dcsimg

Engenharia de Horticultura: saiba sobre o curso e mercado

Esteja bem informado sobre tudo o que envolve a profissão Engenharia de Horticultura.

Conheça a profissão Engenharia de Horticultura

Como engenheiro de horticultura você usa seus conhecimentos na silvicultura (conjunto de métodos naturais e artificiais de reflorestamento); também atua desde o plantio, colheita, armazenamento, transporte, até a comercialização, de plantas ornamentais, medicinais, aromáticas e as utilizadas como condimentos; e ainda de flores, frutas, legumes, verduras.

Por estar apto a lidar com reflorestamento, nisto você se assemelha ao engenheiro agrônomo. Mas seu foco são vegetais típicos de pomares e hortas, onde você planeja e acompanha o preparo do solo, drenagem, irrigação, fertilização; seleciona sementes, bem como os agentes químicos e as técnicas para proteger, conservar e aumentar a produção.

Atento a questões ecológicas, cabe-lhe, também, gerenciar mão-de-obra e equipamentos, tudo conforme a tecnologia e o custo mais adequados. O Brasil é um grande exportador de frutas, e as cooperativas, assim como os grandes produtores, cada vez mais reconhecem a necessidade de contratarem suas competências de Engenheiro de Horticultura.

O curso de Engenharia de Horticultura

A profissão de Engenheiro de Horticultura é regulamentada pela Lei nº 5.194/66, e para exercê-la é necessário você ter o respectivo diploma de graduação, bem como o registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea).

O curso é um bacharelado de 5 anos. Estágio obrigatório, antes do fim do curso. Este ramo da Engenharia teve início no sul do país, numa região de grande produção de uva, maçã e outras frutas de clima frio. 

Com o aumento da produção, os agrônomos não foram suficientes para toda a cadeia do cultivo e surgiu a necessidade de engenheiro mais especializado.

No sudeste, muitas fazendas vivem da venda de frutas que cultivam, e no Vale do Rio São Francisco há vastas plantações de uvas que se transformarão em bom vinho espumante, condições estas que contribuíram para a abertura desse curso em outras regiões. Você tem contato com a natureza e, desde a faculdade, divide as tarefas de sala com as de campo.

A grade curricular

A sua formação básica se dá nos primeiros dois anos, com intenso aprendizado de:

  • Cálculo
  • Construções rurais
  • Estatística
  • Física
  • Fisiologia
  • Genética
  • Hidráulica
  • Informática
  • Matemática
  • Química

A partir daí, você começa a ver as matérias profissionalizantes:

  • Agronomia
  • Controle da produção em indústrias alimentícias
  • Fisiologia vegetal 
  • Fitopatologia
  • Fitotecnia 
  • Fruticultura
  • Hidráulica
  • Irrigação e drenagem
  • Jardinagem
  • Manejo e conservação de solos
  • Olericultura (cultivo de hortaliças e legumes)
  • Paisagismo
  • Plantas medicinais e aromáticas
  • Silvicultura

Mercado de trabalho para o Engenheiro de Horticultura

As chances para você só vêm aumentando, pois no mercado faltam profissionais com esta sua especialização. Os maiores empregadores são:

  • Empresas de hortaliças e frutas, muitas direcionadas para a exportação, que têm necessidade de que você planeje a produção e o manejo das plantas, bem como a manutenção do padrão de qualidade.
  • Multinacionais de agroquímica, pois precisam que você dê assistência técnica de alto nível, aumentando assim as vendas. Nessas empresas, você pode chegar a posição de gerente.
  • Produtores de maçã do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, bem como os de pêssego, ameixa e caqui de Minas Gerais e São Paulo.
  • Empresas de pesquisa agrícola e assistência técnica, como a Embrapa, por meio de concurso, para a área de produção de hortaliças, que tem demanda crescente, e de frutas subtropicais, em que o Brasil tem projeção mundial.
  • Prefeituras municipais, também por concurso, para que você projete e cuide de pomares e hortas, a fim de incrementar a produção.

Como autônomo, você pode assessorar empresas de reflorestamento e exploração de madeira, empresas agrícolas, indústrias de alimentos; ou trabalhar na extensão rural, ou com ensino e pesquisa. 

Pode criar sua empresa: floricultura, com plantas ornamentais; empresa de projetos em jardinagem e paisagismo; ou de plantação e comercialização de plantas medicinais, bem como de pesquisa de remédios fitoterápicos.

Quanto ganha um Engenheiro de Horticultura

Pesquisas feitas levando em consideração dados de todo o país apontam, para o profissional de Engenharia de Horticultura, remunerações como as que são mostradas a seguir, que variam conforme seu tempo de experiência, região e porte da empresa contratante:

  • Faixa salarial entre R$ 6.879 e R$ 19.115
  • Salário médio nacional é R$ 7.537

Outros cursos relacionados ao de Engenharia de Horticultura

Se sua vocação é para lidar com o que a natureza nos oferece, com o meio ambiente e o cuidado que precisamos ter com ele, existem cursos semelhantes ao de Engenharia de Horticultura que você pode achar interessantes, e que dão mais oportunidades profissionais. Veja aqui:

  • Agronomia
  • Engenharia ambiental
  • Gestão ambiental
  • Gestão do agronegócio
  • Tecnologias ambientais

Vamos tomar como exemplo Engenharia Ambiental. É um bacharelado de 5 anos, EAD ou presencial. Você trabalha com o meio ambiente, elaborando projetos que minimizam os danos a ele causados e otimizam o lucro de empreendimentos, de modo sustentável.

Esta profissão veio para fazer a atividade econômica continuar próspera. Você, como engenheiro ambiental, exerce seu entusiasmo pela natureza, desenvolve atividades de campo, sempre se atualiza sobre tecnologias, e atua para a riqueza da economia nacional. Tem vasto e bem remunerado campo de trabalho, no âmbito público ou privado

Onde estudar Engenharia de Horticultura ou Engenharia Ambiental

Separamos para você uma lista das faculdades nas quais poderá se formar no curso de Engenharia de Horticultura, Engenharia Ambiental ou alguma opção que possa lhe ser interessante. Você pode entrar no ensino superior com a sua nota do Enem, e estas instituições aceitam o ProUni e o Fies como formas de facilitar o pagamento. 

A graduação pode ser feita em curso presencial ou  a distância (EAD). Estas faculdades têm o reconhecimento do MEC, sem o qual o seu diploma não teria validade, e são bem avaliadas. Têm também convênios, descontos, bolsas de estudos, e financiamentos próprios:

Veja também:

Descubra como será o Enem digital e quem poderá fazer

Conheça todas as datas do Prouni 2020.2                      

Gostou das alternativas de cursos? Conte para a gente nos comentários.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin