10 profissões para trabalhar com sustentabilidade

O Relatório Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, chamado também de IPCC, é produzido pela Organização das Nações Unidas (ONU) e traz informações sobre as crises climáticas no mundo. No final de fevereiro de 2022 a versão mais recente dessa avaliação foi publicada. Nela, há alertas sobre os impactos do aquecimento global serem agora “irreversíveis”.

Encontre bolsas de estudo de até 80%

Com tantas consequências iminentes, é de se esperar que haja mais interesse em reverter ou amenizar a situação. Por isso, muitas pessoas têm buscado construir carreiras que estejam ligadas à questão do meio ambiente. Se você também tem esse objetivo, confira a seguir 10 profissões para trabalhar com sustentabilidade:

profissões para trabalhar com sustentabilidade

Leia mais:
+ Sustentabilidade: 7 dicas de hábitos para estudantes preocupados com o meio ambiente
+ O que é sustentabilidade ambiental?

Confira 10 profissões para trabalhar com sustentabilidade

Se o meio ambiente é uma grande preocupação sua, pode ser que você escolha uma profissão baseando-se nisso. Existem muitas possibilidades de carreiras em que é possível atuar de forma sustentável. Essa é uma grande tendência do mercado, já que cada vez mais os consumidores têm exigido isso. Então, caso você esteja interessado em trabalhar com sustentabilidade, veja abaixo 10 profissões relacionadas ao tema:

1 – Biólogo

De acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho, os biólogos:

  • Estudam seres vivos;
  • Desenvolvem pesquisas em diversos segmentos da biologia;
  • Organizam coleções biológicas;
  • Manejam recursos naturais;
  • Desenvolvem atividades de educação ambiental;
    Realizam diagnósticos biológicos, moleculares e ambientais
  • Realizam análises clínicas, citológicas, citogênicas e patológicas;
  • Prestam consultorias e assessorias.

Há diversas áreas de atuação para o biólogo, inclusive quando se fala em sustentabilidade. Para começar, ele pode ser pesquisador em instituições ligadas ao meio ambiente. Além disso, esse profissional pode ser consultor na área biológica ou administrador de parques, reservas florestais e museus.

O biólogo também está apto para fazer o trabalho de educação ambiental e de catalogação de espécies, sendo que ambas as práticas se relacionam com sustentabilidade. Um cargo público é mais uma forma que o biólogo pode ajudar a natureza, já que eles são capazes de montar e executar políticas públicas no setor do meio ambiente.

Para se tornar um biólogo é preciso concluir a graduação de Ciências Biológicas ou Biologia. O curso existe na opção de licenciatura, tornando o estudante apto a dar aulas; e na opção de bacharelado, que permite uma atuação mais diversificada. Normalmente, o curso dura oito semestres. 

Entenda mais: Existe diferença entre Biologia e Ciências Biológicas?

2 – Meteorologista

A Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho prevê que o meteorologista assuma as seguintes funções:

  • Realização de pesquisas científicas para prognosticar fenômenos meteorológicos, astronômicos e de geofísica espacial; 
  • Coleta e tratamento dados; 
  • Disseminação de informações por meio de trabalhos, teses, publicações, eventos etc.; 
  • Desenvolvimento de sistemas computacionais;
  • Instrumentação científica;
  • Gerenciamento de projetos nas suas áreas.

O meteorologista é o profissional que lida diretamente com os processos químicos e físicos que definem o estado da atmosfera. Isso significa que ele atua analisando os diversos fatores que envolvem o clima. Logo, o meteorologista pode trabalhar com sustentabilidade por meio da agricultura, produção de energia solar e/ou eólica, além dos transportes aéreo e fluvial.

Para se tornar um meteorologista é necessário se formar no curso de Meteorologia, que tem duração média de oito semestres.

Veja também: Meteorologia: saiba mais sobre essa carreira

3 – Engenheiro ambiental

Segundo a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho, os engenheiros ambientais podem assumir as seguintes funções:

  • Elaboração e implantação de projetos ambientais;
  • Gerenciamento da implementação do sistema de Gestão Ambiental (SGA) nas empresas;
  • Implementação de ações de controle de emissão de poluentes;
  • Administração de resíduos e procedimentos de remediação;
  • Prestação de consultoria, assistência e assessoria.

A profissão de engenheiro ambiental tem uma ligação direta com a sustentabilidade. Isso porque esse profissional é responsável por desenvolver técnicas voltadas para a preservação do meio ambiente e resolver problemas de ação do homem utilizando a tecnologia disponível e apropriada.

Tornar-se engenheiro ambiental requer uma graduação em Engenharia Ambiental, curso superior com duração de cinco anos.

Leia também: Engenharia Ambiental: conheça as principais áreas de atuação

4 – Engenheiro florestal

Conforme a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho, os engenheiros florestais estão habilitados a:

  • Planejar, coordenar e executar atividades agrossilvipecuárias e do agronegócio;
  • Fiscalizar essas atividades;
  • Promover a extensão rural;
  • Orientar produtores nos vários aspectos das atividades agrossilvipecuárias e do agronegócio;
  • Elaborar documentação técnica e científica;
  • Promover desenvolvimento tecnológico;
  • Prestar assistência e consultoria técnicas.

Para trabalhar com sustentabilidade, o engenheiro florestal pode pensar e executar projetos que visem a exploração adequada e sustentável das florestas. Além disso, o profissional pode seguir outros caminhos, como: o gerenciamento de espaços de preservação ambiental; a pesquisa de aprimoramento genético das vegetações; etc.

Construir carreira como engenheiro florestal exige a formação no curso superior de Engenharia Florestal, que dura, em média, cinco anos.

Saiba mais: Entenda qual é a diferença entre Engenharia Ambiental e Engenharia Florestal

5 – Designer

Existem diversos tipos de designers, mas, no geral, esse profissional é responsável pela concepção de um produto. Isto é, o designer se encarrega desde a funcionalidade até o conceito artístico de determinado produto.

Com o crescimento do mercado sustentável, uma nova porta se abriu para esses profissionais, já que surgiu um novo nicho a ser explorado. O trabalho nessa área consiste em pensar em soluções para que um produto seja eficiente, esteticamente agradável e, principalmente, tenha pouco impacto ambiental. Para isso, o profissional se preocupa com questões como:

  • Tempo de vida do produto;
  • Descarte dos resíduos utilizados na produção do produto;
  • Origem da matéria prima do produto;
  • Embalagem do produto.

O curso de Design possui várias habilitações, entre elas Design Gráfico e Design de Produto. A formação também é oferecida em diversos níveis: bacharelado, tecnólogo, pós-graduação e técnico. Em média, a duração é de 2 a 4 anos.

Confira: 10 profissões na área de Design que talvez você não conheça

profissões para trabalhar com sustentabilidade

6 – Oceanógrafo

Segundo a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho, os oceanógrafos:

  • Realizam levantamentos;
  • Coletam, analisam e interpretam dados;
  • Gerenciam amostragens;
  • Elaboram mapas e relatórios técnicos e científicos;
  • Prospectam e exploram recursos minerais;
  • Pesquisam a natureza de fenômenos;
  • Efetuam serviços ambientais; 
  • Planejam e controlam serviços de geologia e geofísica;
  • Prestam serviços de assessoria e consultoria.

O oceanógrafo tem muito contato com mares, oceanos e zonas costeiras. Logo, é de se esperar que os profissionais da área possam se envolver com a sustentabilidade. Algumas formas do oceanógrafo atuar protegendo o meio ambiente são: projetos de preservação e pesquisas sobre recuperação ambiental.

Para entrar na profissão é preciso cursar Oceanografia, graduação que tem até nove semestres.

Veja também: Carreiras para quem gosta do mar: Oceanografia, Aquicultura, Biologia Marinha

7 – Físico

Conforme a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho, os físicos:

  • Aplicam princípios, conceitos e métodos da física em atividades específicas;
  • Aplicam técnicas de radiação ionizante e não ionizante;
  • Podem operar reatores nucleares e equipamentos emissores de radiação; Desenvolvem fontes alternativas de energia;
  • Projetam sistemas eletrônicos, ópticos, de telecomunicações e outros sistemas físicos;
  • Realizam medidas de grandezas físicas;
  • Desenvolvem programas e rotinas computacionais;
  • Elaboram documentação técnica e científica.

Quando se fala em sustentabilidade, o físico pode atuar em diversas frentes, como: energias não-poluentes, sistemas de transporte, mudanças climáticas, etc.

Para seguir essa carreira, é preciso fazer a graduação em Física. Oferecida como bacharelado, licenciatura e pós-graduação, essa formação leva em média quatro anos para ser concluída.

Saiba mais: Quanto custa estudar Física?

8 – Advogado

A Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho define que os advogados podem:

  • Postular, em nome do cliente, em juízo, propondo ou contestando ações;
  • Solicitar providências junto ao magistrado ou ministério público;
  • Avaliar provas documentais e orais;
  • Realizar audiências trabalhistas, penais comuns e cíveis, instruindo a parte e atuando no tribunal de júri, e extrajudicialmente, mediando questões;
  • Contribuir na elaboração de projetos de lei, analisando legislação para atualização e implementação;
  • Assistir empresas, pessoas e entidades, assessorando negociações internacionais e nacionais; 
  • Zelar pelos interesses do cliente na manutenção e integridade dos seus bens, facilitando negócios, preservando interesses individuais e coletivos, dentro dos princípios éticos e de forma a fortalecer o estado democrático de direito.

O bacharel em Direito encontra muitas possibilidades para seguir após formado. Dentre as opções, existem algumas que compactuam com a economia verde e colaboram com a promoção da sustentabilidade. Um bom exemplo disso é trabalhar com questões ligadas à legislação ambiental brasileira.

Tornar-se advogado requer uma formação em Direito, um curso bacharelado com duração média de cinco anos.

Leia também: 5 áreas do Direito que podem bombar nos próximos anos

9 – Geógrafo

Os geógrafos, de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho:

  • Estudam a organização espacial por meio da interpretação e da interação dos aspectos físicos e humanos; 
  • Regionalizam o território em escalas que variam do local ao global; 
  • Avaliam os processos de produção do espaço, subsidiando o ordenamento territorial; 
  • Participam do planejamento regional, urbano, rural, ambiental e da formulação de políticas de gestão do território; 
  • Procedem estudos necessários ao estabelecimento de bases territoriais; 
  • Emitem laudos e pareceres técnicos;
    Monitoram uso e ocupação da terra;
  • Vistoriam áreas em estudo;
    Estudam a pressão antrópica
  • Diagnosticam impactos e tendências.

O geógrafo pode atuar no campo da sustentabilidade de diversas formas. Um exemplo é a análise dos impactos das atividades produtivas no meio ambiente e no clima. Outro possível trabalho nesse segmento é em consultorias ambientais para organizações não-governamentais (ONGs) e locais que atuam com ecoturismo. 

A formação em Geografia é oferecida como bacharelado, licenciatura, tecnólogo e pós-graduação. Sua duração é de, em média, cinco anos.

Confira: Entenda tudo sobre o curso de Geografia

10 – Arquiteto

Os arquitetos, de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) feita pelo Ministério do Trabalho, podem:

  • Elaborar planos e projetos associados à arquitetura em todas as suas etapas, definindo materiais, acabamentos, técnicas, metodologias, analisando dados e informações;
  • Fiscalizar e executar obras e serviços;
  • Desenvolver estudos de viabilidade financeira, econômica e ambiental;
  • Prestar serviços de consultoria e assessoramento, bem como estabelecer políticas de gestão.

O arquiteto pode adotar um viés sustentável em seu trabalho optando por soluções criativas, estéticas, históricas, culturais e funcionais que levem em conta o impacto da construção no meio ambiente.

O curso de Arquitetura e Urbanismo, destinado aos estudantes que pensam em ser arquitetos, tem duração de cinco anos, em média.

Veja também: Saiba tudo sobre a faculdade de Arquitetura

Como trabalhar com sustentabilidade?

O primeiro passo para construir uma dessas carreiras listadas é ingressar numa faculdade. Após você escolher o curso que mais tem a ver com seus objetivos, é a hora de pesquisar uma faculdade. Uma dica: seu diploma só vai ser válido se você estudar numa instituição reconhecida pelo MEC. Então, para te ajudar, separamos algumas opções:

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin