dcsimg

Quanto ganha um Físico?

Você sabe quanto ganha um físico? Conheça mais sobre a profissão, o mercado de trabalho e a média salarial deste profissional!

Curso-exatas-EAD-certa

O Físico é o profissional que investiga os fenômenos naturais, seus princípios e a relação com o meio. É sua função desenvolver pesquisas, estudos e experimentações que possam, de alguma forma, ajudar no desenvolvimento social e econômico do País.

No Brasil, o físico está presente em instituições de ensino, centros de pesquisa e desenvolvimento, indústria e empresas de inovação. É uma área que vem sendo reconhecida e se tornando cada vez mais necessária no mercado nos últimos anos, e isso tem ajudado o profissional a enxergar possibilidades além da esfera acadêmica (que ainda emprega a maioria dos físicos no Brasil).

Salário médio de um Físico

É difícil estimar quanto ganha um físico. Os salários variam bastante de acordo com a experiência e a área de atuação do profissional.

De acordo com o Guia de Profissões e Salários da Catho, o cenário para  um professor de física é o seguinte:

  • Em início de carreira: R$ 1.500.
  • Com experiência: R$ 4.000.
  • Média nacional: R$ 2.153.

Já em uma instituição federal de ensino e pesquisa, por exemplo, um professor com doutorado e 20 anos de experiência recebe, em média, R$ 17.000.

Nos concursos públicos para físicos é possível encontrar cargos que oscilam entre R$ 1.500 e R$ 9.000. A média salarial, no entanto, é de aproximadamente R$ 5.000, sem contar benefícios e gratificações.  Os principais empregadores de cargos públicos são:

  • Universidades federais e estaduais
  • Forças armadas
  • Hospitais
  • Secretarias estaduais
  • Centros de pesquisas
  • Embrapa
  • Petrobras

Uma forma de melhorar o rendimento é investir em formação de alto nível. Profissionais com doutorado na área e que atuam no magistério recebem salários superiores àqueles que possuem apenas mestrado ou especialização. Vale observar que as universidades federais são impedidas de contratar professores sem, no mínimo, o título de mestre. Professores doutores têm preferência na hora da escolha final.

Sobre a carreira de Físico

A carreira de físico ainda está em regulamentação e tramita no Senado Federal como PLC (Projeto de Lei da Câmara) Nº 101 de 2012. A Lei aguarda um parecer final para ser sancionada. A regulamentação pretende estabelecer atribuições exclusivas à profissão e diminuir a desvantagem em relação a outros cientistas, pertencentes a categorias mais organizadas e já regulamentadas.

Fora isso, a Física é uma área do conhecimento muito dinâmica e aplica-se a praticamente todos os outros campos de estudo. Não é à toa que o físico tem um gigantesco leque de especializações ao seu dispor:

  • Física Biomolecular
  • Física Nuclear
  • Física Teórica
  • Física Aplicada
  • Física Elétrica
  • Astrofísica
  • Física Ambiental
  • Instrumentação
  • Biomédica
  • Física Computacional
  • Física Hospitalar

A profissão esteve estagnada no país durante algum tempo. Somente com o crescimento econômico recente a carreira passou a ser mais valorizada. Hoje, o Brasil oferece oportunidades de trabalho para físicos não apenas em universidades públicas e particulares, mas também em órgãos de pesquisa e empresas que trabalham pelo desenvolvimento de infraestrutura de petróleo, de transportes, agroindustrial, médica e computacional.

Um bom exemplo dessa evolução é o desenvolvimento do agronegócio no país. A necessidade de explorar o potencial das terras fez com que a indústria se voltasse para a ciência. O largo emprego de mão de obra de físicos e engenheiros em pesquisas de melhoria técnica e criação de equipamentos ajudou o setor a crescer mais de 400% nos últimos 10 anos, de acordo com  o estudo “Science Impact: Annual Review 2013” publicado pela Sociedade Brasileira de Física.

A tendência é que essa prática se mantenha nos próximos anos. A  Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Petrobras estão entre os órgãos públicos que mais contratam físicos para seus quadros funcionais.

A recente descoberta das reservas de pré-sal pela Petrobras animou o mercado e vem criando mais oportunidades para que físicos trabalhem em conjunto com engenheiros e técnicos na busca de soluções tecnológicas para extração e transporte de petróleo.

Cresce também o investimento em nanotecnologia e agricultura de precisão,  duas áreas definidas pela Embrapa como “grandes desafios nacionais”. Já é possível ver projetos nacionais de alta tecnologia em operação, como os robôs que detectam deficiência de nitrogênio nas plantações e um sensor de “firmeza” aplicado às folhas de alface. Em todos esses projetos existe a aplicação de conhecimento de um físico.

Outras oportunidades surgem nos departamentos de gestão de laboratórios, institutos de pesquisa e empresas de alta tecnologia. Cargos com esse perfil, que agregam conhecimentos técnicos e gerenciais, tendem a oferecer uma remuneração acima da média, se comparado aos cargos de licenciatura.

No ensino, além das faculdades, há demanda para dar aulas no ensino fundamental, médio e em cursos pré-vestibulares. Outros campos em expansão e que merecem atenção são as instalações nucleares, as editoras de livros didáticos e os museus científicos.

Como se tornar um Físico

Os cursos de Física são do tipo Bacharelado ou Licenciatura e têm duração média de quatro anos. Ambos estão disponíveis em uma variedade de universidades públicas e privadas, em todas as regiões do país.

Algumas instituições, como a Universidade de São Paulo e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, oferecem o bacharelado em Física com diversas opções de habilitação (Astronomia, Microeletrônica, Oceanografia Física, Informática, etc.)

Na carreira de físico a formação é muito importante. O curso de graduação é apenas uma porta de entrada. O aluno deve ter em mente que, para ser bem sucedido, será preciso investir em educação continuada, desde especializações até um doutorado.

Veja algumas das principais universidades reconhecidas pelo MEC que oferecem o curso superior de Física:

Universidades Privadas:

Universidades Públicas:

Veja também:

Curso de Física

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin