dcsimg

Quanto ganha um Corretor de Imóveis?

Descubra o salário inicial do corretor de imóveis e até quanto esse profissional pode ganhar

Business Handshake

O corretor de imóveis, ou corretor imobiliário, é um profissional cuja atividade principal é intermediar transações de compra, venda, locação e permuta de imóveis comerciais e residenciais em áreas urbanas e rurais, acompanhando seus clientes em todo o processo, desde a primeira visita até a assinatura do contrato.

Além disso, o corretor imobiliário pode ainda fazer a captação de imóveis para novos negócios, avaliar a documentação necessária para efetuar transações imobiliárias, realizar avaliações do valor de imóveis para comercialização no mercado e atuar na administração de condomínios.

O aquecimento do setor imobiliário nos últimos anos, horários flexíveis de trabalho, a possibilidade de atuar de forma independente e conseguir boas comissões são alguns dos fatores que atraem novos profissionais para esse ramo.

Salário Mínimo Profissional do Corretor de Imóveis

O corretor de imóveis não costuma ter salário fixo, mesmo que trabalhe para uma imobiliária. São raras as empresas que pagam salário a seus corretores, que têm sua remuneração baseada em comissões sobre a venda e a locação de imóveis.

Existe um projeto de lei em tramitação Câmara dos Deputados, o PL 6497/13,  que propõe um piso salarial de R$ 950 para os corretores de imóveis com jornada de 40 horas semanais.

Média Salarial do Corretor de Imóveis

A remuneração dos corretores de imóveis varia de acordo com o volume de negócios fechados pelo profissional, o valor dos imóveis e a região onde atua. Durante o ano, a renda do corretor imobiliário oscila bastante. É uma atividade que não costuma ter renda regular, principalmente para quem está em início de carreira.

De acordo com o site de empregos Catho, um corretor imobiliário ganha entre R$ 1.030  e R$ 6.000, com média salarial nacional de R$ 3.076

Como guia para corretores e para quem contrata seus serviços, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) define, em cada estado, uma tabela de honorários de transações imobiliárias e outros serviços prestados por esses profissionais.
Seguem alguns exemplos de honorários de serviços prestados por corretores segundo a tabela do Creci do Estado do Rio de Janeiro:

Compra e Venda:

  • Áreas urbanas: 6% sobre o valor da venda
  • Áreas rurais: 10% sobre o valor da venda

Locação:

  • Pesquisas, contratos, reconhecimentos de firmas e registros: valor de um aluguel pago pelo locador
  • Recebimento de aluguel e administração do imóvel locado: 10% do valor do aluguel
  • Locação por temporada: mínimo de 20% do valor pago por temporada

Administração de condomínios:

  • Comissão de 10% sobre todo o montante recebido no mês

Ajustamento para corretores de imóveis:

  • Dois corretores pessoa física: 50% para cada um
  • Dois corretores pessoa jurídica: 50% para cada um
  • Um corretor pessoa física e um corretor pessoa física: 70% para pessoa jurídica em 30% para pessoa física

Sobre a Carreira do Corretor de Imóveis

A profissão de corretor imobiliário é regulamentada desde 1962, com atualização da lei em 1978, quando foi definida a formação necessária para o exercício da profissão, entre outras medidas.

Para obter o registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) do seu estado e começar a trabalhar, o corretor precisa ter formação técnica ou superior. São três possibilidades:

  • Técnico em Transação Imobiliária: curso de nível técnico com duração aproximada de um ano.
  • Tecnólogo em Gestão Imobiliária: curso superior do tipo tecnológico com duração aproximada de dois anos.
  • Bacharel em Ciências Imobiliárias: graduação superior do tipo bacharelado com duração média de quatro anos.

Além de ter bons conhecimentos sobre os aspectos técnicos, financeiros e legais de sua atividade, um bom corretor de imóveis reúne outras características importantes, como por exemplo:

  • Ótimo relacionamento interpessoal
  • Habilidade de negociação e vendas
  • Boa rede de contatos
  • Autoconfiança
  • Resiliência
  • Perseverança
  • Paciência
  • Atualização constante

O mercado imobiliário passou por um grande aquecimento até 2014 e a previsão é que os preços dos imóveis, considerados inflacionados, comecem a cair um pouco em todo o país, com exceção das cidades e São Paulo e Rio de Janeiro. Alguns especialistas apontam que, com a queda de preços, a rapidez das vendas de imóveis vai diminuir um pouco e que o mercado para os corretores imobiliários continuará favorável, porém mais competitivo.
Nesse cenário, saem na frente os corretores de imóveis que investem em qualificação e atualização profissional e adaptam-se ao uso de novas tecnologias para apoiar e impulsionar o seus negócios.

Atuar no mercado internacional é uma possibilidade para corretores brasileiros, que podem trabalhar em cooperação com diversos países, seja levando clientes para investir no exterior ou recebendo compradores estrangeiros. O Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) tem acordos com países como os Estados Unidos, México e Portugal, entre outros.

De acordo com o Cofeci, existem 320 mil corretores registrados no Brasil, sendo 280 mil corretores imobiliários pessoa física e 40 mil pessoas jurídicas (imobiliárias, escritórios e afins).

Onde estudar para ser Corretor de Imóveis

Uma das possibilidades de formação para quem quer trabalhar como corretor de imóveis é fazer o curso de tecnólogo em Negócios Imobiliários.

Confira algumas das principais universidades reconhecidas pelo MEC que oferecem o curso superior em Negócios Imobiliários:

Veja também:

Negócios Imobiliários

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin