dcsimg

É possível participar do ProUni duas vezes? Descubra

Veja se você pode participar duas vezes ou mais do ProUni, o programa do Governo Federal que distribui bolsas de estudos!

O Programa Universidade para Todos (ProUni) já permitiu que quase 2 milhões de pessoas tivessem acesso a um curso superior em faculdade privada com a ajuda do governo!

É muita gente! O bom é que, a despeito de todos os problemas econômicos atuais, o programa continua a todo vapor. Nas últimas edições tem distribuído mais de 250 mil novas bolsas por ano.

O benefício é destinado a estudantes de baixa renda, que podem receber bolsas integrais ou parciais.

Por ser tão bacana, muita gente se pergunta se dá para participar do ProUni mais de uma vez, tentar uma segunda graduação com ajuda do governo ou buscar voltar aos estudos com um auxílio financeiro.

Se essa dúvida também está girando na sua cabeça, dê uma espiada no texto a seguir! Vamos mostrar quem pode fazer o ProUni mais de uma vez!

Quem pode fazer o ProUni

O ProUni é direcionado principalmente a estudantes de baixa renda, mas também abre espaço para pessoas com deficiência e professores efetivos da rede pública de ensino.

Para participar é preciso atender a alguns requisitos, que são:

  1. Ter feito o Enem mais recente e obtido pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.
  2. Ter feito o ensino médio totalmente em escola pública ou em escola particular na condição de bolsista integral.
  3. Não ter curso superior.
  4. Comprovar renda familiar bruta mensal de no máximo 1,5 salário mínimo por pessoa para concorrer a uma bolsa integral ou de até 3 salários para concorrer a uma parcial.

É possível participar do ProUni duas vezes?

A resposta a essa pergunta depende do contexto do estudante. A seguir, elencamos algumas das principais situações vivenciadas pelos candidatos a uma bolsa do ProUni:

  1. Entrar na disputa por uma bolsa do ProUni

É permitido concorrer a uma bolsa do ProUni quantas vezes o candidato quiser, desde, claro, tenha feito o Enem mais recente (com a pontuação mínima necessária) e se encaixe nas exigências de escolaridade e renda. No entanto, isso só vale para quem não tem diploma de nível superior. A ideia do Programa é oferecer uma alternativa de formação ao candidato de baixa renda que não conseguiu entrar na faculdade pública (ou prefere estudar em uma instituição particular).

Resumindo, é possível participar do processo seletivo quantas vezes quiser, só que a bolsa é concedida a quem atende a todas as exigências do MEC, sem exceção.

  1. Tem bolsa do ProUni e quer tentar novamente

Se você atualmente é beneficiário do ProUni mas por algum motivo quer mudar de curso e não se encaixa nos requisitos de transferência (quer mudar completamente de área, por exemplo), pode tentar uma bolsa novamente sem problemas. O MEC permite esse tipo de arranjo desde que, claro, o candidato não tenha concluído o curso e cumpra todos os requisitos para participar (inclusive ter feito o Enem mais recente).

Caso você consiga uma nova bolsa, será preciso abrir mão de uma delas, já que não é possível acumular dois benefícios ao mesmo tempo.

  1. Já teve o ProUni e quer ter bolsa novamente

Se você já foi bolsista do ProUni e concluiu a graduação, não pode mais concorrer a uma bolsa do Governo. A regra é clara: quem já se formou não pode participar do Programa.

No entanto, quem precisa de uma ajuda para fazer uma segunda graduação pode tentar alguns benefícios oferecidos pelas próprias faculdades, como descontos em mensalidades e bolsas para os melhores colocados no vestibular.

Há ainda alguns programas da iniciativa privada que oferecem oportunidades interessantes, com bolsas parciais de até 70%. É o caso do Quero Bolsa  e do Educa Mais Brasil, que são abertos a qualquer participante (mesmo os que já têm diploma de nível superior) e não têm limites de renda para participar.

Outra alternativa é tentar o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), que financia cursos superiores a longo prazo e juros baixos. A concorrência aqui também é alta, mas permite que candidatos com curso superior tentem obter o benefício – embora eles não estejam entre os alvos prioritários do MEC.

Quando acontece o ProUni?

O ProUni acontece geralmente duas vezes por ano. A primeira edição, em janeiro, é sempre a maior, com mais de 200 mil vagas. A segunda ocorre no semestre seguinte, com um volume de aproximadamente 50 mil bolsas.

Os pré-requisitos de participação são os mesmos para as duas edições.

É fácil conseguir bolsa pelo ProUni?

Depende muito do curso em que você está de olho. Algumas graduações tradicionalmente concorridas, em faculdades de renome, podem ter notas de corte (a menor para conseguir uma bolsa) bem elevadas.

Cursos como Medicina, Odontologia e Engenharia, por exemplo, podem ter notas de corte acima de 750 pontos.

Já os menos disputados, como as licenciaturas, ou aqueles que têm uma gigantesca oferta de vagas, como Direito, podem oferecer bolsas com a nota mínima (450 pontos) ou pouco acima disso em algumas instituições.

Ainda assim, a concorrência muda a cada edição e é impossível afirmar se será fácil ou difícil conseguir bolsa. A única certeza é de que uma boa nota no Enem pode garantir vaga com muito mais facilidade.

Onde estudar com bolsa do ProUni

O MEC é muito exigente com as bolsas que concede. Para participar do ProUni, a instituição precisa ser bem avaliada e atender a uma série de critérios que darão ao aluno a certeza de estar fazendo um curso de qualidade.

Separamos algumas sugestões interessantes de onde buscar sua próxima bolsa!

Veja também:

Entenda a diferença entre Sisu, ProUni e FIES

Já tem o ProUni e está em busca de outro curso? Ou não passou na primeira tentativa e vai se inscrever novamente? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin