Descubra o que é Bolsa Permanência e veja como conseguir uma

Conheça o Bolsa Permanência, um programa que paga para que você não largue os estudos. Descubra também se você pode ganhar esse benefício!

O Bolsa Permanência foi criado para evitar a evasão de alunos de nível superior em situação de vulnerabilidade social – já que muitos deles acabavam largando a faculdade para se dedicar ao trabalho e garantir o sustento.

O governo federal então criou uma forma de que auxiliar essas pessoas a seguirem os estudos.

Por meio de uma bolsa, eles passaram a receber uma quantia que ajuda a cobrir algumas despesas para permanecer estudando e, dessa forma, assegurar um futuro mais promissor pela frente.

A seguir, entenda como funciona o Bolsa Permanência e como conseguir uma!

O Bolsa Permanência

O Bolsa Permanência é um auxílio financeiro concedido a estudantes quilombolas, indígenas e a aqueles que estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

O benefício vale para quem está regularmente matriculado em instituições federais de ensino superior.

A ideia é assegurar a permanência desses estudantes em sala de aula até o final do curso e garantir a obtenção do diploma.

A bolsa, que tem valores variáveis, é paga por meio de um cartão de benefícios.

Hoje, o valor é de R$ 900 para estudantes indígenas e quilombolas e de R$ 400 para para os que comprovarem situação de vulnerabilidade econômica.

Veja a seguir como conseguir uma.

Como conseguir uma Bolsa Permanência

Conseguir uma Bolsa Permanência requer agilidade por parte dos interessados e algumas comprovações.

Todo o processo é feito na própria instituição participante.

Estudantes indígenas ou quilombolas vão precisar de:

  • Declaração de pertencimento étnico de sua comunidade, assinada por pelo menos três lideranças reconhecidas.
  • Declaração da Fundação Cultural Palmares de que o aluno quilombola reside em comunidade remanescente de quilombo ou comprovante de residência em comunidade quilombola.
  • No caso de indígenas, declaração da Fundação Nacional do Índio (Funai) de que reside em comunidade indígena ou comprovante de residência em comunidade indígena.

Já os alunos que estão em situação de vulnerabilidade social precisam:

  • Apresentar renda familiar per capita de até um 1,5 salário mínimo
  • Estar matriculado em cursos de graduação com carga horária média superior ou igual a cinco horas diárias
  • Não esteja atrasado no curso: o máximo permitido é que o estudante extrapole dois semestres do tempo regulamentar do curso de graduação em que estiver matriculado

Quem atende aos perfis acima precisa fazer um cadastro, assinar o Termo de Compromisso e ter o cadastro devidamente aprovado pela faculdade onde está matriculado.

O benefício é renovado mensalmente pela instituição de ensino.

Os estudantes recebem o dinheiro diretamente do MEC e podem sacá-lo por meio de um cartão magnético que é emitido pelo Banco do Brasil.

Quando solicitar a Bolsa Permanência

O Bolsa Permanência não tem um período regular de solicitação. O interessado em obter uma precisa ficar muito ligado, já que o programa pode ficar mais de um ano sem distribuir novos benefícios.

Quando abrem as vagas, normalmente a própria faculdade faz uma divulgação interna com as condições e as datas de inscrição. O MEC também anuncia o benefício em seus sites e redes sociais.

Quem perder o prazo terá de esperar uma próxima oportunidade, dado que o MEC não faz seleções fora do período anunciado.

Bolsa permanência do ProUni

Estudantes que têm bolsa integral do ProUni, o Programa Universidade para Todos, também podem pedir uma bolsa permanência.

Como o programa já é direcionado a estudantes de baixa renda, a bolsa é destinada ao custeio de despesas educacionais.

O benefício vale apenas para cursos presenciais com no mínimo seis semestres de duração e carga horária igual ou superior a seis horas diárias de aula.

Os valores mudam de acordo com a edição e são publicados pelo MEC em edital.

Ao contrário das bolsas em instituições federais, aqui seleção de novos bolsistas acontece todos os meses, sempre no primeiro dia, de acordo com a disponibilidade financeira do MEC.

Como entrar numa universidade pública ou ganhar bolsa do ProUni

Seja para entrar na universidade pública ou para ganhar bolsa do ProUni, o estudante precisa apresentar uma boa nota no Enem.

O programa que distribui vagas em universidades públicas é o Sisu. Para participar basta ter feito o Enem mais recente e obtido uma boa nota nas provas objetivas e na redação. São duas edições por ano, sempre bastante concorridas.

Já o ProUni, que distribui bolsas integrais e parciais, requer desempenho de pelo menos 450 na média das provas, sem ter zerado a redação. Fora isso, o candidato precisa ter feito o ensino médio em escola da rede pública e comprovar renda de até três salários mínimos por pessoa da família.

Tanto Sisu quanto o ProUni distribuem vagas por cotas raciais, para alunos de escola pública e de baixa renda.

O Sisu oferece vagas em mais de uma centenas de universidades e institutos federais de educação pelo país.

O ProUni, por sua vez, trabalha com faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC, como as que listamos abaixo. Estas faculdades também contam com programas próprios de financiamento e bolsa de estudos sem burocracia. Dê uma olhada:

Veja também:

Veja qual pontuação precisa pra entrar na faculdade com Enem 

O que achou do Bolsa Permanência? Vai tentar uma? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin