dcsimg

ENEM ou Vestibular? Descubra qual a melhor opção para você

Acabe com a dúvida agora mesmo. Veja o que vale mais a pena para você: fazer Enem ou Vestibular!

Enem ou Vestibular

Quem tenta entrar no ensino superior precisa enfrentar várias provações ao longo do ano. Primeiro vem o período de inscrição: qual processo seletivo escolher, qual curso fazer, quanto pagar, etc.

Depois começa a maratona de estudos – haja disposição, concentração e esforço!

Mais tarde, geralmente no fim do ano, chegam as provas. É hora de mostrar tudo o que sabe e torcer para alcançar uma boa pontuação.

Por fim, vem o esperado resultado – uns desapontados de um lado, outros comemorando a conquista.

Pois é. Entrar na universidade nem sempre é fácil, ainda mais quando há tantas formas de ingresso diferentes. Se você está em dúvida entre Enem ou Vestibular, vamos dar uma forcinha para ajudar nessa escolha! Acompanhe a seguir!

Enem ou Vestibular: qual o melhor?

Aqui não existe melhor nem pior. Tanto o Enem como o Vestibular têm suas vantagens.

Basicamente, a nota do Enem é usada em diversos processos seletivos, o que abre mais oportunidades aos candidatos. O Vestibular geralmente é focado no ingresso em uma universidade específica, que pode ser pública ou privada.

É legal entender o que cada um oferece e escolher o mais adequado para atingir seus objetivos. Vamos lá!

O Enem

O Enem, por si só, não tem concorrência, nem garante vaga na faculdade automaticamente. O Exame foi criado para avaliar a qualidade do ensino médio no Brasil e continua a ter esse objetivo até hoje. Só que ao longo do tempo o Enem ganhou importância e passou a ser usado também como critério de classificação em diversos processos seletivos para ingresso no ensino superior – fora outras vantagens que muita gente nem sabe que existem.

Veja o que dá para fazer com a nota do Enem:

  1. Concorrer a uma vaga em universidades públicas: por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o candidato que fez o Enem mais recente e não zerou na redação pode se inscrever para tentar uma vaga em instituições públicas de todo o Brasil. É tudo feito eletronicamente e o resultado sai em poucos dias. O processo é bastante concorrido e funciona como um vestibular: só entram aqueles que tiverem pontuação mais alta. A diferença é que não é necessário fazer mais uma maratona de provas, basta o Enem. Hoje, mais de 100 universidades públicas de todo o Brasil já aderiram ao Sisu. As inscrições acontecem duas vezes por ano, no início de cada semestre letivo.
  1. Ganhar uma bolsa de estudos: uma boa nota no Enem também pode render bolsa de estudos integral ou parcial em uma faculdade privada bem avaliada pelo Ministério da Educação (MEC). Tem curso de tudo quanto é tipo, de Medicina a Pedagogia. Quem seleciona os candidatos é o Programa Universidade para Todos (ProUni). Pode participar quem atende aos critérios de renda familiar e escolaridade, além de ter feito o Enem mais recente, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota maior do que zero na redação. O ProUni também acontece duas vezes ao ano.
  1. Financiar os estudos: a nota do Enem também é usada como critério para seleção de beneficiários do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) do Governo Federal. A dívida do FIES só começa a ser paga depois da formatura, com prazo longo e juros baixos. Para concorrer é preciso ter feito qualquer Enem a partir de 2010, desde que tenha alcançado desempenho de pelo menos 450 na média das provas e nota acima de zero na redação. Assim como o ProUni, o FIES também tem critérios de renda familiar. A seleção ocorre duas vezes por ano.
  1. Obter o certificado de conclusão do ensino médio: quem não teve oportunidade de concluir o ensino médio em escola regular pode tentar obter o certificado com a ajuda do Enem. Fazendo no mínimo 450 pontos em cada uma das provas objetivas e 500 na redação, o candidato pode obter o documento sem ter que passar por um curso supletivo ou voltar para a escola. A opção deve ser marcada no ato da inscrição e só vale para quem tem 18 anos ou mais.
  1. Complementar a nota do vestibular tradicional: algumas universidades complementam a pontuação dos seus vestibulares com a nota do Enem – esses pontos podem ser decisivos na disputa por uma vaga, principalmente naqueles cursos mais concorridos. Informe-se junto à instituição de ensino se essa opção está disponível.
  1. Entrar direto em faculdades privadas: muitas faculdades particulares estão adotando a nota do Enem como critério de seleção de novos alunos, o que elimina a necessidade de fazer um novo vestibular – uma facilidade e tanto!

Conheça algumas faculdades reconhecidas pelo MEC que aceitam esse modelo de ingresso:

Vestibular

Antigamente, os vestibulares eram o modelo-padrão de ingresso em um curso curso superior. Com a adoção do Enem como critério de classificação, muitas instituições públicas aboliram o concurso. Nas particulares, o vestibular ainda acontece e pode ter formatos variados – tradicional ou agendado.

Os vestibulares têm direcionamento mais específico que o Enem. O estudante faz a inscrição já sabendo em qual universidade, curso, turno, campus e modalidade (cotas, por exemplo) irá disputar a vaga.

Algumas universidades públicas reservam uma pequena parte da suas vagas para ingresso via Sisu – como a Universidade de São Paulo (USP), por exemplo, que oferece 13% das suas vagas para quem obtém boa pontuação no Enem. O preenchimento da maioria das vagas da USP ainda acontece pelo vestibular (Fuvest).

Os formatos variam de instituição para instituição. Há vestibulares de fase única e outros divididos em duas etapas eliminatórias: uma para testar os conhecimentos gerais e outra para os específicos. O número de questões, o tipo de redação exigida e o prazo para resolver as provas também variam entre os vestibulares. Caso opte por fazer mais de um, é importante estudar bem o modelo e resolver provas anteriores para ficar familiarizado com o concurso.

Jogo rápido: Enem ou Vestibular?

Na prática, os dois processos são interessantes. Observe algumas diferenças básicas e faça sua escolha.

Opte pelo Enem se você quer:

  • Ter mais chances de conseguir vaga em um curso superior.
  • Poder entrar em qualquer universidade do Brasil que aceite a nota do Enem.
  • Poder escolher um entre os vários cursos disponíveis e mudar de ideia enquanto o processo seletivo ainda estiver rolando.
  • Usar a nota para outras finalidades, como obtenção de bolsa, financiamento ou certificação.
  • Ter mais oportunidades de ingressar no curso desejado ao longo do ano.

Opte pelo vestibular se você:

  • Tem certeza de qual curso quer fazer.
  • Já sabe em qual faculdade quer estudar.
  • A instituição onde você pretende entrar não aceita a nota do Enem.

O nosso conselho de ouro é: na dúvida, faça os dois! Assim você tem ainda mais chances de entrar no curso dos seus sonhos. Os vestibulares nunca caem na mesma data do Enem, portanto dá para fazer os dois tranquilamente.

Veja também:

Tire suas dúvidas sobre o Enem!

E aí, qual a sua opção: Enem ou Vestibular? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin