dcsimg

Descubra como é a carreira em Nutrição Esportiva

Se os temas alimentação e esporte são de seu interesse, a Nutrição Esportiva pode ser um caminho de carreira para você. Confira!

Um dos fatores que mais influenciam o desempenho de um esportista é, sem dúvida, a sua alimentação.

Saber equilibrar carboidratos, lipídios, proteínas, vitaminas e sais minerais para promover o alto rendimento de um atleta – profissional ou amador – é papel do nutricionista esportivo.

Esse profissional pode atuar em clubes, academias, agremiações ou ter seu próprio consultório, por exemplo.

Veja a seguir tudo o que você precisa saber sobre a carreira em Nutrição Esportiva. Entenda as principais atribuições desse profissional, como ingressar na carreira, como está o mercado de trabalho e qual faculdade fazer para se tornar um nutricionista esportivo!

O que é Nutrição Esportiva?

Nutrição Esportiva é uma área que relaciona o ramo da Nutrição com o da Educação Física. O profissional desse setor deverá aliar conhecimentos em matérias como Fisiologia e Bioquímica ao entendimento das necessidades nutricionais de praticantes das mais diversas atividades físicas.

Sabe-se que o bom desempenho esportivo está intimamente relacionado com a alimentação. Uma nutrição adequada aumentará o desempenho, ao passo que uma dieta incorreta reduzirá as possibilidades físicas do indivíduo.

E aqui não falamos apenas de atletas profissionais de alto nível, mas também de pessoas comuns, de todas as idades, que praticam esportes de maneira amadora mas de forma frequente. Todos eles podem precisar do apoio de um nutricionista esportivo em algum momento.

O nutricionista esportivo está atento, por exemplo, aos nutrientes necessários para o bom desenvolvimento de determinado exercício físico. Além de recomendar as práticas alimentares adequadas, observa os níveis corretos de hidratação exigidos para cada atividade, determina as estratégias alimentares regulares e específicas para cada momento (semanas antes de uma competição importante, o que deve ser ingerido após uma maratona ou para ganhar massa muscular, por exemplo).

No caso do atendimento a atletas profissionais, é comum que o nutricionista esportivo trabalhe com uma equipe multidisciplinar, lado a lado com psicólogo, médico, treinador, diretor esportivo e fisioterapeuta. Sua missão aqui é manter adequados os níveis de ingestão de proteínas, carboidratos, lipídios, água, vitaminas e sais minerais, ajudando a cumprir a meta de desempenho estabelecida pela junta profissional.

O nutricionista esportivo, além de seus conhecimentos sobre os alimentos, terá que saber também sobre os suplementos alimentares disponíveis no mercado, ainda que seja para restringi-los ou não recomendá-los. Dependendo da dieta e da estratégia alimentar, a inclusão dos suplementos de forma controlada pode até ser benéfica para determinada pessoa. Caberá ao nutricionista esportivo decidir.

Qual é o salário de um nutricionista esportivo?

Para estimar os ganhos de um nutricionista esportivo, pesquisamos algumas fontes, como o site de empregos Catho e o Site Nacional de Empregos (SINE). De acordo com esses levantamentos nacionais, a média salarial de um nutricionista esportivo em início de carreira no Brasil é de aproximadamente R$ 2.000. Para um profissional sênior – com mais de oito anos de experiência –, esse número pode se aproximar de R$ 6 mil.

Outra variação ocorre segundo a região do país. Em estados como São Paulo, Rio de Janeiro ou no Distrito Federal, os ganhos tendem a ser um pouco mais elevados do que em centros urbanos menores das regiões Norte e Centro-Oeste, por exemplo.

Os salários médios podem parecer baixos para alguns, mas é importante salientar que, nessa profissão, não é raro que o profissional tenha mais de um emprego. No acúmulo de rendimentos, os ganhos podem vir a ser bastante interessantes para o nutricionista esportivo.

Como se tornar um nutricionista esportivo

O início da carreira de um nutricionista esportivo passa necessariamente por uma graduação em Nutrição. O Brasil oferece um bom número de cursos, chegando a quase 400 opções. A duração média do curso superior de Nutrição varia de 4 a 5 anos.

No final da graduação, o estudante terá que fazer um estágio supervisionado, que poderá ser realizado em clínicas, escolas, hospitais ou ainda em empresas de refeição. Assim, poderá vivenciar na prática os ensinamentos recebidos em sala de aula. O último ano de curso é geralmente dedicado a isso, e nos estágios será necessário passar por diversas áreas da Nutrição, como a Clínica, a Nutrição Social e a Administração em Serviços de Alimentação. É possível até que, durante esse período, você já tenha a oportunidade de entrar em contato também com a Nutrição Esportiva.

Algumas das principais matérias do curso são:

  • Anatomia
  • Bioquímica
  • Histologia
  • Biologia Molecular
  • Genética
  • Parasitologia
  • Patologia
  • Imunologia

Além dessas disciplinas, o aluno ainda aprende sobre políticas públicas da saúde, metodologia científica e administração e planejamento em saúde, entre outras.

Ao concluir a graduação, já com o diploma em mãos, é preciso se registrar no Conselho Regional de Nutricionistas (CRN) de sua região. Basta apresentar o seu diploma e outros documentos pessoais, não é necessário prestar nenhuma prova. O registro no CRN é obrigatório para o exercício da profissão de nutricionista no Brasil.

Mas quem quiser seguir carreira em Nutrição Esportiva não pode parar por aí! Para se tornar um nutricionista esportivo, o negócio é continuar estudando e investir em uma especialização (a duração aproximada é de 18 meses).

Conheça alguns cursos de pós-graduação na área de Nutrição Esportiva reconhecidos pelo MEC:

Nutrição Esportiva Funcional

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)

Fisiologia do Exercício e Nutrição Esportiva

Universidade de Franca (UNIFRAN)

Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) 

Em seguida, é recomendável obter o Título de Especialista em Nutrição (TEN) da Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN). Ele só é concedido para nutricionistas com mais de três anos de formado. Há duas formas de obtê-lo: apresentando o currículo para análise ou – quando a pontuação obtida pelo currículo não for suficiente – por meio de uma prova escrita, que é aplicada anualmente.

Nossa última dica: com tantos profissionais se formando em Nutrição a cada ano, a participação frequente em eventos da área, como palestras, congressos e workshops, vai cair muito bem em seu currículo e elevar suas chances no mercado de trabalho.

Um fato que joga a seu favor, caso decida mesmo seguir a carreira de Nutrição Esportiva, é a conscientização cada vez maior da sociedade sobre a importância do exercício físico para a saúde. Assim, cada vez mais pessoas praticam exercício regularmente. Por isso, além da contratação por atletas profissionais, times ou clubes esportivos, o profissional da nutrição esportiva tem cada vez mais oportunidades de atuar em clínicas ou abrir seu próprio consultório para atendimento particular.

Onde estudar Nutrição

Há boa oferta de cursos de Nutrição no país, em diversos estados. É importante, porém, pesquisar a imagem que a faculdade tem no mercado. Converse com alunos e ex-alunos para verificar sua satisfação com o curso. Outra dica é fazer uma visita à faculdade para ver com seus próprios olhos a estrutura que ela oferece. E o mais importante: o curso e a faculdade têm que estar credenciados pelo Ministério da Educação (MEC). É esse aval que garante a validade do seu diploma em todo o território nacional. Fique de olho!

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Nutrição:

Veja também:

Como está o mercado de trabalho para Nutrição?

E então, se interessou pela carreira em Nutrição Esportiva? Conte para a gente aqui nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin