dcsimg

Descubra como funciona o Enem Digital

Em 2020 essa novidade vai dar o que falar. Entenda como será feito o Enem pelo computador!

O Ministério da Educação (MEC) quer que o Enem seja totalmente digital até 2026.

Isso significa que em pouco tempo as provas mais importantes para milhões de brasileiros serão aplicadas por meio do computador.

O primeiro passo para digitalização acontece em 2020, de forma experimental, em algumas capitais brasileiras.

Quer saber mais sobre essa novidade?

Descubra a seguir como funciona o Enem Digital e como participar!

O Enem Digital

O projeto-piloto do Enem digital acontece agora em 2020, em 14 capitais brasileiras.

Apenas 50 mil alunos poderão fazer essas provas, que serão aplicadas nos laboratórios de informática de algumas escolas da rede pública.

É uma amostra bem pequena perto do total de inscritos no Enem. O exame recebe, em média, 5 milhões de candidatos todos os anos!

A ideia do MEC é que, já no próximo ano, em 2021, ocorram duas aplicações digitais do Enem. Entre 2022 e 2025, quatro aplicações anuais.

O Enem em papel deve durar até 2025. A partir de 2026, se tudo correr nos conformes, a prova será 100% digital.

O modelo se inspira naquele que já é adotado nos Estados Unidos, que têm pelo menos dois exames similares ao Enem, ambos com nada menos que sete aplicações anuais!

Como será a prova do Enem Digital

As provas do Enem Digital, a princípio, seguem o roteiro do Enem tradicional.

Teremos, portanto, as cinco provas já conhecidas: Linguagens e Códigos, Ciências Humanas, Redação, Matemática e Ciências da Natureza.

Elas serão aplicadas em dois domingos seguidos. Em 2020, devem acontecer nos dias 11 e 18 de outubro, algumas semanas antes do exame tradicional (que acontece em 1º e 8 de novembro).

A duração também será a mesma: cinco horas e meia no primeiro dia e cinco horas no segundo.

O MEC promete que o candidato sairá da sala de provas já com o número de acertos em mãos, dado que o gabarito será gerado automaticamente após a entrega.

Os resultados finais com a pontuação, no entanto, só devem sair mesmo em janeiro do próximo ano, junto com todos os demais.

Em caso de problemas de ordem técnica, como um computador quebrado ou uma internet que não funciona, o MEC irá providenciar a reaplicação das provas.

Onde vai acontecer o Enem digital

A princípio, o Enem Digital de 2020 deve acontecer em 14 capitais, nas cinco regiões do Brasil.

Veja se a sua cidade está na lista:

Região Centro-Oeste

  • Brasília
  • Campo Grande
  • Cuiabá
  • Goiânia

Região Nordeste

  • João Pessoa
  • Recife

Região Norte

  • Belém
  • Manaus

Região Sudeste

  • Belo Horizonte
  • Rio de Janeiro
  • São Paulo

Região Sul

  • Curitiba
  • Florianópolis
  • Porto Alegre

Como se inscrever para o Enem Digital

Quem quiser se aventurar a fazer o Enem digital deve assinalar a opção correspondente durante as inscrições regulares, que acontecem em maio.

Como são poucas vagas para essa modalidade, os interessados precisam se adiantar – quanto antes se inscreverem, mais chances.

Lembrando que a opção estará disponível apenas para quem vai fazer as provas nas cidades listadas acima.

O valor da taxa de inscrição é o mesmo do exame tradicional.

O que deve mudar com o Enem Digital

Além de prometer a divulgação dos resultados mais rapidamente, o MEC também quer fazer várias aplicações de Enem por ano.

Daqui a algum tempo as provas também devem mudar. Com a reforma do ensino médio aprovada em 2017, algumas áreas de conhecimento foram suprimidas.

A partir de 2020, as escolas vão poder escolher o que ensinar, entre Matemática, Linguagens, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Ensino Técnico.

Isso significa que daqui a alguns anos os candidatos do Enem vão ter de especificar quais áreas devem ser avaliadas, de acordo com sua formação.

Por isso as provas do Enem Digital devem oferecer diferentes versões para diferentes tipos de formação.

Os prós e contras do Enem Digital

A mudança no formato do Enem tem suas vantagens e desvantagens.

Conheça algumas!

Vantagens:

  • Questões multimídia, com vídeos e animações.
  • Maior rapidez na divulgação dos resultados.
  • Mais aplicações ao longo do ano.
  • Redução de custos de impressão.
  • Ampliação do número de cidades atendidas.

Desvantagens:

  • Algumas escolas da rede pública provavelmente têm computadores defasados.
  • A internet pode cair no meio da aplicação da prova.
  • Pode haver mais brechas para fraudes nos primeiros anos.

O Enem Digital serve para entrar na faculdade?

Sim, o Enem Digital terá a mesma validade do Enem tradicional.

Com o desempenho no digital, portanto, os candidatos vão poder disputar vaga no ensino superior público ou privado por meio de diversos programas, como:

  • Sisu, para vagas em universidades públicas.
  • ProUni, para bolsas de estudos em faculdades privadas.
  • FIES, para financiamento estudantil a juros baixos.
  • Ingresso direto, para quem quer entrar em faculdades privadas sem precisar fazer vestibular.

Com uma boa nota os candidatos têm todas essas opções de entrada à mão.

Vale lembrar que o número de faculdades participantes desses programas é imenso, e é preciso saber escolher as melhores instituições.

Primeiro de tudo, reconhecimento do MEC é fundamental. Uma boa avaliação institucional e boa aceitação no mercado de trabalho também são vitais para quem quer se dar bem na carreira.

Por isso é preciso chegar aos processos seletivos que usam a nota do Enem com algumas faculdades em mente.

Abaixo, a gente separou algumas instituições bem avaliadas que oferecem cursos presenciais e a distância em diversas áreas e estão presentes na maioria dos programas que aceitam a nota do Enem:

Veja também:

Descubra como fazer a sua inscrição do Enem

E aí, vai tentar fazer o Enem Digital ou prefere o modelo tradicional? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin