dcsimg

Saiba tudo sobre o curso de Engenharia Agronômica

Onde estudar, se o diploma vale, qual o campo de trabalho, quanto custam as mensalidades... a gente revela tudo sobre Engenharia Agronômica EAD!

Qualquer Engenharia – seja Civil, Elétrica, Mecânica, de Produção – está sempre em alta no mercado.

A Engenharia Agronômica, felizmente, não foge a essa regra.

A área de conhecimento que trata das tecnologias e processos ligados à produção agrícola e pecuária é mais do que necessária no Brasil, um dos maiores exportadores agropecuários do planeta.

Por sorte, a graduação está disponível em um bom número de faculdades – e certamente não será difícil encontrar a que melhor se encaixa nos seus objetivos.

Se você quer saber mais sobre o curso de Engenharia Agronômica, fique por aqui que a gente vai revelar tudo: onde estudar, os valores das mensalidades, as modalidades de ensino, o que se estuda e muito mais!

O curso de Engenharia Agronômica

O curso de Engenharia Agronômica é um bacharelado com cinco anos de duração.

Durante esse tempo, os alunos aprofundam conhecimentos em temas como produção de animais, produção vegetal, mecanização agrícola, combate a pragas, composição do solo, irrigação, adubo, melhoramento, clima, sustentabilidade, negócios, etc.

É um curso com uma carga importante de atividades práticas – e muitas delas acontecem em campo, com a mão na terra.

Não é por acaso que muitas das faculdades que oferecem o curso contam com laboratórios de química, física, melhoramento de sementes, produção e processamento de alimentos, microbiologia, produção de plantas e nutrição de animais.

Algumas chegam a ter fazendas-escola, para um aprendizado ainda mais próximo do mercado de trabalho.

Hoje o curso está disponível em cerca de 250 faculdades – com um equilíbrio entre instituições públicas e particulares.

Um detalhe importante! Em algumas delas o curso de Engenharia Agronômica pode aparecer também como Agronomia.

Há ainda alguns cursos bem similares, como os de Engenharia de Produção Agroindustrial ou Engenharia de Agronegócios.

Onde tem o curso de Engenharia Agronômica?

Não vai ser difícil encontrar Engenharia Agronômica – especialmente se você mora no interior no Brasil.

O curso está disponível em 109 universidades públicas e em 142 particulares. Juntas, elas oferecem mais de 30 mil vagas por ano.

Conheça algumas faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC onde você pode encontrar a graduação:

Onde o engenheiro agrônomo trabalha

Para atuar formalmente como engenheiro agrônomo é necessário concluir o curso de Engenharia Agronômica em uma faculdade reconhecida pelo Ministério da Educação e, depois da formatura, obter o registro junto ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do seu estado.

O mercado de trabalho do engenheiro agrônomo está basicamente no campo e nas indústrias.

Ele pode atuar no planejamento das principais atividades agrônomas, orientando o preparo e cultivo do solo, colheita e controle de pragas; acompanhar a produção de animais; atuar no controle ambiental; organizar o armazenamento e a distribuição de produtos, entre outras.

Também pode trabalhar com processamento de alimentos de origem animal ou vegetal, desenvolver equipamentos e métodos de otimização da produção, pesquisar novas variedades de produtos, gerenciar pessoas e fiscalizar obras e serviços técnicos.

Pode ainda prestar consultoria ou trabalhar em empresas de tecnologia voltada ao campo.

É possível estudar Engenharia Agronômica a distância?

Sim, já dá para estudar Engenharia Agronômica a distância. O curso, no entanto, está disponível em poucas faculdades pelo Brasil – entre elas algumas bem conhecidas, como o Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA).

Pelo próprio perfil do curso, que têm muitas aulas em laboratório, os alunos não podem estudar inteiramente a distância. Por isso, será necessário comparecer à faculdade pelo menos uma vez por semana, para acompanhar a parte prática in loco, em um polo de apoio ou na própria sede da instituição.

No restante do tempo, o aluno se dedica aos estudos por meio de um ambiente virtual que é acessado via internet.

Lá ele encontra materiais multimídias que apresentam o conteúdo das disciplinas, com o apoio de bibliotecas virtuais, contato direto com professores e tutores, além de canais de tira-dúvidas e interação com outros alunos.

O diploma de Engenharia Agronômica EAD vale tanto quanto o presencial tradicional, desde que seja obtido em faculdade reconhecida pelo MEC.

O que se estuda no curso de Engenharia Agronômica

Dê uma olhada no que se estuda no curso de Engenharia Agronômica ao longo de 10 semestres:

  • Agrometerologia e Climatologia Agrícola
  • Cálculo Integral e Diferencial
  • Biologia Geral e Vegetal
  • Agroecologia e Gestão Ambiental
  • Zoologia
  • Desenho Técnico e Construções Rurais
  • Química Aplicada
  • Física Aplicada
  • Fertilidade do Solo
  • Mecanização Agrícola
  • Bioquímica
  • Morfologia e Sistemática Vegetal
  • Química Agrícola e Analítica
  • Microbiologia Agrícola
  • Hidráulica e Irrigação
  • Anatomia e Fisiologia Animal
  • Agricultura
  • Fisiologia Vegetal e Nutrição de Plantas
  • Zootecnia
  • Experimentação Agrícola e Bioestatística
  • Geotecnologias Aplicadas
  • Nutrição Animal
  • Genética e Melhoramento
  • Economia e Comercialização Agrícola
  • Controle de Plantas Invasoras, Doenças e Pragas Agrícolas
  • Manejo e Conservação do Solo
  • Horticultura
  • Tecnologia de Produtos Agropecuários
  • Tecnologia de Produção de Sementes e Armazenamento
  • Direito Agrário
  • Fruticultura
  • Silvicultura
  • Paisagismo, Floricultura, Parques e Jardins
  • Empreendedorismo
  • Gestão Rural, Agroindústria e Projetos
  • Sociologia, Extensão Rural e Deontologia

Quanto custa estudar Engenharia Agronômica

Encontramos mensalidades em diferentes faixas, mas, em média, um curso de Engenharia Agronômica sai por aproximadamente R$ 1.500 por mês.

No formato a distância normalmente custa um pouco menos. Informe-se na faculdade onde você gostaria de estudar.

Se esse valor parece um pouco pesado, fique tranquilo: é possível tentar bolsas de estudo ou financiamentos estudantis que facilitam um bocado a vida.

Todos os anos, por exemplo, o ProUni oferece centenas de bolsas parciais e integrais em Engenharia Agronômica a cada início de semestre letivo. Para concorrer, é preciso ter feito o Enem mais recente e atender às exigências de desempenho nas provas, renda familiar e formação escolar determinadas pelo MEC.

O FIES concede financiamentos estudantis a juros baixos e prazo longo para pagamento. O benefício só está disponível para cursos no formato presencial, por enquanto. As inscrições abrem duas vezes ao ano e para concorrer é necessário ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010, alcançar o número de pontos solicitado e apresentar renda familiar dentro da média permitida.

Há ainda programas de parcelamento das mensalidades, bolsas parciais, descontos por pontualidade e convênios oferecidos por faculdades particulares.

Veja também:

Engenharia Civil: saiba sobre a carreira e onde cursar

Vai fazer Engenharia Agronômica? Conte para a gente onde você vai tentar vaga!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin