dcsimg

Descubra como funciona o Enem

Tudo o que você precisa saber sobre o Exame Nacional do Ensino Médio para decidir se deve fazer essa prova!

Gabarito

De repente todo mundo ficou interessado no Enem. O Exame aparece nos jornais, na internet e tudo relacionado a ele tomou uma proporção bem maior do que há alguns anos: os atrasados, o tema da redação, as questões polêmicas…

Nada disso é à toa. O Enem foi criado para avaliar a qualidade do ensino médio no Brasil, mas acabou virando o maior vestibular do País. Isso porque sua nota passou a ser usada como critério de seleção em importantes iniciativas do Governo Federal para democratizar o acesso ao ensino superior, além de servir até para substituir o vestibular tradicional!

Se você já concluiu o ensino médio há um tempinho e “na sua época” não existia o Enem, ou se fez o Exame antes de 2010, descubra como funciona essa prova e como você pode usá-la para entrar na faculdade e turbinar sua carreira!

1. Quem pode fazer o Enem?

O Enem não é uma exclusividade de estudantes matriculados no terceiro ano do ensino médio. Como o Exame não tem limite de idade, qualquer pessoa pode participar. Basta se inscrever, pagar a taxa (caso não seja isento), comparecer ao local indicado no dia da prova e encarar o desafio.

Idosos, gestantes, lactantes (mães em período de amamentação) e pessoas com deficiência podem fazer o Enem normalmente e solicitar atendimento especial, caso necessitem.

Quem ainda não está no terceiro ano do ensino médio também pode fazer o Enem na condição de “treineiro”.

Pessoas privadas de liberdade fazem um exame semelhante, que segue um calendário próprio.

Ao contrário do que alguns pensam, o Enem não é obrigatório. Faz o Exame quem quer aumentar as chances de entrar na faculdade 🙂

2. Como é a prova do Enem?

O Enem acontece em dois dias seguidos, normalmente sábado e domingo, entre as últimas semanas de outubro e as primeiras de novembro.

Diferentemente das matérias da escola a que estamos acostumados, o Enem foi organizado em quatro áreas do conhecimento:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias (História, Geografia, Filosofia e Sociologia)
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias (Química, Física e Biologia)
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira – Inglês ou Espanhol – e Artes)
  • Matemática e suas Tecnologias

Cada uma dessas quatro áreas tem 45 questões, totalizando 180. As questões do Enem são objetivas, de assinalar, com cinco alternativas: A, B, C, D e E.

Além das 180 questões objetivas, o Enem tem uma Redação. Ela normalmente é feita no segundo dia de prova e deve ser do tipo dissertativa-argumentativa. Nesse estilo de texto, o participante precisa ler uma série de “textos motivadores” para entender o tema solicitado. Em seguida, deve escrever cerca de 30 linhas, em prosa, expressando seu ponto de vista sobre o tema (sua tese), defendendo sua opinião por meio de argumentos concretos e bem embasados, apresentando, por fim, uma solução para a questão que respeite os Direitos Humanos.

O tema da redação do Enem é surpresa – só é revelado na hora da prova – e sempre traz uma questão relevante para o País, podendo ser de cunho social, ambiental, político, econômico ou uma combinação deles.

Os participantes têm cerca de 3 minutos para resolver cada questão objetiva e uma hora para concluir a redação.

3. Como é a correção do Enem?

Podemos dividir a correção do Enem em dois processos diferentes: as questões objetivas e a redação.

Para as questões objetivas, os participantes devem preencher um cartão-resposta, pintando com caneta esferográfica preta a letra correspondente a cada item.

Esse cartão é submetido a uma leitura por computador e, em seguida, a nota é calculada. O natural é que a gente pense que o sistema de correção conta as respostas certas e erradas, como nas provas da escola. Mas não é bem assim.

O Enem usa um modelo bastante sofisticado de pontuação chamado Teoria de Resposta ao Item (TRI). A TRI leva em conta o nível de dificuldade de cada questão, o padrão de acertos de cada participante e faz cálculos complexos que envolvem até uma espécie de detector de chutes! Por isso, não dá para saber a pontuação apenas conferindo o gabarito, é preciso esperar até sair o resultado oficial.

Já a redação é corrigida manualmente, uma a uma, por avaliadores certificados. Cada texto é submetido a dois especialistas diferentes, que não têm contato um com o outro. São avaliados cinco critérios, que valem 200 pontos cada um. Caso as notas dos dois avaliadores sejam muito diferentes, a redação vai para uma terceira correção e pode ser avaliada por uma banca de professores até que se chegue a um consenso.

4. O que dá para fazer com a nota do Enem?

A prova do Enem virou o maior vestibular do País porque sua nota pode ser usada em uma série de processos seletivos e certificadores. Conheça os principais:

  • Entrar na universidade pública pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
  • Ganhar uma bolsa de estudos em faculdade particular pelo Programa Universidade para Todos (ProUni).
  • Financiar a faculdade privada a juros baixos pelo FIES.
  • Entrar na faculdade privada sem fazer prova.
  • Obter o certificado de conclusão do ensino médio (para quem não está matriculado em uma escola regular).
  • Complementar a nota do vestibular em determinadas universidades.

5. Como faço para participar do Enem?

Ficou interessado em participar do Enem? Então é importante saber que a prova acontece todo ano e as inscrições costumam ser abertas entre o final de abril e o começo de maio.

Você deve se inscrever pela internet, pagar a taxa de inscrição e, claro, estudar bastante para alcançar uma boa nota!

Veja também:

Como entrar na faculdade pelo Enem

Vai fazer o Enem? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin