Descubra o que é Educação Especial e como funciona o curso

A área da educação está entre as que mais concentra alunos matriculados, de acordo com o Mapa do Ensino Superior 2020, realizado pelo Instituto Semesp, com mais de 1,5 milhão de estudantes.

Além do grande volume de universitários, também há uma variedade de cursos relacionados à educação e, dentre eles, o de Educação Especial.

O que é educação especial?

A educação especial é uma área, segundo a Política Nacional de Educação Especial do Ministério da Educação (MEC), voltada para o ensino especializado a “estudantes com deficiência para estudantes com deficiências físico-motores, intelectuais, mentais, visuais, auditivas, auditivas-visuais, múltiplas, transtorno do espectro do autismo, transtornos específicos de aprendizagem, altas habilidades/superdotação e hospitalizados”.

O curso

Oferecido no grau licenciatura e com duração média de quatro anos, o curso de Educação Especial tem como objetivo capacitar profissionais para identificar a forma de aprendizagem de cada aluno, assim como as suas necessidades e interesses, a fim de promover uma educação inclusiva e proporcionar autonomia a esses estudantes.

Por esse motivo, os conteúdos que compõem a grade curricular do curso incluem desde metodologias de ensino específicas até políticas públicas e legislações vigentes.

Confira abaixo as principais matérias da grade curricular do curso:

  • Alfabetização
  • Educação infantil
  • Educação na diversidade
  • Fundamentos da educação especial
  • Língua Brasileira de Sinais
  • Educação da pessoa com deficiência visual
  • Educação da pessoa com deficiência auditiva
  • Educação da pessoa com deficiência física
  • Superdotação e altas habilidades
  • Fundamentos metodológicos da pessoa com deficiência múltipla
  • Transtornos globais do desenvolvimento
  • Psicologia da educação
  • Políticas públicas da educação especial
  • Didática aplicada a pessoas com deficiência
  • Práticas de ensino
  • Estatuto da criança e do adolescente
  • Acessibilidade

Além de cursar as matérias acima, o estudante deve realizar o estágio supervisionado ao longo do curso e desenvolver o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), sujeito à aprovação.

Modalidades

A modalidade de um curso é o formato no qual ele é oferecido. As principais, são: presencial, semipresencial e ensino distância (EaD). A licenciatura em Educação Especial pode ser encontrada nas três modalidades.

Na modalidade presencial, as aulas, atividades e avaliações acontecem em sala de aula, na instituição de ensino, mas até 40% da carga horária do curso pode ser realizada on-line. Já no ensino semipresencial, o aluno vai até a instituição poucas vezes por semana, pois parte do conteúdo é feita em uma plataforma on-line, conhecida como Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).

Por fim, no ensino a distância até 100% do curso pode ser feito no ambiente virtual. As aulas podem ser ao vivo ou gravadas e são acessadas pelos alunos por meio do AVA, onde também podem ser encontrados os materiais de estudo e as atividades. Apesar de ser EaD, as avaliações dessa modalidade costumam ser presenciais, nos polos das instituições distribuídos em várias cidades do país.

É importante ressaltar, no entanto, que em todas os formatos os conteúdos respeitam as diretrizes do MEC para essa formação e o diploma é o mesmo, independente da modalidade escolhida.

Mensalidades do curso

É possível encontrar mensalidades para o curso de Educação Especial a partir de R$ 110,00 na modalidade de ensino a distância, e a partir de R$ 610,00 na opção presencial. As informações são do site Quero Bolsa.

A profissão

O professor de educação especial pode oferecer atendimento educacional especializado aos estudantes, promover a inclusão desses alunos no ambiente escolar, ministrar aulas e preparar o material didático com o objetivo de desenvolver habilidades de todos os alunos.

Mercado de trabalho

As oportunidades de trabalho para esse profissional concentram-se em escolas regulares públicas e privadas, além de instituições de ensino especializadas e hospitais, no ensino para pessoas hospitalizadas.

A partir de dados do Censo Escolar 2018, feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), é possível constatar que o número de matrículas de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e/ou altas habilidades/superdotação em classes comuns ou especializadas ultrapassou um milhão. Consequentemente, a demanda por profissionais de Educação Especial também aumenta.

Onde estudar Educação Especial?

Para atuar como um profissional de Educação Especial é necessário ter um diploma de graduação na área.

Porém, antes de efetuar a matrícula em uma instituição de ensino, é importante verificar se o curso ofertado é autorizado e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Isso garante que a instituição possua a estrutura necessária para ofertar a graduação.

A seguir, veja algumas opções de instituições que oferecem o curso de Educação Especial, de acordo com as diretrizes do MEC:

Interessado em ingressar na área de Educação Especial? Responda nos comentários abaixo!

Compartilhar
Facebook Twitter Google Linkedin