Novo Enem: saiba de todas as mudanças

Conheça a história do Enem, as diferenças entre o sistema antigo e o novo e entenda como fica o Exame a partir de 2009!

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é o principal vestibular do país. Desde sua criação a prova passou por uma série de mudanças para se adaptar à realidade dos estudantes e dos moldes de ensino.

Encontre bolsas de estudo de até 80%

Em  março de 2022, o Ministério da Educação (MEC) anunciou uma reformulação na prova. Uma das mudanças é que o exame será composto também por questões discursivas. 

De acordo com o MEC, o Novo Enem será implementado somente em 2024. Confira, a seguir, como será o novo exame e entenda mais sobre a prova. 

O que é o Novo Enem?

novo enemUm dos motivos que justifica a reformulação da prova é o Novo Ensino Médio, que começou a ser implementado em 2022 nas escolas de todo o Brasil. Como a prova do Enem é aplicada para estudantes que já concluíram o Ensino Médio ou que ainda estão cursando, o objetivo é adaptar a prova ao novo formato de ensino.

A reformulação do exame é pensada desde 2021. Segundo o MEC, foi criado um Grupo de Trabalho composto por representantes da sociedade civil e de órgãos como o Conselho Nacional de Educação (CNE) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para discutir todas as alterações na prova. 

Leia mais: + Entenda como ter um ótimo plano de estudos para o Enem

+ Enem pela primeira vez: veja tudo o que você precisa saber

Como é o Enem atual?

Atualmente a prova é aplicada em dois domingos e é composta por uma redação e 180 questões objetivas, divididas em quatro áreas do conhecimento: 

  • 45 questões de Linguagens, códigos e suas tecnologias (Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Educação);
  • 45 questões de Ciências Humanas e suas tecnologias (História, Geografia, Filosofia e Sociologia);
  • 45 questões de Matemática e suas tecnologias;
  • 45 questões de Ciências da Natureza (Biologia, Física e Química).

Como será o novo Enem?

A partir de 2024 a prova será composta também por questões discursivas. Além disso, o exame será realizado em dois dias, como já é feito, mas a prova será dividida em duas etapas.

A primeira etapa terá questões de Formação Básica Geral, seguindo os conteúdos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), uma redação e também será composta pelos itens discursivos, ou seja, as questões abertas.

Já na segunda etapa, os participantes terão que responder questões mais específicas, de acordo com os eixos estruturantes da prova. Essa escolha deve ser feita no ato da inscrição.

Segundo o MEC, os eixos estruturantes serão divididos por quatro blocos, conforme a imagem a seguir:

novo enem

Ainda de acordo com o Ministério da Educação, a intenção é que a correção da prova seja feita com base na Teoria de Resposta ao Item (TRI), modelo atual. Com esse método, as questões são divididas em fáceis, médias e difíceis e é possível analisar o nível de conhecimento do aluno e identificar possíveis “chutes”.

O MEC ainda não divulgou se haverá mudanças na quantidade de questões e na duração da prova. Segundo o Ministério, agora cabe ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) definir como será a estrutura da prova e os outros detalhes referentes à aplicação do exame.

Para ficar por dentro de todas as informações e entender tudo o que muda no Novo Enem, você não pode deixar de conferir esse material: Novo Enem: tudo o que você precisa saber sobre a prova.

Enem: veja o que muda com a BNCC

Novo Enem e os programas do governo federal

A nota do Enem poderá ser usada no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), no Programa Universidade para Todos (Prouni) e no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Segundo o MEC, os programas serão adaptados para seguir os parâmetros do Novo Enem.

Entenda como funciona cada programa do governo:

Sisu: é possível concorrer a uma vaga em instituições públicas em todo o país. Os estudantes que tiraram nota superior a zero na redação e não fizeram o Enem como treineiros podem se inscrever no programa.

Prouni: com o programa é possível concorrer a bolsas de estudo parciais, de 50%, ou integrais, de 100%. Para se inscrever é necessário possuir renda familiar per capita de até 3 salários mínimos e ter atingido no mínimo 450 pontos na prova do Enem. Além disso, o candidato precisa se encaixar em um dos requisitos: possuir alguma deficiência; ser professor da rede pública ou ter concluído o ensino médio.

A partir de julho de 2022, estudantes de escolas privadas também poderão se inscrever, mesmo sem bolsa de estudo.

Fies: para participar do programa o estudante precisa ter feito alguma edição do Enem a partir de 2010, ter atingido 450 pontos na prova e não ter zerado a redação. O candidato precisa ter renda per capita familiar de até cinco salários mínimos.

Veja também: + Quem não terminou os estudos pode fazer o Enem?

Onde estudar com a nota do Enem?

Diversas instituições aceitam a nota do Enem. O importante é escolher uma universidade reconhecida pelo MEC e que são bem avaliadas. Confira algumas faculdades que se encaixam nesse perfil, que oferecem cursos em todas as áreas e ainda possuem condições especiais nas mensalidades:

Como estudar em Portugal com a nota do Enem

Conheça Novo Ensino Médio

O Novo Ensino Médio já começou a ser implementado nas escolas de todo o país. A proposta é que a grade curricular dos alunos seja composta por conteúdos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e dos itinerários formativos.

Os itinerários formativos são as áreas de conhecimento que os estudantes poderão escolher no ensino médio. Ele são formados por Linguagens e suas tecnologias (com disciplinas de Arte, Educação Física, Língua Portuguesa e Inglesa);

Matemática e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias (Biologia, Física e Química) e Ciências humanas e sociais aplicadas (História, Geografia, Sociologia e Filosofia).

História do Enem

Entenda a história da prova que se tornou a principal porta de entrada para o ensino superior:

O Enem foi criado em 1998 pelo ministro Paulo Renato Souza. Originalmente era uma prova clássica de 63 questões que tinha o objetivo de avaliar o aprendizado dos alunos e o nível do Ensino Médio em todo o Brasil.

Em 2000, algumas universidades passaram a aceitar o Enem como um complemento da nota final de seus vestibulares. Em 2001, o exame passou a isentar a taxa de inscrição aos estudantes de escolas públicas e com isso, mais pessoas participaram da prova. Já em 2004 surgiu o Prouni, mais um momento marcante na história do ensino superior e aumento das inscrições no Enem. 

Em 2009, ano em que foi criado o Sisu, é que o exame passou a ser aplicado como conhecemos atualmente: dividido em dois dias, com 180 questões e uma redação. Na época, o Enem era aplicado somente na versão impressa, foi em 2020 que a prova passou a ser aplicada também no formato digital.

Veja como funciona e quem pode fazer a prova digital do Enem

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin