Saiba quais são as áreas de atuação de Engenharia Química

Entenda porque a Engenharia Química é considerada uma das engenharias mais dinâmicas e veja onde esse profissional pode trabalhar!

A Engenharia Química está na lista das profissões ditas “universais” pela sua longa lista de aplicação em diferentes setores econômicos e sociais.

Quem segue essa carreira tem, portanto, inúmeras possibilidades de trabalho, algumas com salários bem interessantes.

Não é à toa que ao longo das últimas décadas brotaram tantos cursos de Engenharia Química pelo Brasil, principalmente na rede privada de ensino.

Mas você sabe o que faz essa graduação ser tão dinâmica?

A seguir, descubra quais são as áreas de atuação de Engenharia Química e onde encontrar as melhores faculdades para fazer seu curso!

As áreas de atuação da Engenharia Química

A Engenharia Química tem uma fortíssima pegada tecnológica e científica – dois dos conhecimentos mais importantes do século.

Aqui a principal missão é conhecer a fundo processos e reações químicas que podem transformar matérias primas diversas em produtos para uso humano.

É função do engenheiro químico transformar petróleo em plástico, por exemplo, estudar qual processo de fermentação permite conservar determinados alimentos, fazer refino de combustíveis, pesquisar substâncias eficazes no combate a doenças, melhorar processos já existentes, fazer controle de qualidade de produtos, entre tantas outras atividades possíveis.

Conforme aumenta a demanda da sociedade por soluções cada vez mais inteligentes – especialmente aquelas voltadas ao meio ambiente –, a atuação do engenheiro químico vai se expandindo.

É aí que reside a tal universalidade da profissão que a gente comentou no início do texto.

Por isso, quem está pensando em estudar Engenharia Química poderá, no futuro, escolher entre diversas áreas de atuação.

Hoje em dia, as principais são:

Indústria — Na indústria, o engenheiro químico pesquisa e desenvolve soluções que ajudam a transformar materiais ou otimizar processos. Também projeta e desenvolve equipamentos. É possível atuar em praticamente qualquer segmento existente: alimentos, produção têxtil, metalúrgicas, siderúrgicas, petrolíferas, biocombustíveis, produção de vidros e plásticos, só para citarmos as principais. Outra atuação forte do engenheiro químico é no controle de qualidade, fiscalizando todas etapas de produção e propondo melhorias contínuas.

Gestão – A maioria dos cursos de Engenharia também investe em gestão. Os engenheiros químicos que optarem por esse caminho podem assumir a função de gestores de projetos e equipes, o que leva mais adiante a cargos muito bem remunerados, como os de gerente ou diretor. Nesse caso, é essencial que os profissionais procurem fazer cursos de especialização na área, especialmente os MBAs, e tenham pleno domínio do inglês e do espanhol (as melhores oportunidades estão nas multinacionais!).

Meio ambiente – Essa é uma das áreas de atuação mais promissoras para os engenheiros químicos que se interessam por questões ligadas à recuperação de áreas degradadas, análise de impacto ambiental, busca de técnicas de extração sustentável, redução da emissão de poluentes e descarte adequado de produtos químicos.

Consultoria – As consultorias têm se mostrado uma opção interessante para quem prefere trabalhar com mais autonomia. Os engenheiros químicos podem compartilhar o seu conhecimento e experiência com empresas de todos os tipos, colaborando para otimização de projetos, implantação de tecnologias, adoção de sistemáticas de gestão e técnicas de sustentabilidade.

Pesquisa e desenvolvimento — Essa é outra área bastante forte entre as engenharias. Por ser uma profissão com grande foco no desenvolvimento científico e tecnológico, os engenheiros frequentemente se envolvem em pesquisas de novos produtos, técnicas inovadoras e criação de softwares e hardwares que ajudem o setor.

Ensino – Atuar no ensino superior pode ser também uma boa pedida para o engenheiro químico. Ele pode se tornar professor de universidades privadas e públicas – nestas últimas via concurso público. Para ensinar Engenharia Química em universidades é necessário ter mestrado ou doutorado.

Comércio e serviços – Os engenheiros químicos podem também trabalhar no comércio e prestação de serviços. Como? Prestando, por exemplo, apoio no desenvolvimento de ações de marketing para produtos químicos, ajudando na logística de transportes e armazenamento de substâncias, estudando mercados consumidores, desenhando estratégias de vendas.

Setor público – O serviço público pode ser uma boa para engenheiros químicos. Há uma quantidade considerável de concursos para quem sonha em trabalhar numa gigante como a Petrobrás, atuar como fiscal na Anvisa ou na formulação de políticas públicas para o setor. O emprego é estável e os salários são atraentes.

Como é o curso de Engenharia Química

Engenharia Química é um bacharelado e com cinco anos de duração.

Nos primeiros anos de curso, os alunos reforçam os fundamentos da Engenharia. A partir da segunda metade, começam a mergulhar nas matérias típicas, ou seja, química orgânica e inorgânica, físico-química, cálculo, álgebra, microbiologia, programação de computadores e resistência dos materiais.

Desde o primeiro dia os alunos irão se envolver em atividades de laboratório, manipulando substâncias químicas, estudando as reações e catalogando os resultados.

O curso exige bastante dedicação, estudo e prática. Quem tem muito amor pela área de exatas vai se dar bem.

A graduação é bastante popular por aqui, tanto que pode ser encontrada em centenas de faculdades por todo Brasil. De acordo com o Censo da Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), existem mais de 40 mil matriculados atualmente – o que significa uma concorrência considerável no mercado de trabalho.

Onde estudar Engenharia Química

Hoje o curso de Engenharia Química está disponível em 200 faculdades pelo país – das quais 142 são particulares e apenas 58 públicas. Somente uma oferece a graduação na modalidade a distância.

Juntas, elas oferecem mais de 30 mil vagas por ano!

Para fazer a escolha certa em meio a tanta opção, siga nossa dica: tente entrar nas melhores faculdades!

E como se faz isso? Simples: verifique a avaliação do MEC e se a instituição escolhida é conceituada no mercado da Engenharia Química.

Só assim você garante entrar na profissão com o pé direito.

A gente tem dicas de onde fazer Engenharia Química se você pretende estudar numa instituição privada, pode apostar no Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA).

Veja também:

Quanto custa estudar Engenharia?

Qual dessas áreas de atuação da Engenharia Química você gosta mais? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin