dcsimg

Quanto ganha um Engenheiro de Produção?

Descubra o salário inicial do engenheiro de produção e até quanto esse profissional pode ganhar!

Quanto ganha um Engenheiro de Produção?

A Engenharia de Produção é o ramo da engenharia dedicado ao gerenciamento do recursos humanos, financeiros e materiais envolvidos na produção de bens e serviços.

O engenheiro de produção alia conhecimentos de administração, engenharia e economia para projetar, implantar e buscar melhorias nos sistemas de produção focando na produtividade e melhor gestão de recursos. Devido à formação generalista, pode atuar em quase todo tipo de empresa e indústria

A engenharia de produção está entre as carreiras mais promissoras do Brasil, e o salário de um engenheiro de produção, mesmo em início de carreira, é um dos mais altos do país.

Salário Mínimo Profissional do Engenheiro de Produção

De acordo a Lei 4.950-A/66, de 1966, que regulamenta a remuneração dos profissionais diplomados em Engenharia, Química, Arquitetura, Agronomia e Veterinária, a tabela salarial do profissional do engenheiro de produção está vinculada ao valor do salário mínimo vigente e à jornada diária do profissional, independentemente do seu local de atuação.

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos
  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos
  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos

Média salarial do engenheiro de produção

A engenharia de produção está entre as profissões mais bem pagas do Brasil, com salários iniciais acima dos R$ 4.000,00

O levantamento de salários do Datafolha para a indústria na cidade de São Paulo e região metropolitana, indica a média salarial de alguns cargos que podem ser ocupados por engenheiros de produção nesse setor:

  • Chefia de controle de qualidade: R$ 7.599,20
  • Chefia de produção: R$ 7.220,30
  • Coordenador de projetos de sistemas: R$ 10.037,40
  • Supervisor de engenharia: R$ 9.639,60
  • Gerente de controle de qualidade: R$ 12.207,10
  • Gerente industrial: R$ 13.376,50
  • Gerente de planejamento e controle de produção: R$ 12.684,70
  • Gerente de projetos: R$ 14.115,40
  • Gerente de engenharia e projetos: R$ 15.229,60
  • Diretor industrial: R$ 27.182,60

De acordo com a Tabela Salarial da consultoria Robert Half, publicada na revista Exame, que leva em consideração o tempo de experiência do profissional e o porte da empresa onde trabalha, temos os seguintes exemplos de salário médio para cargos ocupados por engenheiros de produção:

  • Engenheiros com 3 a 5 anos de experiência em empresas de pequeno e médio porte:
  • Diretor de Supply Chain: R$ 21.000,00 a R$ 30.000,00
  • Diretor de Operações/Industrial: R$ 20.000,00 a R$ 40.000,00
  • Gerente de Projetos/Contratos: R$ 7.000,00 a R$ 13.000,00
  • Gerente de Produção: R$ 7.000,00 a 14.000,00

A mesma tabela salarial da Exame indica salários acima dos R$ 40.000,00 para engenheiros de produção com mais de dez anos de experiência.

A pesquisa salarial do site de empregos Catho indica que um engenheiro de produção no Brasil ganha entre R$ 3.000,00 e R$ 9.500,00 e que a média salarial nacional desse profissional é de R$ 5.571,21. Um estagiário em engenharia de produção ganha em média R$ 1.084,57 e um trainee em engenharia de produção tem média salarial nacional de R$ 1.919,98.

Sobre a carreira de Engenharia de Produção

O engenheiro de produção tem um campo vasto de atuação, podendo trabalhar em empresas privadas de diversos portes, empreender seu próprio negócio e ocupar posições em órgãos públicos, pois tem uma formação abrangente ligada à gestão de sistemas que envolvem pessoas, materiais, equipamentos e ambiente.

Alguns dos setores em que o engenheiro de produção pode trabalhar, de acordo com a Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO), são:

  • Setor financeiro: seguros, previdência, análise de investimentos.
  • Serviços: consultoria, cursos, hospitais, construção civil, transportes etc.
  • Indústrias: petróleo e gás, agroindústria, automóveis, autopeças, eletrodomésticos, máquinas etc.
  • Órgãos e empresas públicas: Petrobrás, Correios, Agência Nacional de Energia, BNDEs etc.
  • Empresas privadas de vários setores: energia, telefonia, comércio, petróleo etc.

A profissão de engenheiro é regulamentada no Brasil desde 1933. Para exercê-la, é necessário fazer o curso superior de Engenharia (com duração média de cinco anos) em instituição reconhecida pelo MEC e obter registro no CREA – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia no estado onde trabalha.

A engenharia é considerada uma carreira em alta no Brasil e pesquisas da área indicam que a demanda por engenheiros em geral continuará intensa nos próximos anos. Apesar da grande quantidade de profissionais que se formam todo ano (cerca de 38 mil engenheiros por ano) ainda se fala em escassez de mão-de-obra qualificada para atender as necessidades do mercado brasileiro.

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) prevê que o Brasil precisará formar entre 70 mil e 95 mil engenheiros por ano até o ano de 2020, quando o mercado deve demandar entre 600 mil e 1,15 milhão de profissionais da engenharia.

De acordo com o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) existem cerca de 1,2 milhão engenheiros em atividade no país, de todas as modalidades.

Onde estudar Engenharia de Produção

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Engenharia de Produção: 

Veja também:

Engenharia de Produção a Distância

Está pensando em entrar na carreira de Engenharia de Produção? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin