dcsimg

Descubra o que faz um engenheiro agrônomo

O engenheiro agrônomo, ou simplesmente agrônomo, é tem papel superimportante na economia brasileira. Descubra o que faz esse profissional!

No Brasil, o agronegócio representa cerca de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) e metade das exportações. É uma fatia importantíssima da nossa economia, e deve ser cuidada de perto.

E para garantir que essas atividades tão importantes para a nossa economia sejam realizadas da melhor forma, um profissional se mostra essencial: o agrônomo, ou engenheiro agrônomo.

Com atuação em toda a cadeia produtiva, tanto diretamente nas propriedades rurais como em todos os setores ligados à agropecuária, o engenheiro agrônomo busca aliar a produtividade ao bom manejo dos recursos naturais.

Quer saber mais?

Descubra agora mesmo o que faz um engenheiro agrônomo e onde estudar para seguir essa profissão tão essencial!

O que faz um engenheiro agrônomo

A principal missão de um engenheiro agrônomo é melhorar a produtividade de atividades agrícolas e agropecuárias. Para isso, combina diferentes técnicas, matérias-primas, tecnologias, processos, maquinário e mão-de-obra.

Acontece que essa missão é muito ampla e, se você pensar bem, vai se dar conta de que no seu dia a dia com certeza tem alguma contribuição desse profissional.

Arriscamos dizer que o trabalho de um engenheiro agrônomo dificilmente vai ser igual ao do outro. É que eles levam em conta inúmeras variáveis a fim de encontrar a melhor solução para questões como:

  • Manejo de recursos naturais, lavouras, granjas e rebanhos
  • Planejamento de safras e criações
  • Desenvolvimento de pesquisas para melhoramento de espécies e do solo
  • Administração de propriedades rurais
  • Produção animal e vegetal
  • Industrialização de alimentos, fibras e outros produtos agropecuários
  • Industrialização de equipamentos e insumos rurais
  • Pesquisa acadêmica
  • Instalações e meios de acesso a costas, cursos e massas de água e extensões terrestres
  • Realizar perícias e fiscalização de portos, aeroportos e fronteiras.
  • Atuar no controle de pragas e vetores em ambientes rurais e urbanos.

E vale lembrar que o engenheiro agrônomo não trabalha apenas no campo. Pode atuar até mesmo na área financeira, em assuntos ligados ao agronegócio.

O que um engenheiro de alimentos estuda?

Para ser engenheiro agrônomo é preciso concluir um bacharelado de cinco anos em Engenharia Agronômica ou Agronomia. Ao final do curso, para se formar, é preciso passar por estágio supervisionado obrigatório e defender um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

A graduação também está disponível a distância, na modalidade semipresencial, com o aval do Ministério da Educação (MEC). Nesse esquema de estudos, as aulas teóricas acontecem online, enquanto as práticas e provas são feitas presencialmente, em encontros agendados.

As disciplinas variam de acordo com a faculdade, e podem inclusive dar ênfase maior para uma ou outra área, dependendo da vocação econômica da região onde o campus está localizado.

Vale muito a pena dar uma espiada na grade curricular do curso de Engenharia Agronômica para entender melhor tudo o que esse profissional está apto a fazer.

Aqui, trazemos as disciplinas oferecidas pelo curso de Agronomia da Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) para você ter uma ideia:

  • Agrometeorologia
  • Agronomia, Ciência e Profissão
  • Anatomia e Fisiologia Vegetal
  • Biologia Celular e Molecular
  • Bioquímica
  • Bovinocultura
  • Cálculo Aplicado
  • Ciência do Solo: Classificação
  • Ciência do Solo: Fertilidade do Solo e Nutrição Mineral de Plantas
  • Ciência do Solo: Física e Conservação do Solo e Água
  • Ciência do Solo: Morfologia e Gênese
  • Construções Rurais
  • Controle de Plantas Daninhas
  • Controle de Qualidade de Produtos Vegetais e Animais
  • Desenho Técnico
  • Economia e Administração Rural
  • Entomologia Aplicada à Agronomia
  • Experimentação Agrícola
  • Física Geral
  • Fitopatologia Aplicada
  • Fitopatologia Geral
  • Fitotecnia: Algodão e Mandioca
  • Fitotecnia: Arroz, Feijão e Trigo
  • Fitotecnia: Cana-de-Açúcar e Café
  • Fitotecnia: Soja e Milho
  • Forragicultura e Nutrição Animal
  • Fruticultura
  • Genética e Melhoramento de Plantas e Animais
  • Hidráulica
  • Informática Aplicada
  • Irrigação e Drenagem
  • Manejo e Produção Florestal
  • Máquinas e Mecanização Agrícola
  • Metodologia Científica
  • Métodos Quantitativos
  • Microbiologia Agrícola
  • Morfologia e Sistemática Vegetal
  • Olericultura
  • Paisagismo: Floricultura, Parques e Jardins
  • Produção, Tecnologia e Armazenamento de Sementes
  • Química Analítica
  • Química Geral
  • Química Orgânica
  • Suinocultura e Avicultura
  • Topografia e Georreferenciamento
  • Zoologia Geral

Engenharia Agronômica ou Agronegócio?

O curso de Engenharia Agronômica, ou Agronomia, dura cinco anos e só quem tem esse diploma pode realizar a atividade de engenheiro agrônomo no Brasil.

Se você curte a área, mas gostaria de fazer um curso menos extenso, a gente tem uma ótima opção: o tecnólogo em Agronegócio, ou tecnólogo em Gestão do Agronegócio.

Com duração de três anos, em média, o curso de tecnólogo é de nível superior e permite trabalhar na área. Nesse caso, o tecnólogo tem atuação um pouco mais restrita do que a do engenheiro agrônomo.

Onde estudar

Seja no caso do bacharelado em Agronomia ou do tecnólogo em Agronegócio, sua principal preocupação, caso queira brilhar no mercado de trabalho, deve ser sempre escolher uma boa faculdade.

E uma boa faculdade combina alguns elementos.

O principal é a qualidade de ensino, que pode ser atestada pelo reconhecimento e boa avaliação junto ao MEC.

Depois vem a adequação à sua realidade pessoal, com um modelo de estudos que caiba em sua rotina e mensalidades que caibam no seu bolso.

A gente separou para você algumas opções que, além de cumprirem os requisitos que acabamos de citar, ainda oferecem facilidades como financiamentos sem burocracia e bolsa de estudos.

Confira:

Veja também:

Descubra quanto ganha um agrônomo

O que achou do trabalho do engenheiro agrônomo? Vai seguir essa carreira? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin