Psicologia Forense: saiba tudo sobre essa carreira

No momento em que precisa analisar qual caminho trilhar dentro da área, o profissional de Psicologia se depara com diversas possibilidades. Uma delas é a psicologia forense, responsável por analisar as capacidades psíquicas de réus, bem como seus comportamentos em processos jurídicos e investigativos.

> Encontre bolsas de estudo de até 80% para pós-graduação.

Segundo as pesquisas do site Salário, a demanda por psicólogos forenses teve um aumento relativamente alto nos últimos anos, visto que o piso salarial sofreu uma variação de aproximadamente 40.26%. 

Logo, é de se esperar que o mercado de trabalho se encontre favorável para os psicólogos que desejam realizar essa pós-graduação e se especializar nesse ramo. 

Leia mais: Psicologia: saiba tudo sobre a profissão e veja onde estudar

Nesse artigo iremos destrinchar a especialização, a remuneração desse profissional e suas áreas de atuação. Confira!

O que é psicologia forense?

Psicologia forense é o elo entre psicologia e direito. É a área responsável por estudar o comportamento das pessoas que estão envolvidas dentro de ambientes ou circunstâncias reguladas juridicamente. 

A área serve para garantir que todos os envolvidos em um julgamento, por exemplo, tenham seus direitos garantidos.

Por meio de ciências sistemáticas e um vasto repertório acadêmico catalogado pela profissão, o psicólogo forense atende quaisquer demandas judiciais, sem emitir juízo de valor sobre elas. 

A atuação na área requer responsabilidade e honestidade, já que esse profissional atua como um agente analítico de processos jurídicos.

O que faz um psicólogo forense?

Dito que o psicólogo forense atua como um agente analítico de processos jurídicos, está em suas atribuições, justamente, analisar a condição psicológica dos envolvidos para a identificação de um possível comportamento suspeito.

Mais: a psicologia forense responde de forma legal durante toda a condução do processo, em defesa da lei garantida para todos que estiverem presentes em uma sala regulada juridicamente. É quem protege a integridade de qualquer sessão desse cunho.

Se é um agente analítico, sua função é analisar. Dentro desse espectro, algumas de suas atribuições são:

  • Coletar e analisar informações relacionadas a cada pessoa envolvida no processo jurídico;
  • Estudar profundamente análise do comportamento humano;
  • Elaborar inquéritos;
  • Apresentar provas e resultados obtidos através de metodologias científicas.

Apesar de o principal campo ser o direito penal, muitos profissionais da psicologia forense em áreas como direito civil e trabalhista, como veremos pela frente.

Qual curso fazer para se tornar um psicólogo forense?

Essa é uma especialização para quem é graduado em Psicologia.  Dentro da própria graduação, o aluno já tem contato com a Psicologia Jurídica, pois essa é uma das matérias que fazem parte da grade curricular do curso.

É possível cursá-la nas modalidades de ensino presencial ou a distância hoje no Brasil. Ao fazer a escolha, a primeira informação que o estudante deve verificar é se a faculdade tem a autorização do Ministério da Educação (MEC) para oferecer o curso. 

Essa é a garantia de que o diploma de nível superior será válido em todo o país e poderá ser usado para encontrar um emprego na área ou participar de concursos públicos que exijam esse grau de escolaridade.

Fizemos uma seleção com faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC que oferecem a especialização em Psicologia Forense ou em áreas correlatas. Além de terem o selo de qualidade do órgão educacional mais importante do Brasil, todas elas contam com programas de descontos, bolsas e financiamentos facilitados. Confira:

>Não perca a oportunidade de encontrar bolsas de estudo de até 80% para turbinar sua carreira!

Psicologia Forense: saiba tudo sobre essa carreira - Guia da Carreira

Quais são as áreas de atuação da psicologia forense?

O mercado hoje demanda por psicólogos forenses em diversas áreas e possibilita muitas oportunidades de trabalho, principalmente em ambientes como:

  • Unidades de pesquisa;
  • Centros judiciais;
  • Estabelecimentos de saúde psicológica prisional;
  • Instituições de apoio às vítimas de crimes.

Além disso, quem atua com psicologia forense consegue atuar em diferentes segmentos. Vamos falar um pouco sobre eles.

Direito trabalhista

O psicólogo forense, no âmbito do direito do trabalho, aplica testes de neuropsicologia forense para entender a capacidade cognitiva de pessoas envolvidas em algum processo jurídico no ambiente de trabalho.

Isso significa que funcionários que precisam ser avaliados para retornarem à atividade após alguma enfermidade, ou aqueles que precisam ser aposentados por invalidez passarão pelo julgamento isento desse profissional especialista.

Como citado, a psicologia forense também tem um grande espaço no direito civil.

Direito civil

Vamos usar um exemplo para elucidar o trabalho do psicólogo forense no campo do Direito da família: um divórcio. Período turbulento. Como garantir que os pais, nesse caso hipotético, estejam em condições mentais saudáveis o suficiente para cuidar de seus filhos?

Além disso, o psicólogo forense que atua no Direito da família lidará com situações que envolvem abuso sexual, físico e psicológico, nas quais precisará ponderar toda a carga de uma família, sem tomar juízo de valor.

Avaliação forense

A avaliação forense traça os padrões de comportamento e responsabilidade do criminoso envolvido no processo jurídico. Assim, advogados, defensores públicos, promotores e juízes recebem laudos científicos que auxiliam na tomada de decisão durante o julgamento.

O método de trabalho é a entrevista e a observação analítica, para entender os pormenores de cada contexto e entregar um material que se aprofunda no aspecto comportamental das circunstâncias apresentadas no crime.

O profissional também ajuda a embasar a percepção sobre todas as perspectivas e a cobrir todas as arestas possíveis antes de qualquer veredito.

Psicologia aplicada à polícia

Psicólogos forenses podem prestar atendimento às corporações policiais. É um trabalho com um nível de tensão constante. Não é raro ver casos de policiais com estresse pós-traumático, depressão, síndrome de ansiedade e do pânico. 

A psicologia forense aplicada à polícia realiza consultas e acompanhamentos preventivos. Quem vive nessa rotação precisa de suporte psicológico, garantido por lei. É necessário um trabalho forense que abra um canal de comunicação confiável, de modo que a saúde policial não interfira na saúde civil.

Sistema correcional e programas de prevenção

A psicologia forense pode ser aplicada em centros socioeducativos, presídios, programas de liberdade assistida, comunidades terapêuticas, centros de apoio a vítimas e clínicas.

Nesses ambientes, os psicólogos forenses fazem o acompanhamento dos pacientes, estudando os comportamentos que os levaram até lá, dado cada contexto envolvido. 

Para programas de liberdade assistida, por exemplo, esses profissionais ajudam na reintegração. Dentro de centros de apoio a vítimas, psicólogos forenses trabalham diretamente com estresse pós-traumático. 

Qual o salário de quem trabalha com psicologia forense?

A faixa salarial do Psicólogo Forense fica entre R$ 2.848,84 e R$ 5.790,19, levando em conta o salário base de profissionais em regime CLT de todo o Brasil, conforme mostra o levantamento do site Salário.

Vale ressaltar que as melhores carreiras estão no serviço público, para quem consegue ser aprovado em um concurso, como na Secretaria de Administração Penitenciária ou no Judiciário.

Leia mais: Descubra como é a carreira em Psicologia Jurídica

Já decidiu em qual área atuar como psicólogo forense? Responda nos comentários abaixo!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin