dcsimg

Como conseguir o primeiro emprego?

Para você que é jovem e vive o dilema de não conseguir emprego por não ter experiência, conheça aqui, no Guia da Carreira, o que fazer para conseguir seu primeiro emprego.

Emprego

Dar início à carreira profissional é um grande desafio para os jovens que, apesar de possuírem muita energia e vontade de aprender, muitas vezes são eliminados nas entrevistas de emprego por falta de experiência. Para compensar um currículo enxuto existem caminhos que interessam aos empregadores como o investimento em sua formação com cursos extracurriculares como de idiomas, informática ou específicos na área em que você deseja atuar. Isso torna um diferencial importante na hora da contratação.

O primeiro passo é qualificar-se!

Além de você, centenas de outros jovens também estão na corrida pelo primeiro emprego. É preciso se destacar no meio de toda essa mão de obra disponível e o valor dos cursos não é mais um impedimento para você estudar. Para quem está cursando o ensino médio ou já concluiu essa etapa dos estudos é possível se qualificar gratuitamente com cursos profissionalizantes oferecidos pelo Governo Federal. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC), por exemplo, atua em parceria com as unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), espalhadas por todo o país.

Se você não tem experiência e nenhuma formação além do ensino médio para colocar em seu currículo, essa pode ser uma boa oportunidade de conseguir seu primeiro emprego de forma mais rápida. É possível se qualificar em várias áreas de atuação, desde as áreas exatas, com cursos de automação automotiva, construção, tecnologia da informação e telecomunicações até as áreas de vendas como gestão, logística, vestuário e outras.

Prepare-se para a entrevista!

Com um bom currículo em mãos você já pode chegar mais confiante na hora de encarar seu futuro empregador, mas isso não significa que você não precise se preparar para esse momento. O nervosismo pode atrapalhar na hora de explicar suas expectativas, seus pontos fortes e fracos e você pode deixar de mencionar informações importantes.

Grande parte das entrevistas de emprego e dinâmicas de seleção de candidatos pedem que o interessado na vaga fale sobre si mesmo. Para não passar vergonha nesse momento, prepare-se antes pensando nas suas qualidades e nos pontos em que você precisa melhorar. Pense em sua personalidade, experiências anteriores ou no que seus amigos e familiares acham sobre você.

Prepare um currículo claro e objetivo

Os recrutadores, normalmente, se deparam com uma pilha de currículos para uma ou duas vagas e não perdem muito tempo tentando decifrar documentos mal elaborados. Usar fontes extravagantes, colocar capa ou letras coloridas são coisas que atrapalham a visibilidade das informações e ainda não passam uma impressão de profissionalismo.

Existem diversos modelos de currículo na internet, no editor de textos do computador e também modelos prontos que podem ser comprados em papelarias. Além de seu nome, de sua formação e de cursos que concluiu ou está fazendo é possível incluir trabalhos temporários, informais ou voluntários para suprir a ausência de experiência profissional anterior. Essas experiências são muito valorizadas pelos empregadores.

Colocar habilidades e competências pessoais como saber lidar com o público, trabalhar em equipe, receber ou dar instruções, ser motivado, saber controlar seu estado de espírito, vontade de crescer profissionalmente, capacidade de liderança ou persuasão também poderá ajudar.

Use as melhores ferramentas

Além de ter um bom networking, ou seja, uma rede de relacionamentos com amigos e familiares que podem ajudá-lo nesse processo de conquista do primeiro emprego, é importante utilizar os caminhos disponíveis que auxiliam na inserção do jovem no mercado de trabalho.

Aprendiz Legal

Se você está cursando ou já concluiu o ensino médio pode participar do programa Aprendiz Legal. Esse é um programa do Governo Federal voltado para preparar e inserir os jovens no mercado de trabalho. Atuando em parceiras com empresas e órgãos públicos e privados, oferecem centenas de vagas em várias instituições exclusivamente voltadas para os jovens.

O programa Aprendiz Legal integra a sociedade em torno do atendimento às necessidades dos jovens, buscando se desenvolver através de dois módulos. O básico, que é comum a todas as formações e um específico, voltado para a área de atuação do jovem na empresa.

São oferecidos cursos de capacitação e especialização nas áreas:

  • Auxiliar de alimentação: preparo e serviços;
  • Auxiliar de produção industrial;
  • Comércio e varejo;
  • Conservação, limpeza e sustentabilidade ambiental
  • Cooperativismo;
  • Gestão pública;
  • Logística;
  • Ocupações administrativas;
  • Práticas bancárias;
  • Turismo.

Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE)

O programa surgiu antes do decreto que estabelece o Aprendiz Legal e hoje é mais uma ferramenta para garantir o acesso dos jovens aos postos de trabalho. Essa proposta também prevê a inclusão de pessoas com deficiência, disponibilizando material impresso de seus cursos em audiolivros e vídeos com inserção de LIBRAS.
A lei determina que empresas de médio e grande porte contratem jovens de 14 a 24 anos para capacitação profissional (prática e teórica), cumprindo cotas que variam de 5% a 15% do número de funcionários efetivos qualificados. Microempresas e empresas de pequeno porte podem ou não optar pela contratação e qualificação dos jovens.

Trainee

Os programas de trainee são caminhos para jovens recém-formados na faculdade. É uma oportunidade de ingressar em grandes empresas em que, muitas vezes, acabam sendo contratados. Nesse cargo os jovens são treinados e capacitados para ocupar posições de liderança.

As oportunidades para trainee são bastante concorridas e são compostas por várias etapas de seleção, pois os desafios possibilitam uma rápida ascensão na carreira. Cada processo seletivo exige do recém-formado uma série de conhecimentos, formação e habilidades.

Normalmente é preciso:

  • Ser recém-graduado ou ter concluído a graduação, no máximo, há dois ou três anos;
  • Ser fluente em inglês;
  • Dominar softwares específicos da área de formação;
  • Disponibilidade para viajar ou morar fora.

Estágio

Etapa do programa de formação dos cursos universitários e também técnicos, o estágio é uma etapa essencial para preparar o aluno para o ambiente de trabalho. Esse é um tempo em que, ainda durante o curso de formação, o estudante trabalha com carga horária reduzida, respeitando seus horários escolares.

Com direito a todos os benefícios determinados na legislação Trabalhista e Previdenciária, o estagiário exerce atividades compatíveis com o projeto pedagógico do seu curso, com carga horária estabelecida no termo de compromisso, documento que garante seus direitos, o qual deve ser apresentado à escola para certificar a realização das horas do período de estágio que são de 20, 30 ou até 40 horas semanais.

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin