dcsimg

Descubra quanto ganha um ministro

Eles estão no alto escalão do governo federal e ajudam a definir os rumos do país. Veja quanto ganha um ministro brasileiro!

Ser ministro implica elaborar normas e políticas públicas, definir estratégias, acompanhar programas federais e priorizar o uso de recursos públicos.

Num país como o Brasil, isso não é nada simples.

Mas será que ministro ganha bem para realizar seu papel?

Descubra agora mesmo qual é a remuneração desse cargo do altíssimo escalão e o que fazer para chegar lá!

Quanto ganha um ministro

O Brasil conta com 22 pastas ministeriais atualmente – 16 ministérios, duas secretarias e quatro órgãos que têm equivalência de ministérios:

  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)
  • Ministério da Cidadania (MC)
  • Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC)
  • Ministério da Defesa (MD)
  • Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR)
  • Ministério da Economia (ME)
  • Ministério da Educação (MEC)
  • Ministério da Infraestrutura (MI)
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP)
  • Ministério do Meio Ambiente (MMA)
  • Ministério das Minas e Energia (MME)
  • Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH)
  • Ministério das Relações Exteriores (MRE)
  • Ministério da Saúde (MS)
  • Ministério do Turismo (MTur)
  • Controladoria Geral da União (CGU)
  • Secretaria de Governo (SeGov)
  • Secretaria Geral (SGPR)
  • Advocacia Geral da União (AGU)
  • Banco Central do Brasil (BC)
  • Casa Civil (CC)
  • Gabinete de Segurança Institucional (GSI)

E tem ainda o Supremo Tribunal Federal (STF), a mais alta instância do poder judiciário brasileiro. Ele é composto por 11 pessoas indicadas pelo presidente da república que, por conta dessa nomeação, são chamados também de ministros.

O número de ministérios pode mudar a cada governo – e ministros e ministras podem ser empossados ou destituídos durante o mandato de um mesmo presidente.

Mas tem uma coisa que não muda: existe um teto salarial que deve ser respeitado.

Atualmente, nenhum funcionário público, seja de qual cargo for, pode ganhar mais do que o salário de um ministro do STF, que corresponde a R$ 39,2 mil brutos mensais.

Na prática, essa remuneração pode ser, sim, bem mais alta.

Tudo graças aos benefícios concedidos a ministros – ajudas de custo e outras facilidades que não contam como salário, mas fazem a maior diferença no bolso.

Entre os benefícios dos ministros brasileiros, podemos citar:

  • Carros oficiais
  • Auxílio moradia
  • Auxílio alimentação
  • Seguranças
  • Funcionários pagos pela presidência da república (assessores, motoristas)

Com isso, ministros podem chegar a receber mais de R$ 100 mil mensais.

Para ser ministro precisa fazer faculdade?

Nossa Constituição Federal determina que “os Ministros de Estado serão escolhidos dentre brasileiros maiores de vinte e um anos e no exercício dos direitos políticos”. Essa escolha é feita pelo presidente da república.

Ou seja, nada impede um presidente da república de nomear uma pessoa sem nível superior.

Já para o caso de Ministros do STF, a Constituição diz o seguinte:

“(…) Art. 101. O Supremo Tribunal Federal compõe-se de onze Ministros, escolhidos dentre cidadãos com mais de trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada.

Parágrafo único. Os Ministros do Supremo Tribunal Federal serão nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal”.

Novamente, em tese, não seria obrigatório ter cursado Direito para ser nomeado Ministro do Supremo no Brasil. Na prática, porém, a formação em Direito é fundamental para acumular o tal “notável saber jurídico”.

Onde estudar

São muitas as possibilidades de formação para quem pretende seguir carreira política e acumular experiência suficiente para ser indicado a presidir uma pasta ministerial.

Além do curso de Direito, para quem pretende alcançar um posto no STF ou Ministério da Justiça, há uma série de outras possibilidades de expertise, de acordo com a pasta em que o profissional pretende atuar: Agronomia, Engenharia Ambiental, Segurança, Educação, Economia, Relações Internacionais, Comércio Exterior, Políticas Públicas, Sociologia e muitas, muitas outras opções de formação.

Independentemente do caminho que você for seguir, uma coisa é certa: escolher uma boa faculdade vai fazer seu investimento valer a pena.

Separamos algumas instituições reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC onde você vai poder estudar com a certeza de que receberá um diploma valorizado no mercado. Com ele vai, poder acumular experiência e se destacar em sua área de atuação.

Todas estas faculdades trabalham com programas que facilitam o acesso ao ensino superior, como FIES e ProUni, além de terem iniciativas próprias de bolsas de estudos e financiamento sem burocracia.

Clique e conheça:

Veja também:

Quanto ganha um cientista político?

O que achou dos salários dos ministros brasileiros? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin