dcsimg

Descubra quanto ganha um empresário

De um lado, a estabilidade de um emprego tradicional. De outro, a liberdade de construir a própria trajetória e se tornar exemplo de sucesso no mundo dos negócios. Hoje, muitos jovens têm optado pelo segundo caminho.

Uma pesquisa realizada em 2017 pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) aponta que 2 em cada 3 jovens brasileiros planejam se tornar empreendedores. Os principais motivos: realização pessoal, busca por qualidade de vida, pessimismo com o mercado de trabalho formal e possibilidade de bons ganhos financeiros.

Mas, afinal, quanto ganha um empresário no Brasil?

O “salário” de um empresário

O mundo do empreendedorismo é tão diversificado quanto o dos empregos formais. O valor que um empresário ganha depende de vários fatores, como:

  • Formação e qualificação.
  • Área de atuação.
  • O quanto ele investe (em tempo e dinheiro) no próprio negócio.
  • Capacidade de organização.
  • Visão de futuro e capacidade de adaptação: quanto o empresário consegue antecipar as mudanças e inovar.
  • Capacidade de aprender com os próprios erros e corrigir o rumo do negócio quando necessário.
  • Habilidade para fazer bons contatos e estabelecer parcerias.
  • Capacidade de criar relações de confiança com os clientes.

De acordo com um levantamento feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade de Produtividade (IBPQ), 7 em cada 10 empresários no Brasil recebem até três salários mínimos mensais (por volta de R$ 2.800,00).

São, principalmente, pessoas que começaram a empreender por necessidade, após perderem o emprego e não encontrarem uma nova posição no mercado tradicional – é o que se chama de empreendedorismo de subsistência. Trata-se de micro e pequenas empresas muitas vezes criadas de improviso e temporárias: quando o dono encontra um emprego no formato tradicional, ele tende a fechar o negócio.

Mas é claro que, para quem está disposto a estudar e planejar com cuidado seu negócio, a perspectiva tende a ser bem mais positiva.

Um levantamento a partir dos salários cadastrados no site Love Mondays, por exemplo, mostra um retrato mais otimista: ganho médio de quase R$ 5.500,00 por mês, variando de R$ 943,00 a R$ 20.588,00.

Se olharmos apenas para os empresários de sucesso, cujas histórias se tornam matérias em revistas e na televisão, o céu é o limite, com faturamentos e lucros bem acima da casa de R$ 1 milhão.

Portanto, o quanto um empresário ganha varia bastante e depende de múltiplos fatores.

Para aumentar suas chances de sucesso como empresário, é importante que você tenha conhecimentos sólidos em duas frentes:

  • gerenciamento do negócio (incluindo Finanças, Marketing, Vendas e Gestão de pessoal).
  • características específicas do mercado em que você vai atuar.

Que curso fazer para se tornar empresário

Um dos cursos mais procurados por quem planeja empreender é a graduação em Administração de Empresas. O curso dura em média 4 anos e qualifica profissionais para gerenciar as diversas áreas que costumam compor uma empresa: Finanças, Recursos Humanos, Marketing, Serviços, Logística, Produção etc.

O curso de Administração de Empresas é oferecido por universidades públicas e privadas. Uma delas é a Universidade Anhanguera, que tem a formação nas modalidades presencial e a distância.

Entre as disciplinas oferecidas pelo curso da Anhanguera estão Análise de Custos, Comportamento Organizacional, Direito Empresarial, Ética, Gestão da Inovação, Legislação Social e Trabalhista, Planejamento Estratégico  e Pesquisa Mercadológica.

Boas instituições privadas reconhecidas pelo MEC que possuem o curso de Administração de Empresas:

Outras formações

Além do curso de Administração de Empresas, existem outras possibilidades de formação para quem deseja empreender.

A escolha depende de quais são seus planos. Por exemplo, se o seu sonho é abrir um restaurante e ao mesmo tempo comandar a cozinha, uma boa alternativa é começar pelo curso de Gastronomia.

A Universidade Cruzeiro do Sul, por exemplo, oferece o curso de Gastronomia na modalidade tecnológica. Além de laboratórios para criação e desenvolvimento de cardápios, a formação inclui aperfeiçoamento com ênfase em gerenciamento estratégico de negócios.

Outro exemplo: quem deseja empreender na área de tratamentos estéticos pode buscar uma formação superior específica na área, combinada a disciplinas na área de Gestão e Empreendedorismo.

Na Anhanguera, o curso de Estética e Cosmética (tecnológico) dura três anos e meio e tem, além de disciplinas específicas da área (como Ciências Moleculares e Prática Clínica em Estética Facial), matérias voltadas a quem planeja gerenciar um negócio (como Comportamento do Consumidor e optativa em Empreendedorismo).

Cursos complementares

Caso você já conheça bem a área em que deseja empreender e busque cursos complementares nas áreas de Negócios e Gestão, um bom ponto de partida é o Sebrae. Ele oferece conteúdo e cursos rápidos em áreas como Planejamento, Finanças, Vendas e Inovação.

Para saber mais, navegue pelo portal do Sebrae e cadastre-se para receber novidades e consultoria.

Leia também:

Quanto ganha um administrador?

Saiba quais são as 10 profissões com os maiores salários

Seu sonho é empreender? Conte nos comentários que curso deseja fazer e como você está se planejando para abrir um negócio.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin