dcsimg

Descubra o que faz um terapeuta ocupacional

Entenda como é a carreira de terapeuta ocupacional e por que ela está ganhando uma importância cada vez maior!

Para muita gente, exercer atividades simples, como preparar um café, calçar um sapato ou tomar um banho pode ser um desafio, seja por dificuldades motoras ou intelectuais.

Outras precisam de acompanhamento no processo de aprendizado ou nas atividades recreativas.

O terapeuta ocupacional está aí para ajudar crianças, jovens, adultos e idosos a desenvolverem atividades básicas. Podemos dizer que são profissionais especializados nas necessidades do próximo.

Por sorte, estão vendo seu mercado de expandir bastante nos últimos tempos.

Mas você sabe exatamente o que faz um terapeuta ocupacional? Descubra a seguir e, de quebra, veja como é o curso e onde estudar.

O que faz um terapeuta ocupacional

A principal função do terapeuta ocupacional é prestar assistência qualificada a pessoas que precisam de ajuda em suas atividades motoras, sensoriais e cognitivas básicas.

Estamos falando, por exemplo, de pessoas com dificuldade de aprendizado, vítimas de acidentes e traumas, pessoas com doenças neurodegenerativas ou distúrbios psicomotores, sejam jovens, idosos, adultos ou crianças.

As atividades podem ser as mais diversas possíveis: higiene pessoal, lazer, desenvolvimento artístico, produtividade, esportes e atividades de integração social.

O terapeuta ocupacional conhece profundamente as ocupações humanas em todas as formas e busca caminhos para fazer com que seus pacientes alcancem os objetivos.

Essas atividades propostas pelo terapeuta ocupacional não são aleatórias. Ele traz na bagagem uma boa base científica e aponta as soluções mais eficazes para resolver ou amenizar o problema – que, muitas vezes, requer anos e anos de acompanhamento.

Com crianças, por exemplo, apresenta brincadeiras que desenvolvem habilidades motoras, sensoriais e neurológicas de acordo com a idade e a necessidade individual.

Com vítimas de acidentes, pesquisa atividades que ajudam a pessoa a se adaptar à nova situação, superando obstáculos e desenvolvendo novas habilidades: como lidar com um membro amputado, por exemplo?

Aos que sofrem de transtornos mentais, como síndrome do pânico, ansiedade e depressão, os terapeutas desenvolvem dinâmicas específicas com o objetivo de despertar a autoestima e senso de propósito em seus pacientes.

Ou seja, não tem fórmula pronta. Seu grande diferencial é entender o problema do outro e buscar formas de ajudar a superá-lo.

Onde o terapeuta ocupacional trabalha

Daqui a algumas poucas décadas, a população de idosos no Brasil será a quinta maior do mundo. Esse envelhecimento gradual abre um gigantesco mercado para os terapeutas ocupacionais.

Hoje, eles encontram trabalho em espaços como

  • Clínicas
  • Hospitais
  • Lares de idosos e clínicas de repouso
  • Ambulatórios
  • Escolas
  • Projetos sociais
  • Penitenciárias e afins

Um campo bastante fértil e que tende a crescer ainda mais nos próximos anos é o de atendimento domiciliar, voltado a pessoas com dificuldades ou impedimento de locomoção (especialmente idosos).

Tocar um consultório próprio também tem se mostrado uma boa opção para os terapeutas ocupacionais com espírito empreendedor.

Quanto ganha um terapeuta ocupacional

Os salários dos terapeutas ocupacionais ainda podem melhorar bastante.

Na média nacional, eles estão ganhando cerca de R$ 2.800 por mês.

Em início de carreira, os valores podem ir de R$ 1.400 a R$ 2.300.

Com um pouco mais de experiência, os terapeutas recebem entre R$ R$ 2.100 e R$ 3.700.

Aqueles já com uma boa bagagem no mercado de trabalho podem ganhar acima de R$ 5.000.

Esses valores, no entanto, são referentes aos pagamentos feitos por uma única empresa.

A gente sabe que muitos profissionais da área da saúde costumam trabalhar em vários locais ao mesmo tempo, prestando meio expediente em cada um ou acumulando com o trabalho de atendimento em domicílio.

Portanto, é bem provável que os terapeutas ocupacionais faturem mais do que as médias nacionais sugerem.

Curso para quem quer trabalhar como terapeuta ocupacional

A graduação em Terapia Ocupacional pode ser encontrada em cerca de 40 faculdades pelo país.

Praticamente metade está na rede pública de ensino. Atualmente, conta com mais de cinco mil alunos matriculados.

Por ano, são oferecidas mais de quatro mil vagas, especialmente na rede privada.

O curso tem duração de quatro anos e o grau de formação é bacharelado.

Dessas 40 faculdades que oferecem Terapia Ocupacional, cinco dispõem do curso no formato a distância, o que ajuda a ampliar o alcance da graduação Brasil afora.

Ainda assim, infelizmente, não é um dos cursos mais populares por aqui.

Se você não encontrá-lo na sua cidade ou na faculdade onde gostaria de estudar, pode optar por outra graduação mais ou menos similar: Fisioterapia!

Esse bacharelado, também com quatro anos de duração, está disponível em mais de 580 instituições – ou seja, é muito mais fácil de ser encontrado por aí.

Vale ressaltar que, embora próximas, as atuações do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional são distintas. O fisioterapeuta está mais voltado à reabilitação motora de pessoas com deficiências, vítimas de traumas ou cirurgias.

A parte da readaptação dessas pessoas à sua nova rotina é função do terapeuta ocupacional.

Frequentemente os dois profissionais trabalham juntos.

O curso de Terapia Ocupacional pode ser encontrado em instituições como:

  • Universidade de São Paulo (USP)
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Universidade de Brasília (UNB)

Já o de Fisioterapia, dá para fazer em uma série de faculdades privadas reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC, como:

Veja também:

O que faz um fisioterapeuta?

O que achou do trabalho do terapeuta ocupacional? Era o que você estava esperando? Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin