dcsimg

Descubra quanto tempo dura a faculdade de Engenharia de Produção

Fique ligado e descubra em quanto tempo você tirar seu diploma de engenheiro de produção!

Engenharia de Produção é um misto de Engenharia e Administração – duas áreas super em alta no Brasil ultimamente.

Não é por acaso que o curso já deixou sua marca entre os 10 mais procurados do Brasil, com quase 170 mil estudantes matriculados, de acordo com os dados do mais recente Censo da Educação Superior.

O engenheiro de produção tem um baita desafio diante de si: buscar formas de melhorar a produtividade de uma empresa usando, para isso, ideias inteligentes. É um profissional que alia conhecimentos estratégicos e técnicos.

O mercado continua aberto a novos engenheiros de produção. Só é preciso ter paciência para escalar o caminho até lá.

Se você está ansioso para entrar logo na faculdade e dar aquele gás nos estudos, um aviso: vai precisar de bastante disciplina para terminar Engenharia de Produção. O curso não é moleza.

Bateu aquela curiosidade? Então descubra a seguir quanto tempo dura o curso de Engenharia de Produção, quais são as alternativas para concluir a graduação em menos tempo, as modalidades de estudos disponíveis hoje em dia e as faculdades que oferecem esta formação com o reconhecimento do MEC!

Duração da faculdade de Engenharia de Produção

Os cursos Engenharia de Produção devem ter, por determinação do Ministério da Educação (MEC), uma carga horária mínima de 3.600 horas. Para cumprir essa carga são necessários pelo menos cinco anos de estudos.

Quem está ansioso para entrar logo na faculdade e terminar o curso de Engenharia no menor tempo possível terá que controlar a ansiedade. Vão ser cinco anos bem intensos, com aulas teóricas e práticas envolvendo muita Matemática, Física e disciplinas ligadas à Administração de Empresas.

Uma alternativa para aliviar a carga pode ser fazer o curso na modalidade a distância, que oferece mais flexibilidade. Mas será que esse formato permite adiantar o tempo necessário para se formar?

Descubra a seguir!

Duração da faculdade de Engenharia de Produção a distância

Estudar Engenharia de Produção a distância pode ser a saída para quem quer fazer um curso com alta empregabilidade no mercado de trabalho mas precisa conciliar os estudos com outras atividades. O formato permite que o aluno faça boa parte das matérias de casa, no horário que for mais conveniente, seguindo o seu próprio ritmo.

O que muita gente interessada em cursos a distância não sabe é que a graduação não pode ser feita totalmente de forma remota. Por lei, as faculdades precisam oferecer atividades presenciais ao longo do semestre – provas, apresentação de trabalhos, aulas em laboratório, etc.

O curso de Engenharia de Produção, por ter diversas disciplinas práticas, envolve uma série de encontros presenciais nos polos de apoio – às vezes até com frequência semanal.

Para quem acha que dá para dar um gás nos estudos e terminar a graduação em menos tempo, temos uma má notícia: infelizmente não tem como. Por determinação do MEC, tanto a carga horária como o tempo mínimo para concluir o curso são iguais para graduações presenciais e a distância: 3.600 horas, distribuídas em cinco anos.

O curso de Engenharia de Produção a distância rende um diploma reconhecido e bem aceito no mercado de trabalho – desde que, obviamente, a faculdade escolhida seja reconhecida pelo MEC.

Curso mais rápido na área de Engenharia de Produção

Aqui temos uma boa notícia para os apressadinhos: há outro curso, semelhante à Engenharia de Produção, que pode ser feito em um tempo de formação bem menor.

Essa graduação não tem a mesma amplitude da de Engenharia, mas permite entrar no mercado de trabalho mais rapidamente e com um diploma de nível superior em mãos.

Estamos falando de um tecnólogo – também conhecido como curso superior de tecnologia.

O curso em questão chama-se Produção Industrial e pode ser encontrado com relativa facilidade por todo o Brasil. A carga horária é de 2.400 horas, o que dá três anos de estudos.

O curso superior de tecnologia em Produção Industrial ensina o profissional a planejar, implantar e supervisionar todo tipo de processo produtivo em indústrias. É uma atuação mais restrita do que a do engenheiro de produção, mas pode ser uma alternativa bem interessante para quem tem pressa de conseguir o diploma.

Além disso, os cursos de tecnólogo têm alta empregabilidade e os profissionais com essa titulação podem usar o diploma para avançar nos estudos (em cursos de pós-graduação) ou mesmo prestar concursos públicos de nível superior.

Não custa lembrar: o tecnólogo em Produção Industrial não pode, por lei, assinar projetos de engenharia.

O que você precisa saber sobre o curso de Engenharia de Produção

Por mais que esteja crescendo bastante no Brasil, a área de Engenharia de Produção deve manter a demanda por bons profissionais durante um bom tempo.

A graduação está entre as top dez com mais alunos matriculados no país – e isso pode indicar que você vai encontrar um mercado de trabalho bastante concorrido pela frente.

O curso está disponível em quase 600 faculdades por todo o país. A maioria das vagas está nas particulares.

Engenharia de Produção segue o esquema básico das engenharias: no primeiro ano o aluno tem acesso às matérias introdutórias da área, com muita Matemática, Química e Física, e depois vem a formação específica. É nesse momento que entram as matérias com abordagem administrativa.

Não é um curso fácil, por mais que não seja tão técnico quanto as outras engenharias. Os alunos terão que encarar, por cinco anos, uma verdadeira imersão em assuntos como controle de qualidade, produtividade, logística, fluxo de operações, estrutura organizacional, economia, sustentabilidade, etc.

As aulas práticas – que são muitas – ocorrem em laboratórios de simulação, eficiência energética, metrologia, automação industrial e informática.

No final, o esforço vale a pena. Com habilidade para pensar soluções que ajudam a melhorar a produtividade das empresas (e, consequentemente, aumentar os lucros), um engenheiro de produção pode ser disputadíssimo no mercado de trabalho. E o melhor: os salários são de encher os olhos – e os bolsos!

Os empregos estão principalmente em indústrias e em organizações de grande porte. É normal conseguir trabalho ainda na faculdade, durante o estágio.

O engenheiro de produção só pode atuar formalmente depois de concluir o curso e obter registro profissional junto ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia, o CREA.

Faculdades de Engenharia de Produção reconhecidas pelo MEC

O curso de Engenharia de Produção pode ser encontrado facilmente em faculdades públicas e particulares espalhadas por todo o país. Logo, deve haver alguma aí perto da sua casa ou do seu trabalho com vagas abertas no próximo processo seletivo. Fique atento.

Escolher um curso de qualidade não tem mistério: basta procurar por uma instituição reconhecida e bem avaliada pelo Ministério da Educação. Essa é a primeira garantia de que você irá entrar com o pé direito no mercado de trabalho.

Por isso mesmo, a gente foi atrás de boas faculdades que oferecem o curso de Engenharia de Produção em diferentes modalidades de ensino. Elas são bem avaliadas pelo MEC e contam com unidades e polos por todo o Brasil.

Confira:

Veja também:

Quanto ganha um Engenheiro de Produção?

Vai fazer Engenharia de Produção? Em qual faculdade está pensando em estudar? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin