dcsimg

P-Fies 2020: Saiba tudo sobre este programa!

Entenda como funciona o crédito estudantil pelo P-FIES. Saiba quem pode concorrer, como se inscrever e se existem alternativas ao programa!

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), criado em 2001 pelo Ministério da Educação (MEC), oferece crédito a juros abaixo do mercado para estudantes que não tenham condições de pagar as mensalidades de cursos de graduação em instituições privadas.

Em 2018, o programa passou por algumas mudanças e passou a ser chamado de “Novo FIES”. Dependendo da renda familiar, o estudante que se candidata ao programa pode ser enquadrado em uma das duas modalidades de financiamento:

  • FIES, para quem tem renda familiar de até 3 salários mínimos por pessoa. Nessa modalidade, as mensalidades da faculdade são financiadas a juros zero e o contrato de crédito estudantil é assinado com a Caixa Econômica Federal.
  • P-FIES, para estudantes com renda familiar entre 3 e 5 salários mínimos por pessoa. Nesse caso, o contrato é firmado junto a bancos privados e são eles que definem as condições de pagamento e a taxa de juros.

Você está pensando em se inscrever no P-FIES em 2020? Quer conhecer todos os detalhes sobre esse tipo de financiamento? Confira a seguir.

Quem pode concorrer ao P-FIES?

Assim como na modalidade FIES, só pode se inscrever no P-FIES quem fez uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010 e obteve desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas, com nota acima de zero na Redação.

Os candidatos que disputam vagas nas mesmas opções (curso, turno e instituição) são classificados conforme seu desempenho no Enem. 

Quem for aprovado também precisará comprovar que se enquadra no limite de renda do programa e apresentar a devida documentação, como holerites, extratos bancários e comprovantes de imposto de renda. 

Quando são abertas as inscrições para o P-FIES?

O MEC abre inscrições para o FIES e o P-FIES duas vezes ao ano, no começo do primeiro e do segundo semestres.

No primeiro semestre de 2020, as inscrições acontecem entre os dias 5 e 12 de fevereiro. O resultado sai no dia 26 do mesmo mês.

A inscrição para as duas modalidades é a mesma, feita dentro do sistema do FIES. A partir dos dados fornecidos pelo candidato, o sistema define se ele se enquadra na modalidade FIES ou P-FIES.

As datas exatas variam de um semestre para o outro e são definidas no edital específico de cada seleção. Para não perder nenhum prazo, acompanhe as novidades no site oficial do FIES, dentro do portal do MEC.

Como é o processo de inscrição do P-FIES?

A inscrição para o P-FIES é gratuita e deve ser feita no site do FiesSeleção (Sistema de Seleção do Fies).

No ato da inscrição, é preciso informar CPF e data de nascimento. Caso haja registro de participação no Enem e da nota exigida, o sistema solicitará o cadastro de uma senha e de um e-mail pessoal válido, para o qual será encaminhado o link de ativação do cadastro.

Após a ativação, o candidato precisa retornar ao sistema, clicar na opção “Já sou cadastrado” e informar CPF e senha. Em seguida, o sistema pedirá informações pessoais e dados das pessoas que compõem o grupo familiar do estudante, e suas respectivas rendas.

Para concluir a inscrição, o estudante deve selecionar um grupo de preferência (região e graduação) e escolher até 3 opções de curso entre os que têm vagas disponíveis. 

O candidato pode alterar o grupo de preferência e suas opções de curso quantas vezes quiser, mas apenas durante o período de inscrições. É considerada válida a última inscrição realizada e confirmada pelo candidato no FiesSeleção.

Também é necessário apresentar um fiador, segundo critérios definidos pelos bancos responsáveis pelos contratos de financiamento. 

Diferentemente do FIES, o P-FIES não tem lista de espera. O resultado é publicado pelo sistema em uma chamada única, no mesmo dia em que sai a primeira chamada do FIES.

O que fazer após a aprovação

Quem for pré-selecionado (aprovado) pelo sistema na modalidade P-FIES precisará, então:

  • Comparecer, em até 5 dias, à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da universidade que oferece o curso escolhido para validar suas informações.
  • Comparecer a um dos bancos que trabalham com o P-FIES em até 10 dias após a validação da CPSA. É necessário levar toda a documentação exigida e, uma vez que ela seja aprovada pelo agente financeiro, formalizar a contratação do financiamento.

Alternativas ao FIES e ao P-FIES

Infelizmente, com a crise econômica e a diminuição de verbas, conseguir financiamento pelo FIES ou pelo P-FIES não tem sido fácil. 

Se a mensalidade do curso que você deseja for pesada para o seu bolso, uma alternativa é consultar a própria instituição de ensino sobre outros programas de bolsas e financiamento.

Existem ótimas universidades particulares que, além de trabalharem com programas do governo, mantêm sistemas próprios de bolsas, descontos e outros tipos de incentivo ao estudante. É o caso, por exemplo, destas instituições:

Todas as faculdades acima são reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC – portanto, emitem diplomas válidos em todo o território nacional. 

Outra boa notícia é que elas aceitam o Enem como forma de ingresso direto (sem vestibular). Para saber mais, clique nos links e navegue pelos sites.

Leia também:

Quantos pontos preciso tirar no Enem para conseguir o FIES?

Descubra o que você pode fazer com a nota do Enem

Você está planejando se inscrever no P-FIES? Qual curso de graduação deseja fazer? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin