somente de provas dissertativas. Em 2018 serão aplicadas nos dias 7, 8 e 9 de janeiro – domingo, segunda e terça-feira.

A de redação é logo a primeira. Junto a ela, mais 10 questões que misturam Língua Portuguesa e Literatura. O tempo total da prova será de quatro horas.

É provável que o tema de 2018 aborde alguma questão da atualidade, com forte apelo sociológico, político, artístico, cultural ou econômico – na linha daqueles que citamos acima.

Sugestões de faculdades legais caso não role a Fuvest

Quem não conseguir entrar na Fuvest e quiser aproveitar melhor o tempo pode se matricular em uma faculdade que seja mais fácil de passar e que também ofereça ensino de qualidade.

É uma forma inteligente de começar 2018 fazendo um curso superior!

Aqui a gente vai listar algumas instituições bem avaliadas pelo Ministério da Educação (MEC) que têm cursos em diversas áreas do conhecimento para você escolher.

E se o problema for o valor das mensalidades, pode relaxar: todas elas oferecem bolsas de estudos pelo ProUni, financiam os cursos com o FIES e possuem programas próprios que facilitam a vida dos estudantes.

Conheça:

Veja também:

Veja qual é a relação candidato-vaga da Fuvest esse ano pra cada curso

O que achou dos temas que listamos aqui? Tem mais algum para acrescentar? Compartilhe com a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin