dcsimg

Graduação em Engenharia de Alimentos

Conheça os desafios do curso de graduação em Engenharia de Alimentos e as expectativas diante o mercado de trabalho!

O Curso de Engenharia de Alimentos

Uma coisa que não se pode negar é que o homem não consegue ficar sem se alimentar. O ser humano precisa da ingestão de alimentos, e a preocupação com o que o se come tem aumentado muito nos últimos tempos. Devido à essa preocupação com a qualidade dos alimentos industrializados que são consumidos diariamente e em grandes quantidades, surgiu à necessidade de profissionais especializados no assunto, para trabalhar com tais produtos distintos.

Desta forma, é super pertinente o total cuidado dos alimentos, principalmente devido a grande logística envolvida em todo o processo. Com o crescente aumento populacional foi também um fator relevante para intensificar os estudos diante a conservação e tratamento dos alimentos. Assim o curso de engenharia de alimentos tem um foco pertinente em todo o processo envolvido desde a busca da matéria-prima, tanto quanto os processos envolvidos na produção e distribuição em escala.

As origens da Engenharia de Alimentos

A atual e crescente preocupação com a saúde da comunidade como um todo, fez com que surgisse a necessidade de se trabalhar com mais rigor e preocupação, na preparação e estudo dos alimentos. A indústria alimentícia precisou então, produzir produtos sem conservantes, e conseqüentemente, mais saudáveis. Devido a esses fatores, fez-se necessário formar profissionais qualificados e que possam atuar nesta área de forma efetiva. Assim surgiu a profissão de Engenheiro de Alimentos.

O MEC reconheceu o curso de Engenharia de Alimentos na década de 70, onde passou a ser oferecida uma formação voltada para os atuais conceitos de produção e conservação de alimentos.

As Bases do Curso de Engenharia de Alimentos

Como toda engenharia, o curso de Engenharia de Alimentos oferece amplos conhecimentos das ciências da engenharia e tem como base forte as matérias relacionadas à matemática e física. Algumas destas matérias são: álgebra linear, cálculo, mecânica geral, geometria analítica, fundamento de termodinâmica, entre outros.

Além destas matérias básicas para a engenharia, este curso oferece também matéria como química e microbiologia, relacionadas aos alimentos e suas reações com o meio ambiente. Entre as matérias específicas pode se encontrar matérias como: processo de preservação, controle de qualidade, tecnologia dos alimentos, processos biotecnológicos, entre outros. Para finalizar o curso, são oferecidas noções de gerenciamento, administração e informática.

Título e Perfil do Profissional

O jovem profissional formado em Engenharia de Alimentos recebe o título de Bacharel em Engenharia de Alimentos, e deve ser capaz de atuar em todo o processo de transformação industrial dos alimentos, incluindo a seleção da matéria-prima, todas as etapas do processo e por fim, na escolha dos meios de distribuição e armazenamento do produto em si, tudo isto visando à qualidade do que está sendo feito. Este profissional deve ser capaz de identificar problemas e resolvê-los, levando em conta os aspectos ambientais, econômicos, sociais e políticos, e também, desenvolver e assimilar novas tecnologias.

O profissional de Engenharia de Alimentos precisa ter certa afinidade diante as matérias biológicas, sobretudo para biologia e química. Isto se deve ao fato deste profissional trabalhar diretamente com tudo que está relacionado à transformação dos alimentos.

O Engenheiro de alimentos deve ser uma pessoa que tem um comprometimento com a sociedade e com o meio ambiente. Ele deve ser capaz de fazer bons planejamentos e de administrar, ser meticuloso, ter capacidade de concentração e facilidade para gerenciar.

Áreas de Atuação do Profissional

O mercado de trabalho para o profissional de Engenharia de Alimentos é amplo, possui exigências variadas e constantes, e visa sempre atender às necessidades do consumidor. O Engenheiro de Alimentos é preparado para trabalhar em todo o processo industrial de alimentos. Eles atuam sobre planejamento e desenvolvimento de novos produtos alimentícios, desde o recebimento das matérias-primas, processamento, transformação e finalização dos alimentos e também a distribuição dos mesmos, buscando sempre a qualidade do produto e visando o consumidor final.

Entre as áreas que o Engenheiro de Alimentos pode atuar no meio deste processo estão: área de produção, de gestão de qualidade, gerenciamento, desenvolvimento, comercial, marketing e vendas, armazenamento, consultoria, assistência técnica, entre outros.

Para aqueles profissionais que não querem atuar diretamente nas indústrias, uma alternativa seria trabalhar em centros acadêmicos e universidades, pois esta é uma profissão nova no país que está crescendo muito, e conseqüentemente a quantidade destes cursos tende a aumentar, necessitando assim de profissionais capacitados. Outras opções seriam também trabalhar em laboratórios e centros de pesquisas, estudando e buscando mais tecnologias para auxiliar e melhorar o trabalho neste setor.

O salário inicial de um Engenheiro de Alimentos é de aproximadamente R$ 3.060,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP). Mas o salário depende da área de atuação, do cargo e do tempo de trabalho. Com as variações destes, o salário também sofre alteração. É interessante ressaltar que há uma gama vasta de oportundiades no mercado de trabalho, desta forma o salário inicial pode sofrer grandes diferenças, principalmente dependendo do profissional estar situado em um grande centro, ou em áreas mais afastadas.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin