Conheça as melhores faculdades de Engenharia de Alimentos

Quer saber quais são as instituições mais bem avaliadas pelo MEC? A gente descobriu. Veja aqui as melhores faculdades de Engenharia de Alimentos!

O engenheiro de alimentos tem a nobre missão de pesquisar métodos e tecnologias para processamento e industrialização de alimentos.

O Brasil, como um dos grandes produtores mundiais de alimentos, está sempre de olho nesses profissionais. O mercado é interessante e as graduações já contam com milhares de estudantes matriculados.

Se você está de olho nessa carreira e quer entrar no mercado com o pé direito, é importante conhecer as melhores faculdades de Engenharia de Alimentos.

Veja quais são a seguir!

As melhores faculdades de Engenharia de Alimentos

Existem cerca de 90 faculdades de Engenharia de Alimentos pelo Brasil. Curiosamente, a maioria delas está na rede pública de ensino.

A melhor forma de identificar as mais bem avaliadas é consultar a avaliação do Ministério da Educação (MEC).

Essa avaliação é bastante criteriosa. Os técnicos observam de perto as instalações das faculdades, a qualidade e o nível de equipamento dos laboratórios, a metodologia de ensino, o número de professores mestres e doutores envolvidos no curso, o investimento em pesquisa e a nota geral dos alunos formados no Enade, o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes.

Todos os quesitos analisados são agrupados e recebem notas que vão de 1 a 5, sendo 1 considerando ruim e 5, excelente.

Por isso, quando a gente vê uma faculdade divulgando que seus cursos têm “conceito máximo junto ao MEC”, pode ter certeza que a nota recebida foi 4 ou 5.

Com essa referência, a gente foi atrás das faculdades de Engenheira de Alimentos que receberam as notas mais altas.

Veja a seguir!

Melhores faculdades presenciais de Engenharia de Alimentos

As faculdades presenciais de Engenharia de Alimentos são maioria entre as opções disponíveis hoje.

A mais bem avaliada pelo MEC é a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que teve nota máxima em todos os quesitos avaliados.

Mas a UFPE não está sozinha, felizmente. A seguir, a gente apresenta outras faculdades que também têm notas altíssimas na avaliação do governo. Repare que quase todas são públicas:

  • Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Centro Universitário do Instituto Mauá de Tecnologia (CEUN-IMT)
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
  • Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)
  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Melhores faculdades EAD de Engenharia de Alimentos

Engenharia de Alimentos tem uma oferta ainda incipiente de cursos a distância. Por ora, só quatro faculdades se aventuraram pelo formato. Como é tudo relativamente recente, apenas uma delas recebeu avaliação, e ainda assim parcial: a Faculdade Católica Paulista (FACAP), que recebeu nota máxima no conceito institucional (que analisa infraestrutura, gestão educacional, corpo de profissionais envolvidos, etc.)

As demais ainda não foram avaliadas ou ainda não abriram turmas. São elas:

  • Centro Universitário de Jaguariúna (UNIFAJ)
  • Centro Universitário União das Américas (UNIAMÉRICA)
  • Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Lembrando que qualquer faculdade EAD reconhecida pelo MEC oferece diploma válido no mercado de trabalho, inclusive para cursos altamente técnicos-científicos como os de engenharia.

Como é o curso de Engenharia de Alimentos

A industrialização de alimentos movimenta uma gigantesca cadeia econômica, e os engenheiros de alimentos atuam na maioria delas.

Eles trabalham com a seleção de matérias primas, acompanham a transformação dos alimentos, vistoriam o processamento, a embalagem e, por fim, a distribuição.

Entre uma coisa e outra, desenvolvem tecnologias, identificam problemas de produção, otimizam os processos, fazem controle de qualidade e fiscalização, além de pensar em formas de aproveitar resíduos industriais.

O dinamismo do engenheiro de alimentos permite atuar também como gestor de equipes e de projetos – que, aliás, é uma atribuição muito popular.

O curso que possibilita tudo isso é o de Engenharia de Alimentos. O bacharelado, com cinco anos de duração, está disponível quase uma centena de faculdades pelo Brasil e foi escolhido por mais de 12 mil estudantes.

A graduação é dividida em duas etapas. Nos primeiros anos os estudantes vão ter acesso às disciplinas-base de todas as engenharias: matemática, física, química, informática.

A partir da segunda metade, começam a explorar as disciplinas típicas da Engenharia de Alimentos, que envolvem: bioquímica, química analítica, microbiologia, fenômenos de transporte, termodinâmica, higiene, tecnologias de alimentos, projeto industriais, embalagens, toxicologia, gestão ambiental, disposição de resíduos.

A grade curricular prevê estudos teóricos e atividades práticas. A maioria das faculdades dispõe de laboratório de química, física, microbiologia, bioquímica, informática e de tecnologia de alimentos.

Os empregos estão predominantemente na indústria de alimentos e bebidas, mas também há vagas para quem quer trabalhar em consultorias, institutos de pesquisa, empresas de tecnologia, restaurantes industriais e de fast-food.

Como entrar nas melhores faculdades de Engenharia de Alimentos

Se você está com planos de fazer Engenharia de Alimentos, um conselho: estude, estude e estude!

Como a maioria dos cursos está na rede pública, o aluno só vai garantir vaga se tiver uma boa nota no Enem.

A média para passar em Engenharia de Alimentos pelo Sisu, programa que distribui vagas em universidades públicas, é de 660 pontos. Em algumas faculdades a nota de corte se aproxima de 800 pontos.

Quem quer fazer faculdade privada com bolsa de estudos do ProUni precisa ter nota superior a 620 pontos. E quem está pensando em financiar os estudos pelo FIES deve ter nota de pelo menos 560 pontos no Enem.

Entrar nas faculdades privadas sem bolsa ou sem financiamento é mais fácil. No caso, o aluno pode optar pelo vestibular tradicional, bem menos concorrido que os das públicas, ou apresentar a nota do Enem e entrar direto, sem fazer vestibular. O valor médio da mensalidade de Engenharia de Alimentos é de R$ 1.100.

Se você mora em cidades que não têm o curso de Engenharia de Alimentos, pode tentar uma engenharia similar, como:

  • Engenharia Agrícola
  • Engenharia Agronômica (Agronomia)
  • Engenharia Biomédica
  • Engenharia Química
  • Engenharia Sanitária

Algumas delas são mais populares que Engenharia de Alimentos e podem ser encontradas em centenas e centenas de faculdades pelo país, incluindo algumas bem interessantes como:

Veja também:

Quanto ganha um Engenheiro de Alimentos?

Pensando em fazer Engenharia de Alimentos? Conte para a gente em qual faculdade você gostaria de estudar!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin