dcsimg

Descubra como é a carreira em fisioterapia do trabalho

A profissão de fisioterapeuta do trabalho está em crescimento. Veja o que é preciso estudar para entrar nessa área!

Fisioterapia do Trabalho é uma área que aos poucos vem conquistando seu lugar no mercado.

O crescimento dessa carreira pega carona no momento em que a saúde do trabalhador se torna uma das grandes preocupações de empresas de diversos portes, tanto no setor público quanto no privado.

O principal papel do fisioterapeuta do trabalho é tratar e prevenir lesões no ambiente laboral. A ideia é oferecer mais qualidade de vida aos funcionários.

Descubra a seguir como é a carreira em Fisioterapia do Trabalho, onde estudar e quais são os atributos necessários para mergulhar de cabeça nessa profissão!

O que faz um fisioterapeuta do trabalho

O fisioterapeuta do trabalho é responsável por manter a saúde do trabalhador em dia. Ele atua na prevenção de lesões, no desenvolvimento de técnicas físicas laborais e na recuperação de problemas decorrentes da atividade profissional.

É um profissional valioso para empresas, especialmente as de grande porte, pois ajuda a diminuir o afastamento de trabalhadores por problemas musculares ou esqueléticos.

Com conhecimento em ergonomia, fisiologia e cinesiologia (ciência do movimento humano), o fisioterapeuta também estuda o ambiente de trabalho, o dia a dia de cada trabalhador e os riscos aos quais eles estão expostos. A ideia aqui é desenvolver estratégias para prevenir acidentes e lesões. Isso pode envolver a prática de exercícios laborais, reeducação postural, ergonomia, etc.

Sob sua responsabilidade está também a reinserção de trabalhadores que haviam sido afastados por problemas físicos.

Veja um resumo das principais características e atividades do fisioterapeuta do trabalho:

  • Reúne vasto conhecimento sobre anatomia, biomecânica e saúde preventiva.
  • Previne desconforto musculares e esqueléticos nas atividades laborais.
  • Trabalha sempre em parceria com o pessoal de saúde e segurança do trabalho.
  • Desenvolve programas de ginástica laboral.
  • Propõe atividades que reduzem os riscos de acidente de trabalho.
  • Faz acompanhamento individualizado e dá dicas de postura e ergonomia aos trabalhadores.
  • Realiza atividades terapêuticas em funcionários com problemas musculares ou esqueléticos.

Como trabalhar na área da Fisioterapia do Trabalho

A Fisioterapia do Trabalho só pode ser desenvolvida por quem concluiu uma graduação de Fisioterapia reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e tem registro profissional no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito).

Ou seja, o fisioterapeuta do trabalho precisa, obrigatoriamente, ser bacharel em Fisioterapia. De preferência, deve ter especialização na área de Fisioterapia do Trabalho.

Se você está interessado na área, veja a seguir como dar os primeiros passos para entrar nessa carreira.

Graduação em Fisioterapia

A graduação em Fisioterapia pode ser encontrada em 462 instituições de ensino no Brasil – 58 públicas e 404 particulares.

O tempo de estudos pode variar de 4 a 5 anos, dependendo da faculdade. A procura é bem alta, e tem crescido ainda mais nos últimos anos. O curso conta com muitas atividades de laboratório e práticas em clínicas e hospitais.

O grau de formação é o bacharelado, que oferece uma atuação ampla e diversificada no mercado de trabalho.

Durante o curso, o aluno ficará imerso em disciplinas da área da Saúde, da Biologia e até de Ciências Humanas.

Não existe ainda uma graduação focada em Fisioterapia do Trabalho. Para isso, o aluno terá que investir em um curso de pós-graduação. Saiba mais a seguir.

Pós-graduação em Fisioterapia do Trabalho

Existem diversas instituições que oferecem o curso de pós-graduação em Fisioterapia do Trabalho.

Normalmente são cursos que formam especialistas (pós-graduação lato-sensu), com duração que pode variar de 12 a 18 meses.

O público-alvo são os fisioterapeutas.

A pós em Fisioterapia do Trabalho pode ser encontrada em instituições públicas e privadas em algumas regiões do Brasil. Selecionamos, a seguir, algumas faculdades que oferecem o curso:

Para saber se a pós-graduação em Fisioterapia do Trabalho está disponível em sua cidade, entre em contato com a faculdade do seu interesse.

A única instituição pública que oferece o curso é a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Para entrar em uma pós-graduação o aluno deve ter, obrigatoriamente, diploma de nível superior. Alguns cursos podem ser restritos a formados em Fisioterapia, enquanto outros exigem apenas diploma de nível superior na área da Saúde. Informe-se no local onde você quer estudar.

Dá para estudar Fisioterapia do Trabalho a distância?

Sim! Dá para fazer tanto a graduação em Fisioterapia a distância quanto a pós. Essa é uma boa notícia para quem busca conciliar estudos com trabalho e família.

A graduação a distância em Fisioterapia é novidade no Brasil. Por enquanto, só está disponível em pouquíssimas faculdades e nem sempre tem vagas em aberto.

Para os próximos anos, a tendência é que o número de instituições aumente.

No momento, o curso de graduação em Fisioterapia EAD pode ser encontrado em três faculdades:

  • Universidade Nove de Julho (UNINOVE)
  • Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR)
  • Centro Universitário Facvest (FACVEST)

O curso é semipresencial, com equilíbrio entre atividades presenciais e online. A parte teórica é vista a distância, em um ambiente virtual de aprendizagem, enquanto a prática é feita em polos de apoio presencial da instituição, que podem estar espalhados em cidades de todo o Brasil. O aluno deve comparecer à faculdade no mínimo uma vez por semana para acompanhar as aulas.

Já os cursos de pós-graduação em Fisioterapia do Trabalho a distância podem ser encontrados em somente três instituições de ensino:

  • Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI)
  • Universidade de Santo Amaro (UNISA)
  • Faculdade Unyleya (UNYLEYA)

Onde estudar Fisioterapia

O curso de graduação em Fisioterapia pode ser encontrado com relativa facilidade em universidades públicas e privadas de todo o Brasil.

Nas públicas, no entanto, as vagas são poucas e a concorrência é feroz. A média nacional, apontada pelo Censo da Educação Superior, chega a incríveis 26 candidatos por vaga – número que pode ser maior ou menor, de acordo com a instituição.

Nas particulares, a oferta de vagas é bem maior, o que faz a concorrência ser menos acirrada. Aqui o importante mesmo é verificar se a instituição tem o aval do MEC para funcionar. Esse fator é fundamental para garantir que o seu diploma será bem aceito no mercado de trabalho – e que você vai poder obter o registro profissional no Crefito.

Conheça a seguir algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Fisioterapia.

Veja também:

Educação Física ou Fisioterapia: qual a melhor opção?

Pretende seguir carreira em Fisioterapia do Trabalho? Compartilhe suas ideias com a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin